top of page
  • by Brunelson

Pearl Jam: "estávamos convencidos de que ele era um serial killer”, sobre as letras da música "Dirty Frank"


Em 2009, o FBI fez um levantamento surpreendente entre mais de 500 mulheres vítimas de crimes em rotas de transporte rodoviário de longa distância em todo os EUA. Infelizmente, acredita-se que a natureza livre, o isolamento e a oportunidade de uma profissão itinerante, se prestam aos seriais killers. 


Enquanto estavam em turnê em 1991, PEARL JAM começou a temer que o motorista do ônibus de turnê do grupo fosse um serial killer.


A vida na estrada pode ser difícil e tensa, mas temer a sua própria vida por causa do comportamento demente dessas pessoas não é um dos problemas normais enfrentados no dia a dia. Então, talvez para servir de prova caso algo acontecesse, a banda decidiu escrever uma música sobre seu motorista de ônibus. 


“Na época, tínhamos um motorista de ônibus chamado Frank, a quem chamávamos de ‘Dirty Frank’, porque tínhamos medo dele”, lembrou o guitarrista Mike McCready em entrevista ao diretor de filmes e documentários, Cameron Crowe.


“Pensamos que ele poderia ser um serial killer e que iria me comer”, acrescentou McCready. “É que a galera da banda estava apenas zoando comigo, porque naquela época eu era o cara mais magro da banda e não teria muita carne em mim para ele comer”. 


Essa piada interna se transformou na canção lado-b chamada "Dirty Frank". Eles criaram essa história macabra temendo que seu motorista de ônibus estivesse matando pessoas enquanto eles se apresentavam nos shows: “Roubamos a parte do meio da música do RED HOT CHILI PEPPERS, pois estávamos juntos nessa turnê em 1991 abrindo os shows para eles”.


Embora possa parecer uma história cômica, eles tinham preocupações genuínas com sua segurança: “Estávamos convencidos de que ele era um serial killer”, concluiu mais uma vez McCready em entrevista agora para a revista Guitar World. “Encontraríamos pilhas de latas de cerveja vazias sob o banco do motorista depois de uma noite inteira dirigindo. Era como: ‘Cara! Estou feliz por ainda estarmos vivos!'"


O riff da canção "Dirty Frank" era uma sobra de estúdio do álbum "Ten" (1º disco, 1991) e a sua composição final e letras foram finalizadas durante essa turnê divulgando o seu álbum de estreia. Em 2003, ela ganharia o seu lançamento oficial quando o PEARL JAM lançou a sua coletânea de sobras de estúdio e covers, "Lost Dogs".


Felizmente, o motorista Frank não foi formalmente ligado a nenhum crime.




"Dirty Frank"










































Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page