top of page
  • by Brunelson

Metallica: a clássica canção com um erro de gravação no baixo


Normalmente, qualquer músico de metal precisaria de muita resistência e técnica para tocar corretamente um setlist inteiro em um show do METALLICA, caso tivesse que acompanhar a banda ao lado deles no palco. 


Por mais que o grupo tenha simplificado seu som na década de 90 a partir do "Black Album" (5º disco, 1991), cada música do seu período de glória do thrash metal nos anos 80 demonstra uma obra de arte em cada instrumento tocado. Mas embora fossem conhecidos como uma máquina de metal perfeita, um erro ficaria escondido à vista de todos em uma de suas canções mais icônicas.


Claro, quando a banda começou e como qualquer outra, não estava fora de questão ter alguns erros aqui e ali. Antes mesmo de terem um contrato formal com uma gravadora, grande parte do seu álbum de estreia, "Kill 'Em All" (1983), foi gravado de uma vez só, deixando pouco espaço para outras tentativas de gravação em uma música - com o guitarrista Kirk Hammett admitindo uma vez em entrevista um erro seu na gravação de uma música lançada nesse disco, "Seek & Destroy".



E dessa formação clássica do METALLICA da década de 80, o baixista Cliff Burton brilhou tanto quanto qualquer outro membro do grupo. Ele era um animal diferente sempre que mantinha o baixo ao redor de si, tocando músicas como se estivesse tocando solos em uma guitarra, como as épicas instrumentais "The Call of Ktulu", "Orion" e "Anesthesia", mostrando o lado mais sofisticado da banda. 


E outra música que o baixo de Burton assume o leme é a clássica "Master of Puppets", mas aqui, Burton comete um erro que pode passar despercebido para muitas pessoas, mas para alguns músicos com uma escuta mais técnica é possível perceber, mais especificamente quando ele toca a parte da ponte logo antes do refrão.


Saindo da seção de harmonia da guitarra de James Hetfield (frontman), a banda se fixa em um riff que termina com duas batidas em um power chords na nota C#. Em vez de tocar junto com o resto da banda, Burton toca acidentalmente uma nota Dó, criando um toque rapidamente discordante e que passou batido na gravação.


Embora possa ser considerado um erro, é um erro que deu certo, pois o ruído discordante fornece um grande tom de mau presságio que leva à próxima seção da música. Como Hetfield canta sobre os perigos das drogas que controlam o protagonista nas letras desta canção, este som distorcido poderia facilmente representar a droga cravando os dentes antes de Hetfield gritar: “Me conserte!", e o solo começar. 


Poderíamos dizer que foi um erro de bom gosto.


"Master of Puppets" (3º disco, "Master of Puppets", 1986)







































Kommentarer


Mais Recentes
Destaques
bottom of page