top of page
  • by Brunelson

Radiohead: resenha sobre a canção "Fake Plastic Trees"


A música do RADIOHEAD, "Fake Plastic Trees", lançada no 2º álbum de estúdio em 1995, "The Bends", iria marcar novamente um capítulo na história da banda.

Um contraste gritante com os sons de rock surpreendentes que o grupo vinha trazendo, essa música também seguiu por outro caminho numa melodia mais lenta e melódica - vide a canção que fez a banda ficar conhecida no mundo inteiro, "Creep" (1º disco, "Pablo Honey", 1993).

Thom Yorke, vocalista e o principal compositor desta canção, lembrou como ela se originou de uma melodia com a qual ele “não tinha ideia do que fazer”. De qualquer forma, o produto final foi mais emocionante do que o esperado, com um conjunto de instrumentos liderando o caminho.

A música varia de sons regulares do violão de Thom Yorke, as guitarras de Jonny Greenwood e Ed O'Brien, a bateria de Phil Selway e o baixo de Colin Greenwood, até aos acompanhamentos mais incomuns de Caroline Lavelle no violoncelo, John Mathias no violino e Johnny Greenwood tocando uma melodia de órgão fantasmagórica.

Ou seja, facilmente tornando-a uma das canções mais ricas do RADIOHEAD.

Superficialmente, a música fala sobre o desejo de um relacionamento real em um mundo que está se tornando cada vez mais materialista. A ideia era fingir até que alguém conseguisse ou até que os drenasse. Mostrou a luta de alguém tentando desesperadamente acreditar que, o quê existia entre duas pessoas que estavam romanticamente envolvidas era "real" e colocando até a última gota do seu esforço para torná-lo real - em vão, é claro.

O narrador da música conta a história sobre a garota que ele amava, que vivia com um homem "quebrado" e a pretensão que ambos fizeram para fazer o seu amor parecer genuíno, sendo o narrador onisciente que ele viu através da fachada, mas se vendo preso entre ficar e fugir de sua amada, encerrando a canção com a nota de "isso me desgasta".

O início da canção veio num momento em que Thom Yorke estava em um dos pontos mais baixos de sua vida. Como Yorke disse mais tarde, a música "Fake Plastic Trees" foi: “O produto de uma piada que não era realmente uma piada, uma noite muito solitária de bebedeira e, bem, uma espécie de colapso”.

A criação da canção, como Yorke lembrou: “Não foi forçada de forma alguma... Na verdade, eu estava apenas gravando o que quer que estivesse acontecendo na minha cabeça. Eu escrevi essas letras e ri, porque achei elas muito engraçadas, especialmente aquela parte sobre poliestireno”.

Porém, o que se seguiu foi um processo de gravação tortuoso.

Inicialmente tentando gravar a música no RAK Studios em Londres, o guitarrista Ed O’Brien descreveu o som como "pomposo e bombástico". De volta ao Manor Studios, Thom Yorke foi convencido pelo produtor John Leckie a fazer outra versão da música. Devido ao seu baixo astral e frustração por ter que ficar no estúdio por longos períodos de tempo, o humor de Yorke ficou ainda mais agravado.

“Aquele foi um dos piores dias para mim”, disse Yorke, “gritei com todos e então, o nosso produtor mandou todo mundo embora. Ele me fez sentar numa cadeira para fazer a guia vocal na música ‘Fake Plastic Trees’”. O outro guitarrista da banda, Jonny Greenwood, acrescentou: “Thom a tocou em 03 tomadas e depois caiu em prantos”.

Depois de ser lançada, a canção "Fake Plastic Trees" mereceu o seu lugar como uma das músicas mais exclusivas do RADIOHEAD que circulam no mainstream.

No entanto, as suas lutas com a canção ainda não foram resolvidas.


Depois do enorme sucesso que a música "Creep" havia sido nos EUA, RADIOHEAD se deparou com outro desafio: criar uma canção igualmente poderosa que manteria a reputação que a música "Creep" ganhou para eles.

Mal sabia a banda que seria exatamente isso o que aconteceria com a canção "Fake Plastic Trees".

Após o término das gravações do álbum "The Bends", Thom Yorke ficou sabendo que a sua gravadora havia remixado a música sem a aprovação prévia da banda. Ele foi informado somente depois pela Capitol Records que eles estariam usando uma versão remixada, para a qual a resposta de Yorke foi: "De jeito nenhum". Ele ainda explicou, nessa entrevista que toda a banda havia concedido para a rádio BBC de Londres: "Todos os sons fantasmagóricos do teclado e as cordas estranhas gravadas, foram completamente eliminados de sua mixagem original, como se eles tivessem entrado com uma lâmina de barbear e cortaram tudo... Foi horrível".

Apesar de tudo, os vocais poderosos de Thom Yorke na clássica canção "Fake Plastic Trees", junto com o acompanhamento extraordinário dos instrumentos, realmente mostraram a versatilidade do RADIOHEAD como uma banda de rock alternativo e os estabeleceram como sendo mais do que apenas um grupo de 01 sucesso só.

Essa música se tornou uma das mais populares entre a infinidade de canções famosas que o RADIOHEAD ainda lançaria em sua carreira.

"Fake Plastic Trees"


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page