top of page
  • by Brunelson

Radiohead: a história por trás da música "Bodysnatchers"


Quando somos questionados sobre os melhores álbuns do RADIOHEAD, as duas respostas mais comuns que escutamos são "OK Computer" (3º disco, 1997) e "In Rainbows" (7º disco, 2007).

Lançado com 01 década de diferença, o último citado combina a instrumentação do rock alternativo aos experimentos eletrônicos já explorados em seus álbuns anteriores. Independente de sua escolha, para ambos é seguro assumir que são obras-primas por si só, destacando a criatividade sem fim do RADIOHEAD e as suas habilidades musicais pioneiras.




O disco "In Rainbows" foi lançado pelo grupo como um download pré-pago em 2007, sendo que o ouvinte poderia escolher quanto queria pagar pelo álbum, tudo antes que a gravadora da banda colocasse o disco fisicamente à venda nas lojas. Liricamente, aqui o vocalista Thom Yorke se afastou de suas reflexões políticas habituais, para em vez disso incorporar temas e narrativas mais pessoais.

De acordo com Yorke, o processo inicial de composição e gravação desse disco foi desafiador: “Passamos muito tempo no estúdio sem ir a lugar nenhum, perdendo o nosso tempo e aquilo estava sendo muito, mas muito frustrante". Para desconhecimento de muitos, a banda até considerou se separar, embora no final das contas tenham decidido não fazê-lo, "porque quando você supera todas as merdas e besteiras, o núcleo dessas músicas acabou ficando muito bom", complementou Yorke.

Felizmente, o grupo continuou e acabou criando um dos seus melhores álbuns de sua discografia. O mesmo foi divulgado pelos singles das músicas "Jigsaw Falling Into Place", "Nude" e uma de suas melhores canções de toda a carreira, "Reckoner".

E outra música de destaque lançada no álbum "In Rainbows" é "Bodysnatchers", impulsionada por um riff agressivo e uma levada de bateria contagiante. Durante a gravação desse disco, a banda postava atualizações frequentes em seu site, com o guitarrista Ed O'Brien postando a declaração: "É sempre difícil julgar agora, mas acho que já podemos ter pronta a canção 'Bodysnatchers'".

Durante uma entrevista em 2006 para a revista Mojo, Yorke continuou descrevendo as inspirações por trás dessa música, descrevendo-a como: “Um pouco da banda NEU! encontrando o rock hippie e desonesto”. Yorke também descreveria histórias vitorianas de fantasmas como uma fonte de inspiração lírica.

E numa outra entrevista para a revista britânica New Music Express em 2007, o vocalista detalhou como foi intensa a gravação desta canção, revelando que os seus vocais foram concluídos somente em 01 tentativa.

Ele concluiu: “Eu tive essa coisa… Pouco antes de ficar doente, estava num estado de mania hiperativa por 120 horas e essa música foi gravada durante esse período. Eu me sentia genuinamente fora de mim quando gravamos esta canção. O vocal foi gravado somente em 01 tomada e não gravamos mais nada depois. Nós apenas regravamos a minha parte da guitarra porque eu estava tão fora de si que o meu jeito de tocar guitarra ficou uma porcaria, mas os meus melhores vocais são sempre aqueles que acontecem de uma vez só”.



"Bodysnatchers"




















Komentarze


Mais Recentes
Destaques
bottom of page