• by Brunelson

Dave Grohl: "Kurt Cobain teve 02 overdoses que não sabíamos se ele iria sobreviver" - Parte 4


Confira a entrevista que o site Vulture havia feito com Dave Grohl, baterista do NIRVANA e frontman do FOO FIGHTERS, em divulgação ao seu novo livro biográfico, "The Storyteller: Tales of Life and Music".


* Dave Grohl: "perguntei a Krist e a Kurt se eles queriam outro baterista"


* Dave Grohl: perguntado sobre qual o seu prêmio Grammy favorito?


* Dave Grohl: "não comecei a tocar música com uma carreira em mente" - Parte 1


* Dave Grohl: "Kurt Cobain também havia escutado a música 'Exhausted' e tinha gostado" - Parte 2


* Dave Grohl: "o disco 'In Utero' não é o meu preferido, mas é o mais poderoso do Nirvana" - Parte 3


Nesta 4ª parte que separamos para você, Grohl é perguntado sobre como foi o período no NIRVANA em seu último ano de atividade, entre 1993 à 1994:


----------------------------


Jornalista: O quão perto o NIRVANA esteve de se separar ou ser completamente reestruturado?

Dave Grohl: Honestamente, naquele último ano entre 1993 e 1994, Kurt Cobain teve duas overdoses em que não estava claro se ele sobreviveria. Depois de um desses incidentes, Courtney Love o encontrou desmaiado no banheiro com a pele azul - de acordo com o jornalista Michael Azerrad que acompanhou a banda por um tempo. Ele escreveu em seu livro que ficou “aterrorizado” com o que viu e segundo ele, Courtney Love pediu para ele dar o recado para toda a nossa equipe para arrumarmos todo o nosso equipamento, pois não haveria show na noite seguinte porque Kurt Cobain estava morto.

Grohl: Você acordava todos os dias sem saber o que iria acontecer a seguir. Estávamos em um terreno instável por uma série de razões, a maior delas sendo que a repentina ascensão à fama no NIRVANA foi traumática. Não posso falar por Kurt e geralmente não falo porque ele não está por perto para falar por si mesmo, mas cada um de nós lidou com isso de maneiras diferentes e para todos foi uma coisa difícil de navegar. Sempre evitávamos o apelo comercial mainstream e éramos perfeitamente felizes em nosso mundo atrás da porra das cortinas, mas então, nos tornamos um deles e como você processa isso? Havia muito caos dentro e fora da banda e você tinha que se segurar para salvar a sua vida e torcer para que a turnê não fosse cancelada.

Jornalista: Você já se questionou para saber o que manter para si mesmo em relação a Kurt Cobain? Um amigo que não está mais conosco, que causou tanto impacto que as pessoas querem saber até o último detalhe?

Grohl: De jeito nenhum e sou seletivo no que digo a todos. Aqui está o problema: NIRVANA eram pessoas comuns. É difícil se lembrar disso quando se torna um logotipo ou uma estampa de camisa. Foram apenas 03 pessoas que acabaram escrevendo canções e viajando numa van. Quando se trata de coisas profundamente pessoais, opto por compartilhar isso com as pessoas mais próximas a mim. Se as minhas filhas me fizerem perguntas sobre o NIRVANA, responderei a cada uma das perguntas delas.

Jornalista: Quando você se tornou um frontman na sua própria banda, FOO FIGHTERS, você começou a ver Kurt Cobain sob uma luz diferente?

Grohl: Aprendi muitas lições no NIRVANA que apliquei para ser o vocalista do FOO FIGHTERS, sobre o que fazer e o que não fazer. Obter os direitos de sua própria música é um bom exemplo disso. Isso remove a conversa para que você não termine em nenhum tipo de conflito interno com a gravadora ou empresários. A história do rock and roll está repleta dessa mesma velha história... Pra mim, a melhor ideia era cortar logo pela raiz e ter essa fórmula que adotamos para tudo.


"Pennyroyal Tea" (4º trabalho de estúdio do NIRVANA, "In Utero", 1993)


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques