top of page
  • by Brunelson

John Bonham: qual música é tão complexa que o baterista do Led Zeppelin só a tocou 01 vez nos shows?


Havia duas forças concorrentes quando se tratava do LED ZEPPELIN.

Uma delas eram os simples 12 compassos e 03 acordes principais do blues, mas a outra, bem, a outra veio à tona quando eles foram coroados a maior banda de rock de todos os tempos, enquanto a revista Planet Rock realizava uma pesquisa pedindo que o seu público votasse para seu cantor, guitarrista, baixista e baterista preferidos.

Porém, o supergrupo que essa enquete fantasiosa criou já existia. Se chamava LED ZEPPELIN, com cada integrante ganhando a sua respectiva categoria.

Em suma, os seus princípios centrais podem ter sido estruturados em torno da simplicidade, mas eles estavam repletos de uma musicalidade monumental em suas veias. Um exemplo seria a música "Black Dog" (4º disco, "Led Zeppelin IV", 1971), uma canção que poderia soar simples nas mãos de outra banda, mas que o LED ZEPPELIN conseguiu criar uma estrutura de tempo bastante complexa.

Mesmo assim, o grupo conseguiu tocar a música "Black Dog" em brilhantes 230 ocasiões ao vivo. Afinal, eles eram uma banda ao vivo.

Como disse Jorgen Angel, o fotógrafo que capturou o 1º show do LED ZEPPELIN: “Quando eles subiram ao palco, foi algo muito especial, diferente e espetacular. Eles estavam cheios de energia e eram diferentes das outras bandas”. Para alguns, os floreios musicais de outros artistas que eles misturaram em seu blues foram simplesmente exagerados, mas para outros, eles foram virtuosos ultrapassando os limites do rock.








Porém, uma canção lhe deixaram "encalhados" pela sua própria técnica, por assim dizer...

John Bonham é considerado por muitos o melhor baterista do rock'n roll de todos os tempos e testemunho disso é a influência que ele ainda exerce sobre artistas e bandas até hoje, com vários depoimentos e sonoridades fazendo referência a ele em pleno século atual, no entanto, o seu próprio "personagem" não poderia ajudá-lo a sair de uma enrascada em que o LED ZEPPELIN se meteu ao criar a canção "Four Sticks", também lançada em seu 4º álbum de estúdio.



Se trata de uma seção melancólica sinuosa que ninguém menos que o beatle George Harrison havia dito a eles que deveriam oferecer uma mudança de ritmo para essa música. E para conseguir isso, eles adotaram uma abordagem literal e fizeram a transição da estrondosa seção principal do compasso 5/4, flutuando repentinamente para o sonhador compasso 6/8 e voltando para o insistente riff principal sem perder o ritmo.

E gravar essa estranheza rítmica foi difícil, quanto mais tocá-la ao vivo.

“Levou séculos para conseguir tocar a bateria na canção 'Four Sticks'”, lembrou o baixista John Paul Jones sobre as lutas raivosas de Bonham durante a gravação. “Eu parecia ser o único que realmente conseguia contar os compassos. Jimmy Page (guitarrista) tocava alguma coisa e John dizia: 'Isso é ótimo, mas onde está a primeira batida?' Ele não conseguia contar o tempo do que estava tocando. Se trata de uma ótima frase musical, mas você não poderia relacioná-la somente a uma simples contagem. Se você não tem certeza onde a contagem ‘1’ está e a está contando errado, você está completamente ferrado”.

Em outras palavras, a banda estava cantando a mesma partitura, mas em idiomas diferentes, com o autodidata John Bonham, por incrível que pareça, meio perdido.

Talvez isso não tenha sido tão surpreendente, assim como disse Jimmy Page: “Essa música deveria ser abstrata”. Sendo o coração da banda, isso fez Bonham olhar para um rosto e perguntar onde ficava o nariz. No final das contas, Bonham conseguiu gravar a bateria em apenas 02 tomadas, mas não porque ele tinha acertado em cheio, mas como Page explicou: "Porque era fisicamente impossível para ele fazer outra tomada”.

Bonham havia se inspirado, junto com uns goles de cerveja, na clássica canção de Little Richard, "Keep a Knockin'', originalmente tocada pelo lendário Charles Connor, que James Brown declarou ter sido "o 1º baterista a colocar o funk rock num ritmo". Assim, você também pode considerar isso como uma marca da obra extremamente eclética do LED ZEPPELIN, onde há até um eco de funk rock nessa música e em outras no repertório da banda.

No final, Bonham se recusou a ser derrotado e até voltou para mais uma tomada depois que a sua 1ª tentativa havia sido estabelecida no estúdio, sendo que o som do estalo que você consegue ouvir na gravação é Bonham se apressando no estúdio para a sua 2ª tentativa para tocar a bateria com uma baqueta extra em cada mão, por isso que esta canção é chamada de "Four Sticks".

Além do mais, ele até declarou vitória consumada sobre o seu inimigo ao tocá-la ao vivo, o que aconteceu somente 01 vez em toda a história num show na Dinamarca. Essa música se trata simplesmente de um passeio triunfante sobre assinaturas de tempo que vive para contar a história.


"Four Sticks"
















Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page