top of page
  • by Brunelson

Seattle, 1983: os muitos eventos trágicos que criaram o grunge


Até mesmo o grunge está inextricavelmente entrelaçado ao mundo físico ao nosso redor.


Todo movimento artístico é para este assunto e os dadaístas da década de 1920 podem ter descartado a dedução acadêmica, de que o seu trabalho refletia a loucura da guerra como um ato de filosofar a tolice em algo mais acadêmico do que nunca.

Mas no sentido mais amplo, os estudiosos estavam certos, você simplesmente não pode escapar do mundo ao seu redor. O mesmo pode ser dito sobre como o grunge surgiu do pântano de sangue e miséria que se infiltrou nas ruas de Seattle em 1983.

E o que é grunge?


Bem, o dicionário faz um trabalho decente ao descrevê-lo como “um estilo de rock com sons de guitarra altos e ásperos”. E chega a dizer que a sua origem potencial vem de uma amálgama do sujo com o barulho.


Se foi isso que o frontman do MUDHONEY, Mark Arm, quis dizer quando escreveu uma carta descaradamente autocrítica sobre a sua própria banda, proclamando: “Grunge puro! Ruído puro! Pura merda!”, mal sabia ele que esse estilo iria pegar.

Arm e seu antigo colega de banda, o guitarrista Steve Turner, antes haviam formado o GREEN RIVER. Mais uma vez, vemos aquela estranha frase aparecer em um release impresso da banda, onde um dos proprietários da Sub Pop Records, Bruce Pavitt, havia escrito: “Grunge ultra solto que destruiu a moral de uma geração”.

Isso era punk rock sem a borda pontiaguda. Não mais o reino dos rebeldes sem causa, apenas pessoas comuns sem causa, ou talvez mais precisamente, até guitarristas autodepreciativos sem causa.

Com esse comunicado de imprensa do GREEN RIVER em 1987, logo depois o grunge começou a florescer em todo o mundo como um cheiro ruim, no entanto, de todos os pontos arbitrários na construção desse movimento, parece que o ano de 1983 em Seattle foi um dos mais cruciais e aqui está o porquê.

O punk rock realmente se destacou nos EUA em 1976. Houve vislumbres desse gênero crescendo antes disso, álbuns que deram à pequena cena crescente uma credibilidade aos RAMONES da chance de fazer uma turnê e espalhar o seu som.


Bandas britânicas depois de terem assistido ao show dos RAMONES em Londres, como SEX PISTOLS, THE DAMNED e THE CLASH, logo formariam os seus grupos e estariam estreando nos palcos empunhando os seus instrumentos. Logo em 1977, o punk rock teve o seu 1º disco nº 01 no Reino Unido, com o único álbum de estúdio do SEX PISTOLS.

Assim, a porta foi aberta para os garotos desalinhados sem treinamento formal tocarem os seus instrumentos, mas em particular na cidade de Seattle, não havia nada mais para eles fazerem a não ser se enfiarem na garagem ou no porão da casa de alguém para tirar um som naquele clima chuvoso, cinzento e frio da cidade.

Entretanto, nem todos os lugares estavam tão receptivos à apatia em meio ao declínio do punk rock no decorrer da década de 80. Com a tecnologia avançando em velocidades vertiginosas e aparentemente uma faixa de progressão junto com ela, a new wave estava em sua pompa na linha musical, junto com o hair/glam metal.


A tecnologia literalmente liderou essa era musical também na forma de sintetizadores. Um som tão brilhante exigia um estilo de música bonito e podado, sendo que essas músicas pareciam totalmente deslocadas para as crianças de Seattle, que não conseguiam ver onde elas se encaixavam nisso tudo.

As coisas pareciam muito mais distópicas pelas ruas de Seattle...

O ano de 1983 teve um início trágico para a cidade. Em fevereiro, 03 homens armados invadiram o Clube Wah Mee, que funcionava como um cassino ilegal. Esses homens começaram a amarrar as pessoas presentes e as roubaram. Depois, os assaltantes atiraram na cabeça das vítimas. O único motivo aparente para o massacre que resultou na morte de 13 pessoas e feriu gravemente outra, foi por dinheiro. Manchetes sobre o assassinato em massa mais mortal na história do Estado de Washington chegaram às bancas.

Na verdade, o otimismo não era um sentimento que andava bem na cidade há algum tempo.


Na década anterior, a manchete era sobre a fábrica da Boeing que custou o emprego de mais de 100 mil pessoas, sendo que 1/4 delas deixou a área em busca de trabalho. Isso levou a uma manchete subsequente nos anos posteriores que dizia: “A última pessoa a deixar Seattle, por favor, apague as luzes?” Assim, na época do massacre no clube Wah Mee, havia uma enorme taxa de desemprego de 12% e a dilapidação estava aumentando na economia da cidade.

Outros relatórios viram um menino de 13 anos de idade desaparecer das ruas de Seattle em abril, com o assassino de Green River começando a aterrorizar o Estado.


Mas os sinais de mudança também não se limitaram a Seattle.


O mundo estava vendo o que as pressões conformistas da comercialidade poderiam fazer quando a morte da artista Karen Carpenter enviou ondas de choque. A guerra fria com a URSS estava no ar e a qualquer momento os americanos temiam que mísseis poderiam ser enviados e revidados, além da epidemia da AIDS que estava em ascensão e tudo o que havia de errado no mundo parecia claro para os habitantes de Seattle.

Então, veio o Dia de Ação de Graças, o dia em que todos os problemas de 1983 poderiam ser deixados para trás. Infelizmente, uma tempestade destruiu parte da cidade, permanecendo como uma das piores a atingir o litoral na sua história.


As coisas estavam sombrias e a música precisava ser uma dádiva.

A banda GREEN RIVER decidiu esclarecer isso quando se formou em 1984. Como o famoso comunicado à imprensa afirmaria mais tarde: “Vocais corajosos e amplificadores Marshall estrondosos”, essa atitude parecia se encaixar bem.

Assim, o som polido era impossível de qualquer maneira. Você estava melhor oferecendo um grito de guerra de expressão angustiada e isso é exatamente o que eles fizeram, sendo que uma cena logo se formou.

Para finalizar, percebemos ao longo da história do rock que quando as coisas estão estagnadas e artificiais, você encontra pessoas fazendo música porque é exatamente isso o que elas fazem. Isso é o que surge dessa apatia e marasmo. Quando há razão para fazer música, é aí que você vai encontrar as melhores coisas. Você começa a encontrar pessoas que estão apenas fazendo isso porque amam e isso cria cenas genuínas.


























Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page