top of page
  • by Brunelson

The Who: a história por trás da música "Baba O'Riley"


"Baba O’Riley", a icônica música de abertura do álbum de 1971 do THE WHO, "Who’s Next" (5º disco), tornou-se um dos sucessos mais instantaneamente reconhecíveis da banda. Escusado seria dizer que a música colhe a sua identidade única através do ostinato futurista que leva junto com a bateria na introdução e sustenta a música do começo ao fim.

Essas notas repetidas foram originalmente gravadas pelo guitarrista Pete Townshend em um órgão Lowrey Berkshire Deluxe TBO-1 em seu próprio estúdio caseiro. A intenção era criar “uma réplica da música eletrônica do futuro”. Nisso ele conseguiu e nem precisou de um sintetizador para criar este som.

Townshend inicialmente tentou executar os arpejos através de um sintetizador/sequenciador ARP, mas não conseguiu obter o som que procurava. No final das contas, ele conseguiu alcançar o som da canção "Baba O’Riley" usando a configuração chamada “repetição de marimba” em seu órgão Lowrey para criar esse padrão de repetição arpejado.

A letra da música não contém nem conota nada a ver com alguém chamado Baba O’Riley. Na verdade, o nome é uma referência a 02 pessoas importantes na vida de Townshend.

A letra foi tirada de uma ideia anterior em que a banda estava trabalhando, com Townshend certa vez comentando sobre a parte “teenage wasteland” do refrão: “Um grupo familiar autossuficiente que abandonou a agricultura em uma parte remota da Escócia, decide retornar ao Sul para investigar rumores de um concerto subversivo que promete abalar e acordar uma sociedade britânica apática e medrosa. Ray é casado com Sally e eles esperam se unir à filha Mary, que fugiu de casa para assistir a este show. Eles viajam pelas terras devastadas do centro da Inglaterra em uma caravana com ar condicionado, o que esperam protegê-los da poluição”.

Townshend adicionou: “Existem pessoas normais, mas são a escória da superfície. Há alguns agricultores lá e é aí que entra a coisa do nome 'Baba O’Riley'. São principalmente jovens que são filhos de agricultores cujos pais não têm dinheiro para comprar ternos caros para eles, então, há apenas a escória, como esses dois velhos que andam por aí em uma velha limusine Cadillac e tocam discos antigos do THE WHO em seu toca-fitas..."

Este conceito lírico foi fundido com a seção de órgão na música, que ganhou esse nome através das 02 pessoas que inspiraram a ideia da seção instrumental de som futurista, Meher Baba e Terry Riley.



Para a ópera rock (inacabada) que Townshend estava criando e que iria seguir o álbum "Tommy" de 1969 (4º disco), a banda estava experimentando algumas ideias novas e esse acompanhamento se chamaria "Lifehouse".

Townshend concluiu: “Para a série 'Lifehouse', queríamos usar experimentos de música eletrônica que envolviam a tentativa de usar informações estatísticas sobre pessoas para fazer música aleatória. Você coloca a sua altura, peso, detalhes astrológicos, a cor da sua pele e o comprimento do seu cabelo, e você vai e escolhe uma peça musical de fundo… Pensei em começar com um experimento baseado nas estatísticas do meu mestre indiano na época, Meher Baba. Quando terminei, fiquei surpreso ao saber que o resultado final parecia muito com uma peça de um compositor americano chamado Terry Riley de quem eu gostava muito na época. Então, chamei a canção de 'Baba O’Riley'”.


"Baba O’Riley"





























תגובות


Mais Recentes
Destaques
bottom of page