• by Brunelson

Neil Young: as 04 músicas que ele compôs em febre alta e que se tornaram clássicas


Neil Young tem uma boa dose de canções em seu cânone.

Em uma impressionante variedade de álbuns, Young escreveu tantas canções que não caberiam todas num único show, sendo um dos compositores mais prolíficos no final dos anos 60 e início dos anos 70.

E ele foi capaz até de escrever músicas durante um forte estágio febril que passava...

Para o álbum "Everybody Knows This is Nowhere" (2º disco, 1969), o seu primeiro passo para a selva barulhenta com a sua nova banda de apoio, CRAZY HORSE, o cantor e compositor teve um sério ataque de gripe durante as sessões de gravação do álbum com a sua temperatura corporal atingindo 39,5º C graus e gerando uma preocupação genuína com o seu bem-estar. No entanto, durante a sua febre e alucinações que vieram com ela, Young compôs 04 clássicas músicas para esse disco.

Neste álbum, há uma coleção de canções que sobreviveram ao disco como "Cinnamon Girl", "Down By The River", "Everybody Knows This is Nowhere" e "Cowgirl in The Sand", onde todas foram criadas durante o seu severo estado febril.


“Às vezes, quando fico doente e com febre, é mais fácil escrever músicas”, explicou Young numa entrevista ao site Uncut. “Tudo se abre... Você não tem nenhuma resistência e apenas deixa as coisas fluírem naturalmente”.

"Cinnamon Girl" foi a 1ª canção a ser gravada em seu estado febril e é uma das músicas mais amadas de Neil Young. No encarte da coletânea "Decade" (1977), Young escreveu sobre esta canção: “Escrevi isso para uma garota da cidade que se apresentava na calçada da rua tocando junto com pratos de percussão... Depois, foi difícil explicar para a minha esposa”.

Outra música criada foi "Down By The River", uma peça atemporal de alegria folk rock. Foi uma canção escrita e gravada na guitarra favorita de Young, a "Old Black", e soava tão alta que se tornou um momento decisivo na carreira de Young: “Imediatamente toda a sala do estúdio começou a vibrar e eu disse: ‘Puta merda!’ Tive que baixar os botões do amplificadores até a metade antes que pudesse continuar tocando", disse ele nessa mesma entrevista.

A música que leva o nome do álbum, "Everybody Knows This is Nowhere", também é um momento digno de nota. Não só tem o som característico que Neil Young estava tão desesperadamente tentando encontrar enquanto escapava do "mais do mesmo" e se movia em direção a uma paisagem sonora mais autêntica. O vocal de Young nesta canção foi na verdade um vocal arranhado temporário que ele cantou através de um microfone talk-back de baixa qualidade direto na mesa de mixagem - e sem efeitos.

Já a canção "Cowgirl in The Sand" pode muito bem ser a menos conhecida nessa lista, mas a música é um momento marcante no repertório de Neil Young, em grande parte por causa da guitarra violenta do guitarrista Danny Whitten.


“Ninguém tocava guitarra comigo assim”, disse Young sobre o guitarrista, que viria a falecer após uma overdose de heroína em 1972. “Esse ritmo, quando você ouve a música 'Cowgirl in The Sand', está sempre mudando e Billy (baixista) e Ralph (baterista) entram num ritmo e tudo vai indo junto, até que, de repente, Danny vai começar a fazer as suas coisas".

“Ele apenas levou aqueles caras de uma atmosfera para outra, deixando todos nós na mesma atmosfera, você me entende? Então, quando eu toquei aqueles longos solos de guitarra, parecia que eles não eram tão longos e que eu estava fazendo todas essas mudanças, quando na realidade o que estava mudando não era uma coisa só, mas sim toda a banda e Danny era a chave. Ele era um 2º guitarrista realmente ótimo e o contraponto perfeito para tudo o que estava acontecendo”.

O fato de que essas 04 incríveis canções foram concebidas durante uma febre muito forte, mostra o quão impressionante um compositor como Neil Young realmente era.

Confira o áudio de cada música citada aqui nessa matéria:


"Cinnamon Girl"


"Down By The River"


"Everybody Knows This is Nowhere"


"Cowgirl in The Sand"


Mais Recentes
Destaques