top of page
  • by Brunelson

Neil Young: a música que levou mais de 02 décadas para lançar


A composição tende a ser um processo em constante evolução para os músicos. 


Mesmo que uma gravadora estipule quando um álbum deverá ser lançado, as músicas podem levar seu próprio tempo e sendo meditadas até que o compositor finalmente tenha algo que se sinta confortável em lançar.


E embora Neil Young possa ser um dos escritores mais prolíficos da história do rock, uma música teve que permanecer guardada por 02 décadas, antes de finalmente ser lançada de maneira adequada.


Ao olhar para o histórico de Young em busca de canções fenomenais, ele não necessariamente se importa onde está a mixagem certa. Ao longo de alguns de seus melhores discos, Young adquiriu o hábito em ter músicas decididamente desarrumadas, incluindo momentos que estão desafinados, mas que se adaptam perfeitamente ao clímax em álbuns como "Tonight’s The Night" (6º disco, 1975) e "Zuma" (7º disco, 1975).



Quando Young entrou na década de 80, sua necessidade em explorar diferentes gêneros o levou a seguir caminhos que ninguém esperava. Depois de assinar com a grande gravadora, Geffen Records, Young iniciou uma estranha série de lançamentos de álbuns que o levaram à desconfiança de sua gravadora pelo status de celebridade que ele imperava, desde o sintetizado álbum "Trans" (12º disco, 1983) até os sons rockabilly do álbum "Everybody’s Rockin" (13º disco, 1983).


Tendo passado por diferentes períodos criativos, Young mais tarde retornaria ao rock enraizado que fez dele uma estrela. Em álbuns como "Old Ways" (14º disco, 1985), Young também voltaria a ter contato com os sons da música country, mantendo-se alinhado com o tipo de música que fez em álbuns como "Harvest" (4º disco, 1972).


Mesmo que o álbum "Harvest" tivesse muitos destaques desse período de sua carreira, uma das músicas mais celebradas das sessões de gravação nem apareceu no lançamento final do disco. A canção "Depression Blues" permaneceu inédita por mais de 01 década, aparecendo pela 1ª vez quando Young gravou álbuns de caridade para os primeiros shows de ajuda humanitária do Farm Aid (1985).


Enquanto Young ainda estava no meio de um processo judicial com sua gravadora por não entregar álbuns de rock and roll "comerciais", ele estava prestes a ganhar fôlego como um dos antepassados do movimento contra cultural. Com o lançamento do álbum "Freedom" (17º disco, 1989), Young se tornou na figura paterna dos roqueiros grunge em todo o mundo, fazendo músicas que falavam ao mesmo jovem marginalizado que as bandas de Seattle cantavam em suas letras.


A gravação de estúdio da canção "Depression Blues" apareceria na coletânea "Lucky Thirteen" (1993), composta por músicas dos anos de Young na Geffen Records na década de 80. Embora ela não tenha sido incluída em algum álbum de estúdio, é fácil ver onde ela se encaixaria na estética country de Neil Young ao longo de sua carreira.


Como Young estava ajudando a criar o Farm Aid na década de 80, fica claro que as lutas rurais estão em sua mente nesta canção, pintando a imagem de um humilde fazendeiro tentando sobreviver em meio à Grande Depressão da década de 30.


E embora este seu período que passou com a Geffen Records possa não ter sido o tipo de material que a gravadora esperava, às vezes é melhor dar às pessoas o que elas precisam, do que dar às pessoas o que elas querem.


"Depression Blues"
































Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page