top of page
  • by Brunelson

The Doors: qual música fala sobre uma loja de encontro hippie?


A década de 60 foi um momento crucial na cultura popular, com música, moda, cinema, arte e atitudes sociais mudando drasticamente. Com as pessoas nascidas no final da 2ª Guerra Mundial agora com idade suficiente para pensar de forma independente e inovadora, a década viu experimentos com novos estilos musicais, drogas e modos de vida florescendo em seu caminho.

E uma banda que se tornou uma figura significativa na revolução contra cultural americana foi o THE DOORS, cujo trabalho infundiu blues clássico com rock and roll e psicodelia.

Batizado o nome da banda sob influência do livro, "The Doors of Perception", do autor Aldous Huxley, o mesmo se trata sobre a experiência do autor com drogas alucinógenas. Com isso, o THE DOORS encapsula esse período psicodélico e de pensamento livre da história.

O tecladista Ray Manzarek disse uma vez em entrevista para a revista Newsweek: “Existem coisas que você conhece e coisas que não conhece, o conhecido e o desconhecido, e no meio estão as portas – somos nós”.

THE DOORS lançou 06 álbuns de estúdio com o seu enigmático vocalista, Jim Morrison, que faleceu tragicamente quando tinha apenas 27 anos de idade em 1971. Desde a sua estreia homônima em 1967 até o álbum "L.A. Woman" (6º disco, 1971), o grupo mostrou um imenso talento em criar canções complexas e acessíveis, conquistando uma ampla base de fãs. Morrison, que se considerava mais poeta do que músico, imbuiu as suas letras de grande profundidade que foram inspiradas em seus escritores favoritos, de simbolistas a poetas beat.

Morrison moveu-se entre temas líricos sombrios e pulsões de vida, às vezes escrevendo canções de amor e outras vezes destacando a violência e o caos ao seu redor. A alegre música, "Love Street" (3º disco, "Waiting For The Sun", 1968), é um exemplo, com Morrison escrevendo sobre a sua namorada de longa data, Pamela Courson.

A dupla se conheceu em 1965, depois que o THE DOORS fez uma série de shows num clube noturno em Los Angeles. Ao longo dos anos, o casal se envolveu em um tumultuado relacionamento, embora permanecessem próximos, eventualmente se mudando juntos para Paris, onde Morrison sofreria um ataque cardíaco em decorrência de seu histórico drogadito.

No entanto, a canção "Love Street" retrata o seu tempo morando na rua Rothdell Trail, nº 1812, em Laurel Canyon, Los Angeles, com o casal apelidando a sua rua com esse nome da música.

Aqui, eles se sentavam e observavam os hippies de Los Angeles passarem, refletidos nas falas: “Vejo que você mora na rua do amor / Há uma loja onde as criaturas se encontram / Eu me pergunto o que elas fazem lá”. As “criaturas” representam os hippies, que aparentemente se reuniam na loja Canyon Country do outro lado da rua da casa onde o casal morava.

Portanto, a canção "Love Street" não é apenas uma ode a sua namorada, a quem Morrison descreve como tendo-o encantado, mas também é uma ode aos hippies que definiram a cidade, muitas vezes se encontrando nessa loja perto de sua casa.


Essa observação era típica do estilo de Morrison e por meio dessas letras, ele retrata um quadro vívido de sua vida em Los Angeles com a sua namorada e iluminando o ambiente que definiu o tempo que passaram juntos.


"Love Street"













Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page