top of page
  • by Brunelson

Eddie Vedder: o vocalista que ele chamou de "o melhor cantor do planeta"


Qualquer pessoa familiarizada com o grunge provavelmente já se acostumou com muitas bandas que soam como se fosse o vocalista Eddie Vedder do PEARL JAM cantando as músicas.

Ao longo do seu tempo com o grupo, a habilidade de Vedder de recitar histórias intensas em seu canto de barítono se tornaria o modelo para a alma do rock alternativo, com todos, de STONE TEMPLE PILOTS (no início de carreira), PAW, CREED, NICKELBACK e alguns mais, tentando imitar a cadência e tom vocal de Vedder.

E enquanto o vocalista do PEARL JAM fazia o que vinha naturalmente, ele pensava que um dos seus contemporâneos com um timbre vocal ao oposto dele se destacava como um dos melhores cantores de todos os tempos.

Quando Vedder começou na indústria musical, ele nunca teve interesse em se tornar um dos maiores artistas do mundo. Como a maior parte da cena rock dos anos 80 era dominada por estrelas de bandas glam metal, Vedder se sentia mais do que confortável em ficar quieto, trabalhando como frentista em um posto de gasolina na cidade de San Diego, California, enquanto a sua banda de garagem não estava em compromisso.

Assim que Vedder conseguiu uma fita-cassete instrumental de um músico de Seattle chamado Stone Gossard, ele sabia que poderia ter algo com que pudesse realmente trabalhar no mundo da música. Terminando rapidamente as letras enquanto surfava do que se tornaria a clássica canção do PEARL JAM, “Alive” (1º disco, "Ten", 1991), ele retornou para a sua casa depois daquela session de surf e foi logo gravar os vocais em cima daquelas músicas instrumentais que havia recebido, sendo que depois, se aventurou a Seattle para se juntar aos seus futuros companheiros de banda, apenas para já marcarem o seu 1º show.

PEARL JAM nasceu das cinzas do MOTHER LOVE BONE. Ainda se recuperando do falecimento do vocalista Andy Wood, alguns músicos de Seattle estavam trabalhando em conjunto para gravarem um disco tributo a Wood.


Idealizado pelo vocalista do SOUNDGARDEN, Chris Cornell (que era amigo de Wood e dividiam o mesmo apartamento), ele chamou o baterista de sua banda, Matt Cameron (que se tornaria baterista do PEARL JAM a partir de 1998) e os ex-colegas de Wood do MOTHER LOVE BONE, o guitarrista Stone Gossard e o baixista Jeff Ament (ambos do PEARL JAM), para que, junto com o novo guitarrista do PEARL JAM, Mike McCready, eles formassem o TEMPLE OF THE DOG lançando seu disco homônimo em 1991.








E mesmo que um tímido Eddie Vedder que ainda não tinha gravado o álbum "Ten", que recebeu o convite de Cornell para fazer backing vocals em algumas músicas do TEMPLE OF THE DOG e tivesse a oportunidade de fazer um dueto vocal com Cornell na canção "Hunger Strike", ele não achava que o seu vocal chegaria perto do que o vocalista do SOUNDGARDEN conseguia fazer.

Ao falar sobre o alcance de Cornell após o fato, Vedder o consideraria um dos melhores em sua área, dizendo uma vez em entrevista: “Eu realmente gosto dos discos de Chris e acho que ele é o melhor cantor que temos no planeta. Conheci Chris quando me mudei para Seattle e começamos a andar juntos por aí”.

Em vez de tratar Vedder como um estranho, o vocalista do PEARL JAM ficaria grato por Cornell tê-lo colocado sob sua proteção durante aquela sessão de gravação inicial com o TEMPLE OF THE DOG, explicando: “Eu sinto que poderia estar muito orgulhoso disso, porque... Primeiro, eu não escrevi essas letras e músicas, e segundo, foi uma ótima maneira de ser introduzido pela 1ª vez em um vinil. Estarei sempre em dívida com Chris por ter sido convidado para cantar esta canção junto com ele".

Mesmo que o projeto TEMPLE OF THE DOG fosse temporário, Vedder continuaria levando o nome do grupo fazendo covers da canção "Hunger Strike" nos shows do PEARL JAM, quando entrou em cena com o lançamento do disco "Ten" e rapidamente transformando o PEARL JAM em uma das bandas de rock de maior sucesso da década de 90 e de todos os tempos, ao lado dos seus contemporâneos como o NIRVANA, SOUNDGARDEN e ALICE IN CHAINS.

E até a sua morte em 2017, Cornell ocasionalmente aparecia nos shows do PEARL JAM para cantarem juntos a música “Hunger Strike”, cada vez mais entregando os seus mesmos lamentos vocais característicos que cativaram Vedder quando se conheceram em 1990 e participaram juntos da gravação do álbum do TEMPLE OF THE DOG.



Alguns cantores podem ser capazes de interpretar as suas músicas de uma maneira específica, mas sempre que Cornell abria a boca para cantar, ele explorava certas emoções que dificilmente poderiam ser interpretadas por outros e muito menos expressas em simples palavras soltas em uma conversa.


“Hunger Strike” (Disco: "Temple of The Dog")


























Σχόλια


Mais Recentes
Destaques
bottom of page