top of page
  • by Brunelson

Pearl Jam: "eu enlouqueci, assim como aconteceu na gravação do solo de guitarra na música 'Reach Down' do Temple of The Dog", sobre o novo álbum


O guitarrista do PEARL JAM, Mike McCready, foi entrevistado pela revista Classic Rock e falou sobre guitarras Fender Stratocasters que ele quebrou em sua carreira, solos gritantes e longos e por que uma banda precisa levar um "chute na bunda" de vez em quando.



Passado 04 anos desde o último lançamento de estúdio do PEARL JAM, o álbum "Gigaton" (11º disco, 2020), eles podem ser positivamente imponentes hoje em dia em comparação com os roqueiros alternativos que eram na década de 90, que lançavam 01 álbum a cada 02 anos sob a rigidez de um contrato com sua antiga gravadora (de 2009 à 2024, eles lançaram somente 03 álbuns de estúdio). 


Mas, como contou McCready em entrevista, turnês americanas e europeias serão anunciadas em breve para 2024, para colocarem em prática as novas músicas que virão com o lançamento de seu 12º disco.


Confira alguns trechos dessa entrevista:


Jornalista: Parece que já passou muito tempo desde o lançamento do álbum de 2020 do PEARL JAM, "Gigaton". A banda está menos prolífica do que costumava ser ou é exatamente isso que acontece com as grandes bandas?


Mike McCready: O falecido vocalista do SOUNDGARDEN, Chris Cornell, uma vez me disse algo em janeiro de 2015, quando fizemos um show do MAD SEASON com a Orquestra Sinfônica de Seattle e Chris levando os vocais para nós. Ele falou: “Você pode conseguir que 80 músicos apareçam em uma orquestra, todos na hora certa, mas você nunca consegue que 05 caras de uma banda apareçam na mesma hora”. Quando nos reunimos no PEARL JAM, a música é nossa prioridade, mas todos nós temos também as nossas próprias vidas particulares. Ainda tocamos como uma unidade, como nenhum de nós já tínhamos feito antes e acho que é porque passamos por muita coisa durante esses mais de 30 anos. A nossa história, a dinâmica entre nós, as piadas idiotas e tudo isso que fica ao redor.



Jornalista: Então, quando podemos esperar pelo próximo álbum do PEARL JAM?


McCready: Espero que seja lançado em breve. Temos um monte de músicas gravadas e trabalhamos com o produtor Andrew Watt, que é um cara mais jovem, do tipo produtor de grupos da pop music, mas no fundo ele é um cara do rock, tipo, acho que somos a banda favorita dele. Quando estávamos no estúdio com ele em 2023, Watt realmente "chutou as nossas bundas" cobrando serviço. Para o bem ou para o mal, nesse novo disco você vai ouvir muito mais guitarra solo de mim, coisas que não faço há muito tempo. Eu enlouqueci, como aconteceu na gravação da música "Reach Down" do TEMPLE OF THE DOG em 1991. Eu tinha que fazer aquilo de novo... Sabe, geralmente na 1ª ou na 2ª tentativa de gravação são as que ficam melhores e tentando mais vezes depois disso começo a pensar que não sinto mais aquele mesmo feeling das primeiras vezes, sendo que Andrew conseguiu pegar aquele 1º raio em uma garrafa, assim como dizem.



Jornalista: Em 2023 a Fender lançou mais uma guitarra personalizada de sua assinatura, recriando a sua guitarra Fender Stratocaster Sunburst seriamente surrada (foto).


McCready: É baseada na minha Stratocaster de 1960. Você sabe, essa coisa é um burro de carga e eu realmente me envolvo quando toco ao vivo com ela, sabe? Durante 30 anos eu realmente joguei aquela guitarra ao chão algumas vezes, mas não a ponto de quebrá-la. Tem até uma parte quebrada na parte superior onde ficam as cabeças de ferro para afinar, quando enfiei a guitarra uma vez em um alto-falante.






Jornalista: Você não está longe dos seus 60 anos de idade agora. Você ainda conversa com seu garoto punk interior?


McCready: Acho que aquele garoto ainda aparece de vez em quando, mas agora está bem menos ansioso. Nos primeiros dias e nos primeiros discos, quando tudo estava explodindo, era sempre pensando: “Ah, merda, tudo isso vai desmoronar uma hora!” Sinto que já faz um tempo que chegamos ao ponto em que podemos fazer o que quisermos.



Jornalista: O vocalista da banda, Eddie Vedder, é um homem socialmente consciente. O estado político dos EUA deve estar matando ele...


McCready: Ah, sim. Acho que Eddie sempre esteve muito atento a tudo o que está acontecendo e sempre lutando pelos oprimidos. Certamente os EUA possui vários problemas complicados. Armas. Racismo. Aquele idiota do Trump... Todas essas coisas sempre estiveram lá, mas você tem que estar ciente disso e lutar contra isso conscientemente, porque você quer que este seja um mundo melhor - se você for um bom ser humano. E eu vejo Eddie assim e espero que todos nós estejamos. Tentamos ser proativos e orientados para soluções, e não ficar sentados sem fazer nada.



Jornalista: PEARL JAM voltou às turnês pós pandemia. Como foi?


McCready: Sabe, a paixão da plateia e a emoção de tocar ao vivo, ainda não há nada igual e você quer ser o melhor que puder. Quero dizer, não toquei a música "Even Flow" tão bem quanto queria em certa noite e fiquei meio chateado, mas eu só quero continuar melhorando.



Jornalista: Quantas guitarras você acha que quebrou no palco durante sua carreira?


McCready: Ao longo da minha vida, talvez umas 50. Em 2023 não quebrei nenhuma... 



Jornalista: Para finalizar, qual a melhor banda que você ouviu no rock’n’roll em 2023? 


McCready: Tenho escutado muito a banda DEEP SEA DIVER, um grupo pop rock de Seattle. Estou animado também com o novo disco do THUNDERPUSSY que eles estão lançando, mas ao mesmo tempo fico principalmente preso a questões históricas, tipo: “Tudo bem, agora só vou ouvir BEATLES até descobrir algumas coisas”. Sempre escuto as bandas inglesas, porque na minha opinião, tudo que veio da Inglaterra é melhor.















Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page