top of page
  • by Brunelson

David Gilmour: qual a sua música preferida de Jimi Hendrix?


O debate sobre quem foi ou é o maior guitarrista de todos os tempos, geralmente passa pela lista familiar de nomes como Jimmy Page, Eric Clapton, David Gilmour, Rory Gallagher e tantos outros, antes de chegar a Jimi Hendrix em 1º lugar.

Isso levanta a questão: o que faz de Hendrix estar acima de todos, sendo que quase todos eles nomeiam Hendrix como o melhor de todos os tempos?

Como a maioria dos seus contemporâneos, Hendrix também tinha uma predisposição genética para o reconhecimento do tom, uma das habilidades mais importantes na música. Esse dom permitiu a Hendrix aprender a tocar violão sem um livro teórico de regras ou fazendo aulas num conservatório de música. Porém, alguns dos maiores guitarristas desenvolveriam as suas habilidades graças a guias teóricos complicados.

Embora a teoria seja vital para aprender um instrumento e especialmente a composição de canções - dados alguns acordes básicos e compassos suficientes para sentir cada nota e embelezar uma canção - em contraste, Jimi Hendrix iria agir de forma totalmente intuitiva.

Com o seu estilo único e dedos rápidos, Hendrix conseguiu impressionar uma geração de guitarristas aspirantes e consagrados. Curvando-se aos pés de Hendrix durante o seu mandato tragicamente curto na cena do rock, estavam nomes como Eric Clapton, Pete Townshend, Jimmy Page e Jeff Beck.

Em meados dos anos 60, um David Gilmour na pré-fama também se deslumbrou com a força do virtuosismo de Hendrix.


Enquanto Gilmour aprendeu a teoria básica de um livro de aulas de violão de Pete Seeger na sua adolescência, ele se tornou o mestre dos solos de rock progressivo sendo o guitarrista do PINK FLOYD e ouvindo atentamente aos seus ídolos.


E a inspiração inicial de Gilmour, assim como foi para a maioria dos rockstars dos anos 60 e 70, estava enraizada nos atos de R&B dos anos 50.

Em entrevista para a revista Guitar Classics em 1985, perguntaram a Gilmour se ele começou tocando guitarra como um fã de blues: “Eu era um fã de blues, mas também um fã de música em geral”, ele respondeu. “Pra mim, foi o artista Leadbelly através de B.B. King e mais tarde Eric Clapton, Roy Buchanan, Jeff Beck, Eddie Van Halen e qualquer um que você mencione. Mark Knopfler tem um estilo de guitarra adorável, refrescante e ele trouxe de volta algo que parecia ter se perdido na guitarra”.

Então, o jornalista perguntou se Gilmour tentou emular outros músicos durante a sua ilustre carreira: “Claro, havia muitos. Eu estava tentando aprender tocar num violão de 12 cordas assim como Leadbelly tocava, ao mesmo tempo em que tentava aprender violão solo como Hank Marvin e depois como Eric Clapton. Todas essas coisas diferentes tiveram os seus momentos e foram filtradas pelo meu processo de aprendizado. Hoje em dia não ouço música de outras pessoas com o objetivo de tentar 'roubar' os seus licks, embora não tenha objeções em 'roubá-los' se isso parecer uma boa ideia. Tenho certeza de que ainda sou influenciado também por Mark Knopfler e Eddie Van Halen”.

Em uma aparição no programa da BBC Radio 2, Gilmour foi perguntado a escolher as suas músicas favoritas de todos os tempos. As suas seleções incluíam Leadbelly, THE BEACH BOYS, BEATLES e outros.

Em homenagem ao guitarrista favorito de quase todos os guitarristas, Gilmour também escolheu a canção “The Wind Cries Mary” de Jimi Hendrix.

“Jimi Hendrix foi fantástico!”, disse Gilmour. “Fui a um clube no sul de Kensington em 1966 (bairro em Londres) e esse garoto subiu ao palco com uma guitarra para destro e a começou a tocar de cabeça pra baixo sem inverter as cordas. Eu e todo mundo que estava lá assistindo ficamos de boca aberta”.


Gilmour finalizou: “No dia seguinte, fui às lojas de discos de Londres e perguntava: 'Você tem alguma coisa desse cara, Jimi Hendrix?' e eles me disseram: 'Bom, nós temos um artista chamado James Hendrix'. Ele ainda não havia lançado nada, então, me tornei um fã ávido esperando por seu 1º lançamento. Além disso, a canção 'The Wind Cries Mary' é uma de suas belas baladas que eu realmente amo”.


“The Wind Cries Mary” (1º disco, "Are You Experienced", 1967)




















Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page