top of page
  • by Brunelson

Pearl Jam: vocalista Eddie Vedder explicou por que fazia escaladas mortais na canção "Porch"


Quando o PEARL JAM se formou e começou a invadir a cena musical de Seattle no início dos anos 90, eles fizeram um nome para si mesmos por serem inerentemente diferentes de todas as outras bandas que povoavam os mesmos clubes e locais em que se apresentavam.

Ao contrário do lado mais metal do SOUNDGARDEN e ALICE IN CHAINS, além das bandas mais explicitamente influenciadas pelo punk rock como o TAD, MUDHONEY e NIRVANA, o PEARL JAM tocou música alternativa endividada ao rock clássico, completada com baladas e épicas canções do seu álbum de estreia, "Ten" (1991).

E outra área em que o PEARL JAM também se diferenciou foram em suas apresentações ao vivo.


Enquanto o MELVINS podia ser brutal com o seu volume punitivo e o NIRVANA podia ser espontâneo com a destruição dos seus equipamentos, o PEARL JAM era a única banda que fazia um ato que desafiava a morte todas as noites.

Isso foi graças à propensão do vocalista Eddie Vedder para escalar andaimes, o que o colocaria em alturas que seriam mortais se ele escorregasse e caísse. Normalmente ocorrendo durante o solo da música "Porch" (1º disco), Vedder também subia no topo dos alto-falantes empilhados, pendurava-se em cabos e balançava-se precariamente em equipamentos de iluminação, tudo isso enquanto atravessava alturas mortais como uma criança brincando em barras de playground.


Quando Vedder foi entrevistado pelo radialista Howard Stern em 2020, ele explicou que as origens dos seus feitos atléticos vieram de ser um jovem adulto curioso que costumava frequentar shows em Chicago: “Eu estaria no clube Metro em Chicago ou estaria em um daqueles teatros que tinham uma decoração ornamentada com as cabines de 'rei e rainha' de cada lado, aquelas cortinas e todas essas coisas, sabe?”

“Enquanto ficava esperando pela banda subir ao palco e ficava esperando e esperando, eu costumava olhar para essas coisas e dizer: ‘Seria divertido subir naquela cortina e depois pular naquela cabine de rei e rainha de veludo vermelho'. Então, você poderia chegar no meio do palco e ficar pendurado na barra de sustentação, fazer um pouco de 'exercícios' na barra e se virar para a multidão bem perto de onde ficava a mesa de som”.


Quando Vedder finalmente tocou em locais semelhantes já como vocalista do PEARL JAM, ele aproveitou as suas velhas ideias: “Isso veio de eu ficar entediado antes dos shows, somente fazendo um exercício mental em mim. Eu nunca pensei que teria a oportunidade de fazer isso, mas quando a oportunidade surgiu, eu estava esperando por isso há muito tempo”.

Vedder também explicou que manteve os seus atos desafiadores de morte restritos apenas à música "Porch", especificamente porque esta canção ilustrava a necessidade de correr riscos: “Acho que nunca fiz nenhuma dessas travessuras malucas a la Evel Kneivel em toda a minha vida, exceto durante a execução da música ‘Porch'. A coisa toda sobre esta canção foi de celebrar que estamos vivos. Qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento, tipo, o caminhão de sorvete pode te atropelar amanhã e essa era toda a ideia. Eu acho que muito da nossa música ou das nossas músicas é como vamos viver o momento”.

Hoje em dia, Vedder não sente a necessidade de ser tão arriscado em seu comportamento, mas achou que era apropriado na época: “Foi também a nossa 1ª turnê e éramos reprimidos, então, esse é o trabalho que você quis por toda a sua vida e você tem a chance de causar um impacto - para melhor ou para pior. Talvez estivesse apenas beirando a tolice... Além disso, é necessário dizer, isso também veio num momento em que você iria aos shows de punk rock e Angelo Moore da banda FISHBONE ficava pulando no meio da multidão com o seu saxofone e sendo passado de um lado para o outro por cima do público”.

“Você via o show do THE CLASH ou dos RAMONES e todo mundo subia ao palco, pulava do palco ou era jogado de volta à plateia, era chutado na cabeça ou te jogavam no chão... Alguém está pisando no seu cabelo enquanto caído no chão, alguém está puxando você pra cima ou estão arrancando o seu cabelo, mas então, você volta e faz tudo de novo".

Vedder concluiu: "Acho que fazia parte da forma de arte, porque não seria a coisa mais incomum se jogar lá do alto das vigas no meio da multidão”.

Confira o vídeo abaixo que separamos para você, onde mostra uma compilação de algumas escaladas mortais que Eddie Vedder praticava no início de carreira:








Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page