• by Brunelson

The Doors: qual a música que Jim Morrison se recusou a cantar?


Uma das lendas indiscutíveis do rock and roll da era de ouro, o vocalista Jim Morrison liderou o grupo de contracultura chamado THE DOORS com uma sagacidade assustadora, uma atitude rebelde e uma voz cativante pelo seu tom grave e cantos suaves.

Mas uma coisa sobre Morrison é certa, ele era o artista arquetípico e como muitos atestarão, tal artista é propenso a manter a sua integridade no mais alto nível.

E para alguns vocalistas, cantar uma música na qual você não acredita não é uma boa ideia...

Morrison não era apenas o vocalista da banda, mas também atuou como o principal letrista. Tendo sido um ávido leitor quando criança e ostentando uma impressionante biblioteca da qual ele havia memorizado a maioria dos livros, Morrison sempre foi destinado a atuar como um trampolim para o movimento hippie. Na verdade, THE DOORS desembarcou na Costa Oeste americana assim que os murmúrios da revolução cultural começaram a circular na cidade de San Francisco e além.

Equipado com a sua poesia e sendo estudante da Faculdade de Cinema da Universidade da California, Morrison começou a criar canções que encantariam uma geração.

Tal comando sobre a produção do material da banda pode ter ido à cabeça de Morrison em algumas ocasiões, pois com o THE DOORS se tornando a banda do momento a cada segundo que passava, o "Rei Lagarto" era conhecido por seguir a sua mística com poesia e travessuras.

E um momento que veio relativamente cedo na carreira da banda viu o famoso cantor se recusar a trabalhar em uma música para o 4º álbum de estúdio do THE DOORS, "The Soft Parade" (1969).

A história surgiu quando o tecladista Ray Manzarek, um dos outros compositores da banda, foi entrevistado pela revista Ultimate Classic Rock em 2013.

A canção em questão, "Hit Me", estava prevista para esse novo álbum, mas o grupo estava tendo problemas para defini-la: “Robby Krieger (guitarrista) escreveu essa música e foi originalmente chamada de ‘Hit Me’".

Manzarek continuou: "Morrison falou: 'De jeito nenhum eu vou cantar uma música dizendo 'Me bata'". Parece que Jim Morrison estava preocupado que o público levasse o comando de uma forma um pouco literal.

Na época, THE DOORS estava ganhando muita infâmia ao lado do seu sucesso. Manzarek parafraseou Morrison: “‘Robby, as pessoas vão caminhar até mim na rua e irão me bater! Elas irão dizer: 'Vamos, vamos, vamos bater nele. Vamos dar um soco nele!'”

Eventualmente a banda concordou e perguntou a Morrison como ele gostaria que as letras fossem: “Bom, eu não quero apanhar… Quero dizer, se as pessoas vão fazer qualquer coisa que eu quero, então, espero que elas apenas me toquem”.

Como você deve ter adivinhado, o título da música foi alterado para "Touch Me" e ficou marcada como uma das canções mais conhecidas da banda.

“Já tínhamos gravado 03 álbuns do THE DOORS e John Densmore (baterista) e eu, sendo os jazzistas da banda, sempre quisemos trazer algumas trompas e cordas para as músicas, sabe?”, disse Manzarek, observando o impressionante arranjo de metais e conjuntos envolvidos nesta canção.

Ele finalizou: “Na música ‘Touch Me’ está o grande saxofonista de jazz de Los Angeles, Curtis Amy, que faz aquele solo fabuloso no final, então, é por isso que fizemos isso, unindo o jazz, música clássica e o THE DOORS tudo junto, cara!”

Uma infinidade de instrumentos musicais também estão incluídos na produção desta canção, mas é a entrega de Jim Morrison nas letras alteradas que realmente a destaca.


"Touch Me"


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques