top of page
  • by Brunelson

Pink Floyd: as origens da clássica música "Money", segundo David Gilmour


PINK FLOYD sempre foi escalado como uma banda mercurial.

Devido em grande parte à sua necessidade irreprimível de pureza criativa, o grupo sempre deu saltos gigantescos musicalmente para satisfazer o desejo mencionado e fornecer ao público um som como nenhum outro.


Nunca felizes em ficar parados ou permanecer dentro dos limites do gênero rock, a banda inspirou inúmeros outros grupos de rock desde o início até os dias atuais.

No entanto, a maioria das pessoas não sabe que o PINK FLOYD também se apoiou fortemente nos artistas que vieram antes deles em busca de inspiração. Além de compartilhar anteriormente o seu amor pela música dos BEATLES, David Gilmour uma vez revelou a grande influência que uma lenda do rock em particular teve sobre uma das icônicas músicas do PINK FLOYD, "Money".

É difícil não gostar desta canção e é tão divertida que muitas vezes é esquecida como um dos melhores momentos no álbum "The Dark Side of The Moon" (8º disco, 1973).


Assim como os compassos confusos que mudam quando o solo da guitarra de Gilmour aparece, a canção é uma mistura perfeita do que fez do PINK FLOYD uma perspectiva tão tentadora. Durante o solo, algo relativamente único dentro da música ocorre, já que ela muda de um compasso incomum de 7/8 para um compasso 4/4 mais convencional, antes de voltar novamente para a seção pós-solo da guitarra e finalmente terminando em 4/4.

Além dos resultados fascinantes que essa magia musicológica produz, havia um método por trás de toda essa loucura, assim como David Gilmour uma vez informou numa entrevista para a revista Guitar World: “É o riff de Roger Waters... Roger entrou com os versos e as letras da música 'Money' mais ou menos completos, e nós apenas criamos as seções intermediárias, os solos da guitarra e todas essas coisas”.

Explicando a sua contribuição para a canção, Gilmour acrescentou: “Nós também inventamos alguns riffs novos, criamos uma progressão 4/4 para o solo da guitarra e fizemos o pobre saxofonista tocar em compasso 7/4. Foi minha ideia quebrar tudo e deixar no seco e vazio para o segundo refrão do solo”.

A única coisa que ele deixou de mencionar foi o lindo som de guitarra que ressoa na música. É um som que agora reside com os ouvintes como inconfundivelmente de David Gilmour, casando ambos os tons fuzz gritantes com sons de blues mais cheios.


E liricamente é uma das melhores da banda e o solo da guitarra de Gilmour é uma obra de arte sutil, tornando-se facilmente um dos melhores números do PINK FLOYD.

Mas a inspiração para a música veio dos heróis da soul music, Booker T & The M.G's.

“Ser específico sobre como e o que influenciou esta canção - o que é sempre difícil - mas eu era um grande fã de Booker T”, disse Gilmour em outra entrevista, agora para a revista Rolling Stone. “Eu tinha o álbum 'Green Onions' quando era adolescente e na minha banda anterior estávamos passando por BEATLES, BEACH BOYS, coisas da soul music e tocávamos as músicas do disco ‘Green Onions’ nos shows, sabe? Eu gostava muito desse disco e foi algo que pensei que poderíamos incorporar ao nosso som sem que ninguém descobrisse de onde vinha a influência... E pra mim funcionou. Bons estudantes brancos de arquitetura inglesa ficando descolados é um pensamento meio estranho… Mas não é tão descolado assim (risos)”.


"Money"




Comentários


Mais Recentes
Destaques
bottom of page