• by Brunelson

Stevie Ray Vaughan: conheça os seus guitarristas preferidos de todos os tempos


Stevie Ray Vaughan é corretamente considerado um dos melhores guitarristas de todos os tempos, um fator que contribui para o motivo dele ter gente como David Bowie e Eric Clapton fazendo fila para trabalhar com ele.

Seus colegas e contemporâneos o reverenciavam colocando-o ao lado deles, um talento verdadeiramente incrível que teve a sua vida roubada em um acidente trágico e cruel quando ele tinha apenas 35 anos de idade.

No entanto, o que Vaughan conquistou em sua curta, mas frutífera carreira, permanecerá nos livros e áudios da história para sempre. A razão pela qual o guitarrista se tornou um dos melhores no negócio pode ser atribuída ao seu gosto imaculado, que ajudou a moldar o artista que ele se tornaria.

E os seus músicos favoritos são alguns dos maiores de todos os tempos.

Vaughan foi um personagem tão influente que, embora nunca tenha se tornado a maior estrela do planeta durante seu tempo na Terra, ele teria seu maior sucesso comercial após a sua morte. Vaughan iria inspirar toda uma nova geração de guitarristas que nunca conseguiram retratar o seu enigmático e único estilo de blues, mas apenas por ouvi-lo, fez com que muitos nomes reconhecíveis quisessem pegar uma guitarra. Mesmo que eles não pudessem necessariamente tocar o instrumento como ele, músicos iniciantes tentariam ser grandes por si mesmos, assim como Vaughan fazia com os guitarristas com quem cresceu.

Um guitarrista que foi surpreendentemente inspirado pela lenda do blues é Kirk Hammett do METALLICA, que diria numa entrevista: "É definitivamente verdade que Stevie Ray Vaughan é um dos meus guitarristas favoritos de todos os tempos", quando o guitarrista do METALLICA disse para a revista Guitar World. “Ironicamente, nunca gostei muito de Stevie enquanto ele estava vivo. Então, logo depois que ele morreu, peguei um vídeo dele tocando num show e fiquei totalmente encantado com o seu ritmo, tom, sensação, vibrato, fraseado, tipo, tudo! Algumas pessoas nascem para tocar guitarra e Stevie foi definitivamente uma delas”.

Stevie Ray Vaughan havia conversado com a mesma revista em 1984, uma época em que ele falou sobre os seus heróis da guitarra e na verdade, só haveria um nome no topo da lista: “Eu gosto muito de Jimi Hendrix” o saudoso Stevie Ray Vaughan lembrou sobre o seu guitarrista preferido. “Ele era muito mais do que apenas um guitarrista de blues. Ele poderia fazer qualquer coisa. Eu tinha cerca de 16 anos de idade quando ele morreu. Eu até poderia fazer algumas das coisas que ele fazia, mas bem na verdade mesmo, ultimamente estou tentando descobrir tudo o que ele estava fazendo, tipo, mais do que eu realmente possa aprender, sabe? Estou tentando expandir isso - não que eu possa expandir muito - mas eu tento humildemente".

Vaughan passou a falar sobre alguns dos outros heróis da guitarra que ele cresceu idolatrando, uma série de nomes que o seu estilo eventualmente se tornou um amálgama de: “Eu comecei tentando copiar licks de guitarras dos discos de Lonnie Mack. Ele foi uma influência muito grande pra mim”, admitiu. “E o meu irmão mais velho, Jimmie, costumava trazer para casa discos de B.B. King, Albert King, Albert Collins e caras como Hubert Sumlin, Buddy Guy e todos eles”.

Seu irmão Jimmie, que Vaughan mencionou ser outra influência significativa, foi o primeiro talento que ele tentou imitar: “Jimmie deixava as suas guitarras pela casa e me dizia para não tocá-las. E foi basicamente assim que comecei... Na verdade, queria ser baterista, mas eu não tinha uma bateria, então, eu apenas examinei o que estava disponível pra mim na época”, observou Vaughan.

Django Reinhardt é outro ícone da música que Vaughan chegou a dizer que estava em um nível semelhante a Jimi Hendrix - que é o maior elogio que você poderia desejar: “Pra mim, Django e Jimi estavam fazendo a mesma coisa de várias maneiras diferentes. Django faria isso com um violão e Jimi faria isso na eletricidade da guitarra, usando feedbacks e outras coisas. Em vez de usar feedback, Django apenas agitava as suas cordas como um louco e nenhum deles seguiam fórmulas, eles simplesmente fizeram”.

“Django não tinha um livro ou algo para emprestar de alguém, porque ele escreveu o livro. O mesmo aconteceu com Jimi. Ninguém estava fazendo aquele tipo de coisa elétrica que ele fazia. Jimi Hendrix simplesmente criou aquilo”.

A razão pela qual Vaughan se tornou um guitarrista único é que ele não foi criado com uma dieta exclusiva de apenas um tipo de toque, o que se tornou num artista que criou um som muito dinâmico.

É também por isso que, depois de 30 anos da sua morte, a quantidade de pessoas que o reverenciam abrange tantos campos diferentes e até "infectou" Kirk Hammett do METALLICA, que é um exemplo de alguém que Vaughan ainda vive.

Confira o show completo de Stevie Ray Vaughan no Montreux Jazz Festival em 1985:


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead