top of page
  • by Brunelson

Syd Barrett: qual foi a última música que ele havia escrito para o Pink Floyd?


Embora o seu tempo no centro das atenções tenha sido breve, o falecido Syd Barrett deixou um tremendo legado.

Sendo o vocalista/guitarrista original do PINK FLOYD, as suas composições espaciais e psicodélicas marcaram perfeitamente a linha entre as tendências inebriantes do hippie e o lado mais sombrio do movimento que estava começando a ficar em evidência.

A história de Syd Barrett é bem conhecida. Enquanto ele era o líder do PINK FLOYD quando a banda estourou logo em seu disco de estreia em 1967, "The Piper at The Gates of Dawn", devido aos seus problemas de saúde mental que são atribuídos a fatores biológicos e amplo uso de drogas, ele seria dispensado do grupo em 1968, quando terminaram as gravações do 2º álbum de estúdio, "A Saucerful of Secrets", já com o guitarrista David Gilmour a bordo para aos poucos ir substituindo Barrett.



Depois de deixar o grupo, o seu estado mental continuou a despencar e Barrett lançaria ainda 02 álbuns solo em 1970, que foram ajudados a nascerem pelos seus velhos amigos e ex-companheiros de banda do PINK FLOYD, David Gilmour e Roger Waters (vocalista/baixista), os quais ajudaram na produção. Pouco tempo depois de lançar os seus 02 discos solo, Barrett retirou-se da vida pública, permanecendo recluso até a sua morte aos 60 anos de idade em 2006.


Apesar da tragédia da vida de Syd Barrett, os seus esforços musicais falam por si, refletindo a sua genialidade inquestionável e a gravidade do declínio que o levou a se tornar um dos personagens mais mitificados na história do rock.

E uma de suas composições mais significativas é a música "Jugband Blues", a última música que ele escreveu para o PINK FLOYD.

No momento de sua escrita, que foi no final de 1967, o estado mental de Barrett estava se deteriorando rapidamente, com a canção "Jugband Blues" considerada uma personificação musical de sua esquizofrenia. A música foi lançada no 2º álbum da banda e foi a sua única contribuição para esse disco, tornando-se o seu último esforço publicado para o grupo.

Alegadamente, Syd Barrett queria que esta canção fosse lançada como single, mas foi vetada pelo resto da banda e pelo produtor do disco, Norman Smith.

Um dos empresários do PINK FLOYD, Peter Jenner, refletiu sobre a música "Jugband Blues" na biografia do autor Rob Chapman, "Syd Barrett: A Very Irregular Head". Ele descreveu a contribuição final de Barrett para o PINK FLOYD e outras 02 canções que ele escreveu na mesma época, "Scream Thy Last Scream" e "Vegetable Man", como "músicas incríveis" (ambas não foram lançadas em nenhum álbum de estúdio).

Comparando-as com as canções "Bike" e "The Scarecrow", ambas lançadas no disco de estreia, ele disse: “Você pensa: 'Ok, tudo bem, mas essas músicas são artes poderosas e perturbadoras'. Qualquer um teria que ficar tão louco e perturbado quanto Syd Barrett ficou para conseguir compor estas canções, mas se é para ficar tão perturbado, então, me dê algo assim, porque isso é uma grande arte”.

O empresário da banda concluiu, ainda dizendo que a música "Jugband Blues" é: "Uma canção extraordinária, o auto diagnóstico definitivo sobre um estado de esquizofrenia e o retrato de um colapso nervoso".






"Jugband Blues"





























Comentários


Mais Recentes
Destaques
bottom of page