top of page
  • by Brunelson

Soundgarden: a faixa da banda que faz uma paródia ao "conceito" sobre o heavy metal


SOUNDGARDEN tinha uma relação "complicada" com o heavy metal.

Quando eles entraram em cena com o seu 1º EP em 1987, "Screaming Life" - desde 1984 já fazendo shows e sendo respeitado em Seattle e região - o gênero do metal parecia ter uma relevância cada vez menor. No final dos anos 80, um novo som estava sendo introduzido com o grunge e era mais confuso que o metal, mas carregava o mesmo nível de angústia.


Ao lado de nomes da mesma cidade natal como GREEN RIVER, MELVINS, SKIN YARD, SCREAMING TREES, TAD, MUDHONEY, ALICE IN CHAINS, NIRVANA, MOTHER LOVE BONE e depois com o PEARL JAM (entre outros), o SOUNDGARDEN inaugurou o som grunge com um movimento arrebatador e devastador.

E no caso do SOUNDGARDEN, a imprensa musical tinha a tendência de olhar para trás declarando o grupo como "o novo LED ZEPPELIN" em um descuido bizarro de afirmação, onde focaram mais no estilo vocal de Chris Cornell.


É claro que o SOUNDGARDEN apresenta riffs a la Jimmy Page (guitarrista do LED ZEPPELIN), mas Cornell era frequentemente apontado como a encarnação única de Robert Plant (vocalista do LED ZEPPELIN), sendo também um frontman de cabelos compridos e ágil com a sua voz, a qual poderia encantar estádios inteiros.

E como é de conhecimento de todos, o grunge foi um amálgama essencialmente entre o punk rock e o heavy metal, onde cada banda do recinto iria delinear mais para um lado do que o outro em sua sonoridade. Ainda assim, algumas bandas grunge não gostavam da comparação constante com as suas contrapartes do metal, o que explica de alguma forma o conceito da música do SOUNDGARDEN chamada "665".

Essa faixa, lançada no álbum de estreia do grupo, "Ultramega OK" (1988), chegou como um golpe muito velado na preocupação do metal com imagens satânicas.

Escrita pelo baixista original do SOUNDGARDEN, Hiro Yamamoto, o título da música - um número antecessor ao número da besta - não foi o único golpe no metal. Quando tocada ao contrário, Cornell pode ser ouvido declarando: “Eu preciso de você, bebê Noel”.

A faixa do SOUNDGARDEN foi para parodiar os sucessos do heavy metal que supostamente incluem mensagens satânicas ocultas (ou não tão ocultas assim). Cornell chegou a dizer em entrevista que: "A associação entre magia negra e música rock é nada menos que ridícula".

Embora o SOUNDGARDEN fosse tipicamente mais sinistro e cru em sua abordagem em comparação aos seus contemporâneos, a faixa “665” foi um bom exemplo do seu humor irônico. Ao longo de sua carreira, o grupo foi se acostumando com as comparações que a mídia fazia do SOUNDGARDEN com bandas de heavy metal, com Cornell falando: “Poderia ser pior, eles poderiam ter me comparado a Jim Morrison (vocalista do THE DOORS)”.

Cornell finalizou, para apagar de vez as comparações de sua banda com o LED ZEPPELIN: “Todas as comparações com o LED ZEPPELIN se tornaram uma pedra no sapato da banda. Quero dizer, o LED ZEPPELIN nunca foi uma banda preferida de ninguém da nossa banda e para falar a verdade, não ouço muito LED ZEPPELIN em nosso som, exceto que às vezes eu canto em falsete alto, mas não escrevemos músicas sobre magos, espadas ou qualquer uma dessas merdas de masmorras e dragões”.



"665"


































Commenti


Mais Recentes
Destaques
bottom of page