top of page
  • by Brunelson

Chris Shiflett: guitarrista do Foo Fighters escolhe a sua música preferida da banda


FOO FIGHTERS é a coisa mais próxima de uma banda de irmãos no mundo do rock.


Mesmo após a trágica morte do seu baterista em março de 2022 e que estava há 25 anos no grupo, Taylor Hawkins, o frontman Dave Grohl está determinado a manter o espírito do FOO FIGHTERS realizando shows com os seus irmãos, já que todos mantêm as coisas unidas para trazer a mesma energia que tinham.

Mas quando a banda entrou nos anos 2000, havia uma boa chance de nunca mais ouvirmos falar do FOO FIGHTERS.

Depois de gravar o álbum "There is Nothing Left to Lose" como uma banda power trio (3º disco, 1999), foi quando o guitarrista do grupo, Chris Shiflett, entrou no FOO FIGHTERS e o caminho para fazer o álbum seguinte, "One By One" (4º disco, 2002), foi desastroso, com Grohl nunca pensando que o grupo estava gravando corretamente no estúdio.






Embora Shiflett ficasse muitas vezes frustrado por não fazer nada durante as sessões de gravação desse álbum na 1ª de 02 tentativas que a banda fez para gravar, ele destacou um dos sucessos do disco como a sua canção favorita do FOO FIGHTERS.

Ao ser entrevistado pelo site On The Guest List, Shiflett apontou a música "All My Life" como a sua canção favorita do FOO FIGHTERS, dizendo: “Eu me lembro de quando Dave nos deu as gravações demo desse álbum e ainda não havia vocais nela. Essa é uma música alucinante porque, ao meu ouvido, esse riff é o gancho. Às vezes é a melodia vocal, às vezes é tanto faz, mas sempre volta para aquele riff da guitarra”.

E o caminho para gravar o álbum "One By One" não foi a experiência mais agradável para Shiflett que estava gravando o seu 1º disco com o grupo, onde mais tarde ele lembraria no documentário do FOO FIGHTERS, "Back and Forth" (2011): “A energia foi uma droga. Eu ficava sentado lá no estúdio, só pensando que iria ficar parado sem fazer nada, tomando café e depois ia embora pra casa”.

Com o clima interno no FOO FIGHTERS não sendo dos mais ensolarados nessa época e depois que a banda explodiu um com o outro antes de um show num festival - mais precisamente, Grohl versus Hawkins, o que só iria fortalecer ainda mais a amizade entre ambos e a durabilidade do grupo - eles se reconciliaram e decidiram que o próximo plano era descartar 100% do que eles haviam gravado no plano original do disco "One By One" e tocar como faziam nos velhos tempos, voltando para o mesmo estúdio caseiro no porão da casa de Grohl na Virginia onde tinham gravado o 3º disco e foram reconstruir tudo do zero.

Grohl também consideraria a música "All My Life" como uma de suas favoritas, lembrando nesse documentário: “A diferença entre a 1ª versão da canção 'All My Life' para a 2ª versão, é que a primeira custou U$ 01 milhão de dólares (num estúdio muito caro) e soou como uma porcaria, e a segunda foi gravada no porão da minha casa em poucas horas e se tornou uma das maiores músicas que o FOO FIGHTERS já fez”.

É fácil ver de onde Grohl tira as suas ideias de composição. Independentemente do seu som punk rock ao longo dos versos, Grohl aborda esta canção como uma bateria, quase usando o riff central como bumbo antes que o resto da banda venha explodindo atrás dele pelo resto da música.


Fora o riff maciço, Shiflett também mencionaria que é sua música favorita para tocar ao vivo, lembrando que sempre que ele pensa que está tendo um show ruim, a performance deles volta aos trilhos quando eles tocam a canção "All My Life".

Em uma época em que o FOO FIGHTERS poderia ter fracassado devidos a problemas internos e Grohl poderia ter colocado o seu grupo em uma carreira "solo", a música "All My Life" continua sendo uma das músicas mais indicativas do que a banda é hoje.


Eles podem ter passado por transtornos que quase levaram o grupo ao fim e esta canção sempre será um farol seguro para a banda os guiando em direção a terra firme.



"All My Life"





















Comentarios


Mais Recentes
Destaques
bottom of page