top of page
  • by Brunelson

Metallica: qual a música que fez a banda escolher o baixista Cliff Burton?


Desde o 1º dia, o ponto crucial de qualquer boa música do METALLICA originou-se em James Hetfield (vocalista/guitarrista) e Lars Ulrich (baterista).


Embora cada membro da banda tenha colocado a sua própria marca na música, os riffs de Hetfield combinados com a visão geral de Ulrich ajudaram a moldar o metal moderno no estado pesado em que se encontra atualmente.

E quando o grupo estava lançando riffs no underground na década de 80, o baixista Cliff Burton era igualmente essencial para a banda.

Durante os primeiros shows do METALLICA, as tarefas do baixo eram realizadas pelo baixista original do grupo e que não chegaria a gravar o 1º disco da banda, Ron McGovny. Embora McGovny tenha tocado baixo em gravações demo da banda, não demorou muito para ele se afastar do METALLICA, alegando não gostar da constante mentalidade e conduta rock and roll que o resto do grupo trazia para os shows e festas.

Em busca de um novo baixista, Ulrich recebeu uma dica do fundador da gravadora independente chamada Metal Blade Records, Brian Slagel, para conferir uma banda nova chamada TRAUMA que estava se apresentando em algumas áreas de Los Angeles. Com isso, Hetfield e Ulrich foram conferir esse grupo, onde se depararam com o enorme solo de baixo de Cliff Burton no meio do show e que conquistaria instantaneamente os 02 membros do METALLICA ali presentes.

Ao falar sobre vê-lo tocar pela 1ª vez, Hetfield ficou chocado ao enxergar que, o que ele estava tocando era realmente um baixo, dizendo uma vez em entrevista: “Nós olhamos para o palco e tinha um solo selvagem acontecendo. O cara que estava tocando tinha cabelo ruivo e estava enlouquecendo no palco. Era um som que saía do pedal de efeito chamado wah-wah e eu pensei: ‘Cara, essa guitarra é pesada mesmo’. Foi quando comecei a olhar mais de perto e contar as cordas e disse: ‘Cara, isso é um baixo!’”

O que Burton tocou naquela noite se tornaria a instrumental música do METALLICA, "Anesthesia", e que após convidar Burton para entrar na banda, ela seria gravada e lançada no disco de estreia do METALLICA, "Kill 'Em All" (1983). Embora Burton tivesse ficado feliz em se juntar ao METALLICA, ele só deixaria o seu grupo original sob uma condição.

Como o METALLICA residia em Los Angeles, Burton queria que eles se mudassem para mais perto de sua casa que ficava em San Francisco, o que os membros do grupo aceitaram numa boa. Tendo competido com vários grupos de hair/glam metal que operavam em Los Angeles durante a década de 80, a marca do heavy metal do METALLICA estava muito acima do que todo mundo estava fazendo na época.

Burton não trouxe apenas habilidades técnicas ao grupo. Antes de ingressar na banda, ele já havia começado a criar riffs que se tornariam músicas essenciais para o METALLICA no futuro, como a linha de baixo para a canção "For Whom The Bell Tolls" (2º disco, "Ride The Lightning", 1984).

Sendo um ávido fã de música clássica, Burton também deixou a sua marca na banda em termos de harmonia musical, com Ulrich lembrando: “Toda a maneira como eu e James Hetfield escrevemos músicas juntos, quero dizer, foi moldada quando Cliff estava no grupo e foi moldada em torno da contribuição musical de Cliff. Você sabe, foi a maneira como ele nos ensinou sobre harmonias, melodias e esse tipo de coisa”.

Enquanto o amor de Burton pela harmonia florescia durante a gravação do clássico álbum, "Master of Puppets" (3º disco, 1986), tudo parou quando ele morreu na estrada após um trágico acidente de ônibus de turnê da banda quando viajavam pela Suécia.


Mesmo tendo gravado somente 03 álbuns de estúdio com o METALLICA, as músicas que Cliff Burton tocou deixaram uma marca indelével em como os baixistas do metal moderno abordam o instrumento.


Confira Cliff Burton debulhando ao vivo a música "Anesthesia" em 1983:



























Comentários


Mais Recentes
Destaques
bottom of page