top of page
  • by Brunelson

Metallica: a música da banda influenciada pelo filme O Mágico de Oz


No final da década de 80, o METALLICA ainda se apresentava como se tivesse algo a provar.


Embora o grupo possa ter se movimentado como uma máquina de metal durante a maior parte do tempo, o falecimento do baixista Cliff Burton em 1986 os colocou em uma encruzilhada musical, onde procuraram tirar o melhor proveito de uma situação ruim e contrataram Jason Newsted como o seu novo baixista.


E o 1º álbum que contou com Newsted tocando baixo foi "And Justice For All" (4º disco, 1988). Ao longo de sua gravação, a banda contribuiu com centenas de riffs gravados em fitas-cassete e acabaria empilhando-os uns sobre os outros para criar as suas músicas.

Ao falar sobre este processo após o fato, o baterista Lars Ulrich comparou esse processo de composição à forma de como ficou a arquitetura musical destas canções, fazendo com que as músicas parecessem uma estrutura robusta baseada em quantos riffs fosse preciso para serem agrupados.

Entre eles, separamos o riff de abertura da música "The Frayed Ends of Sanity". Em vez de retirado como uma influência óbvia do BLACK SABBATH ou do IRON MAIDEN, os acentos básicos desse riff foram retirados do canto do soldado que aparece no meio do filme O Mágico de Oz, enquanto a personagem Dorothy e os seus amigos viajam para o castelo para conhecer o velho mago.

METALLICA não teve vergonha de fazer a referência mais direta possível, acrescentando até os vocais de fundo idênticos ao canto do soldado do filme. Embora alguns fãs de cinema possam ter ficado agradavelmente surpresos com a referência sutil ao filme, não demorou muito para a banda retornar ao seu ritmo normal, com o frontman James Hetfield transformando o riff em algo muito mais agressivo conforme a música avança.

Mesmo com a produção abaixo da média - o som do baixo em todo o disco quase sumiu na mixagem, além de Hetfield já ter dito em entrevista que ele não gostou da produção final - a banda sabia que havia chegado ao fim de uma era após gravar o álbum "And Justice For All". Apesar da enorme progressão instrumental que fizeram ao longo do disco, a necessidade de se desvenciliarem dos outros grupos de metal se faria presente, levando-os a almejar o estrelato mainstream em 1991 com o "Black Album" (5º disco).

Com a ajuda do seu novo produtor, Bob Rock, a banda se concentrou em fazer músicas mais diretas e ao mesmo tempo dar ao baixo um lugar de destaque na mixagem final com o "Black Album".

Mesmo que o METALLICA quisesse levar a sua música às profundezas mais sombrias que podiam alcançar com o disco "And Justice For All" com o luto que estavam passando, o retorno sutil ao filme O Mágico de Oz mostrou que ainda havia um senso de humor por trás de toda aquela agressão e sentimentos.


"The Frayed Ends of Sanity"

































Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page