• by Brunelson

The Who: resenha do álbum "My Generation"


É difícil avaliar com precisão o impacto do THE WHO quando eles entraram em cena no ano de 1965, depois de 57 anos em atividade.

Antes do grupo britânico fazer o seu nome, simplesmente não havia ninguém tão enérgico, frenético e feroz quanto o guitarrista Pete Townshend, o vocalista Roger Daltrey, o baterista Keith Moon e o baixista John Entwistle. Embora a banda tenha progredido ao longo de uma série de anos e lançamentos, o seu álbum de estreia, "My Generation" (1965), desembarcou com um baque sincero e abrasador na cena musical.


* The Who: confira 1ª apresentação da canção "My Generation" na TV em 1965


* The Who: a história por trás da clássica canção "My Generation"

Impulsionado pelo sucesso de bandas como os BEATLES e ROLLING STONES, Pete Townshend estava determinado a fazer do THE WHO um sucesso. No entanto, onde essas bandas dependiam da música do passado para se apoiar fortemente ao fazer as suas estreias, Townshend sabia que o THE WHO tinha que ser o mais original possível, muito mais porque os grupos mencionados tinham mudado a cena musical e escrever as próprias canções era imperativo para o sucesso.

Mas principalmente porque, como o título do álbum sugere, o grupo fazia parte de uma nova geração de crianças e adolescentes que não estavam dispostas a seguir nenhum plano estabelecido na sua frente.

Lançado em 03 de dezembro de 1965, o disco "My Generation" é mais notável por sua faixa-título, mas o álbum tem muito mais a oferecer do que muitos sugerem. Embora o grupo estivesse insatisfeito com esse disco quando foi lançado, o mesmo passou a ser um dos álbuns definitivos da década e rapidamente colocou o grupo sob a mente de todos os adolescentes do mundo ocidental.

E na verdade, era um disco que Townshend já estava compondo há alguns anos.

O guitarrista e principal compositor da banda, Pete Townshend cresceu dentro de uma família musical e o seu desejo de estar em um grupo era algo que ele sempre quis. Conhecendo Roger Daltrey e John Entwistle na escola primária e mais tarde se unindo a Keith Moon para formar o THE WHO como o conhecemos, a banda rapidamente começou a alcançar fama e fortuna.

THE WHO encapsulou os ideais do blues do passado e os provocavam ainda mais ao espelhar a ferocidade de bandas como THE KINKS. Logo, eles tinham um som do qual se orgulhavam e estavam começando a chamar a atenção das pessoas em todo o país. Um álbum estava a caminho e o grupo começou a criar um dos discos mais importantes na história do rock.

É realmente difícil olhar além da música "My Generation" como o momento de destaque do álbum, em grande parte porque realmente é, mas isso não significa que o resto do disco não seja cheio de joias também. A canção que abre o álbum, "Out in The Street", é uma música de rock corajosa que merece mais elogios do que recebe atualmente. Outra música igualmente esquecida é "The Good's Gone", que mostra o estilo único da guitarra de Townshend em primeiro plano. "The Kids are Alright" é sem dúvida uma das melhores canções da banda, enquanto a música "Please, Please, Please" é outro tormento sonoro. "The Ox", uma canção que toda a banda recebe o crédito, é uma peça genuína de brilho mais parecida como uma jam session entre os 04 músicos altamente qualificados.

Simplificando, o disco "My Generation" faz exatamente o que diz na lata, definindo toda uma geração de crianças. Uma nova safra de amantes da música que foram influenciados pelo blues das antiga, mas agora estavam desesperados pelo seu próprio som, seu próprio estilo e sua própria geração.

Felizmente, o THE WHO estava lá para dar isto a eles e para as futuras gerações.


Track-list:


1. Out in The Street

2. I Don't Mind

3. The Good's Gone

4. La La La Lies

5. Much Too Much

6. My Generation

7. The Kids are Alright

8. Please, Please, Please

9. It's Not True

10. I'm a Man

11. A Legal Matter

12. The Ox

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques