top of page
  • by Brunelson

Stone Gossard: guitarrista escolhe a música do Pearl Jam com as "letras preferidas"


Toda grande música do PEARL JAM geralmente remonta à mente de Eddie Vedder.

Mesmo que o resto da banda tenha que ter a mesma importância, a maior parte do ethos por trás do grupo vem da personalidade que Vedder transmite em cada canção, seja gritando de raiva desafiadora ou tentando encontrar algum tipo de paz dentro de si e de sua mente com a sua voz arrebatadora.

Embora Vedder possa parecer que está sempre no comando do navio, o PEARL JAM começou na verdade na mente do guitarrista Stone Gossard e do baixista Jeff Ament muito antes de Vedder embarcar.

Formado a partir das cinzas do MOTHER LOVE BONE (que foi a 2ª banda do recinto grunge de Seattle a assinar com uma grande gravadora), Gossard e Ament estavam inicialmente procurando por vocalistas depois que o cantor de sua banda, Andrew Wood, havia falecido em 1990. Quando selecionaram Vedder e foram trabalhar no álbum de estreia do PEARL JAM, "Ten" (1991), Gossard seria responsável pela maior parte dos riffs, incluindo o enorme hino de rock de estádio, a canção "Alive".

Porém, assim que o resto do grupo se sentiu confortável em compartilhar ideias, Gossard se veria em 2º plano, com Vedder tentando ditar para onde o resto da banda iria. Sendo o rosto principal do grupo, Vedder nunca se sentiu confortável na pele de uma celebridade e passaria a fazer músicas deliberadamente anticomerciais em álbuns como "Vitalogy" (3º disco, 1994) e "No Code" (4º disco, 1996).

Na época do álbum "No Code", essa experimentação resultou em explorações em vales profundos, levando o grupo a trazer de volta o leme do navio para retornar ao seu curso quando foram gravar o álbum "Yield" (5º disco, 1998). Embora esse álbum ainda compartilhe algumas estranhezas sonoras em comum com os últimos 02 discos, os grandes riffs foram lançados com força total, desde a potente abertura com a canção "Brain of J", passando por uma das melhores músicas da banda, "Faithfull", e gerando uma das canções mais conhecidas do grupo, "Do The Evolution".

E ao trabalhar em possíveis singles para o disco "Yield", Gossard tinha um riff enorme na manga com a música "Do The Evolution". Utilizando cordas abertas, a canção sai em disparada antes que Vedder entre gritando, falando sobre uma espécime chamada de ser humano que se vê como uma raça superior e quer atropelar qualquer outra espécie em seu caminho - ou o próximo da sua própria raça.

Embora Gossard recebesse o crédito por ter criado esse riff, ele admitiria que a música apresenta algumas das letras favoritas do PEARL JAM, lembrando no livro "PJ20" (2011): “Acabamos usando apenas a versão da gravação demo desta canção para a gravação final, o que é realmente emocionante. Eu toquei o baixo e um monte de guitarras na gravação demo e é provavelmente uma das minhas letras favoritas que já ouvi Eddie Vedder cantar, no que diz respeito ao sarcasmo e ao ângulo que ele abordou”.

Esse sarcasmo é espalhado em toda a música e especialmente palpável na seção de detalhamento depois que Vedder fala sobre cantar no coral, o que dá lugar a um coro simulado cantando "Hallelujah" atrás dele. Considerando como o narrador está usando a religião como uma ferramenta contra qualquer um que fale contra ele, essa ligeira diversão pode muito bem ser cantada em tom de brincadeira, como se a sua congregação mal pudesse acreditar na besteira que tal religião está tentando transmitir - ou que fizeram forçadamente no passado.

Embora Vedder ainda não se sentisse confortável em falar à imprensa nessa época, a música "Do The Evolution" se tornaria a 1ª do PEARL JAM desde 1992 a ter um videoclipe - mesmo com os membros da banda não aparecendo no clipe - com uma animação de tirar o fôlego girando em torno do fim do mundo pela mão do homem, se transformando numa mensagem poderosa e um verdadeiro tapa na cara.

É a evolução, baby.



"Do The Evolution"































Comentarii


Mais Recentes
Destaques
bottom of page