top of page
  • by Brunelson

Radiohead: as 02 músicas da banda que o vocalista Thom Yorke sentiu a necessidade de esclarecer


O extraordinário 4º álbum de estúdio do RADIOHEAD, "Kid A" (2000), foi um disco indutor de chicotadas sonoras e líricas do início ao fim.




Embora a banda já tivesse ultrapassado os limites do rock com o álbum anterior, "OK Computer" (3º disco, 1997), esse álbum ainda usava principalmente a música de guitarras como uma forma de explorar paisagens sonoras futuristas.

Já o disco "Kid A" era principalmente as paisagens sonoras assumindo o controle - a guitarra não era mais um instrumento necessário para os tipos de sons que a banda estava criando...

Assim como eles mudaram radicalmente quando se trata de música, o RADIOHEAD também foi mais fundo na toca do coelho em sua busca lírica.

É uma viagem que termina na última música do álbum, "Motion Picture Soundtrack". Uma bela e melancólica canção que narra a ingestão de vinho tinto e pílulas para dormir. O vocalista Thom Yorke entoa um entristecido adeus na parte final da música, prometendo: “Te vejo na próxima vida”.


A maior parte do álbum "Kid A" era um pouco opaca demais para ser vista na época do seu lançamento, mas parecia bastante óbvio que a canção "Motion Picture Soundtrack" preparava o cenário para um suicídio.

Mas a história não é assim, pelo menos de acordo com o próprio autor, Thom Yorke.


Para um artista que parece relativamente avesso a descrever as suas intenções e processos criativos, Yorke decidiu levar algum tempo para esclarecer algumas confusões quando se tratava de interpretar uma das músicas estatisticamente mais sombrias da banda.

Ao ser entrevistado pela Observer Music Magazine em 2007, Yorke foi questionado à queima-roupa se a canção "Motion Picture Soundtrack" envolvia um suicídio: “Não, a música ‘Motion Picture Soundtrack’ termina com pequenos ruídos angelicais, pelo que me lembro”, explicando que a frase "vejo você na próxima vida" se trata: "Não, isso poderia ser apenas dizer adeus a alguém que está morrendo. Eles não precisam fazer isso por conta própria, cara...", rebatendo ao jornalista: "Você só consegue ler suicídio na maioria das coisas, não é?"

Essa não foi a única música do RADIOHEAD que Yorke teve que esclarecer a mesma dúvida.

Na canção "High and Dry" lançada no 2º disco da banda, "The Bends" (1995), ela também foi considerada uma referência ao suicídio, principalmente nos versos: “Mate-se por reconhecimento / Mate-se para nunca mais parar”. Yorke da mesma forma insistiu que essas falas eram sobre postura e falsidade, em vez de um suicídio real.

Mas a reputação do RADIOHEAD sobre desgraça e melancolia nunca se afastou da banda, especialmente em seu último álbum de estúdio lançado desde então, "A Moon Shaped Pool" (9º disco, 2016).

"Motion Picture Soundtrack"


"High and Dry"


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page