top of page
  • by Brunelson

Billy Corgan: 03 tretas com artistas/bandas que o frontman do Smashing Pumpkins já passou


O frontman Billy Corgan fundou o SMASHING PUMPKINS em 1988 ao lado de D'arcy Wretzky (baixista), James Iha (guitarrista) e Jimmy Chamberlin (baterista), mas Corgan permaneceu o único membro consistente em toda a vivência da banda.

O grupo rapidamente se tornou uma das bandas de maior sucesso da década de 90 e entrando para a história do rock'n roll, vendendo mais de 30 milhões de álbuns em todo o mundo e consolidando o seu honroso lugar.

Emergindo durante um período significativo no desenvolvimento do rock alternativo, o SMASHING PUMPKINS obteve sucesso comercial e de crítica com o seu 2º álbum de estúdio, "Siamese Dream" (1993), logo seguido pelo épico 3º álbum de estúdio, "Mellon Collie and The Infinite Sadness" (1995).

Apesar do seu sucesso, Corgan sempre foi uma figura dividida e constantemente brigando com jornalistas e outros músicos, ou sendo odiado pelos seus contemporâneos.


No livro biográfico da vocalista/baixista do SONIC YOUTH, "Girl in a Band", Kim Gordon resumiu melhor a sua reputação, escrevendo: “Ninguém gostava de Billy Corgan porque ele era um bebê chorão, o SMASHING PUMPKINS se levavam muito a sério e não eram de forma alguma punk rock”.

Ao longo dos anos, Corgan fez comentários mordazes sobre vários artistas, desde a sua ex-namorada e viúva de Kurt Cobain, Courtney Love, até às bandas PAVEMENT, COLLECTIVE SOUL e SOUNDGARDEN.

Com isto, segue somente uma lista de 03 artistas e bandas das quais Billy Corgan não falou com muito carinho durante a sua vida.


Courtney Love

Antes da vocalista/guitarrista do HOLE, Courtney Love, se casar com Kurt Cobain, ela estava namorando Billy Corgan.

No entanto, a paixão que ela desenvolveu quando conheceu Cobain e emparelhada com o comportamento distante de Corgan, levou ao rompimento do namoro em 1991. Desde então, o casal tem estado intermitentemente na garganta um do outro, provando que realmente foi a melhor decisão que eles optaram em se separar.

Em 1995, o HOLE se apresentou no programa de auditório da TV britânica, "Later With Jools Holland", onde Courtney Love falou para todos os telespectadores antes de tocarem a música "Violet": "Esta é uma música sobre um cara idiota, que eu o enfeiticei e agora ele está perdendo o cabelo".

Em 2010, Love lançou canções escritas com Corgan sem a sua permissão e para seu aborrecimento, quando o HOLE lançou o seu 4º álbum de estúdio, "Nobody's Daughter". Corgan decidiu tornar pública a sua insatisfação, escrevendo em rede social: "Vá para algum lugar legal e viva do dinheiro de Kurt Cobain".


Corgan até chegou a falar para a revista Rolling Stone que não queria que aquelas músicas fossem tornadas públicas, afirmando que: "Não tenho nenhum interesse em apoiá-la de qualquer maneira, forma ou jeito. Você não pode tocar e jogar coisas suficientes no abismo com uma pessoa assim”.

Embora Love tenha sido surpreendentemente amigável em resposta, Corgan também criticou as suas habilidades parentais.


Ele escreveu: “O mundo está ciente de sua falta de responsabilidade, como visto o governo tirando os seus direitos parentais. Só você poderia abandonar uma criança tão linda e incrível que é mais esperta do que você, mais legal que você e melhor que você... Ops, falei demais?”

Também especula-se que a maioria das músicas que o HOLE lançou em seu 3º álbum de estúdio, "Celebrity Skin" (1998), foram co-escritas com Billy Corgan e lançadas sob a autoria de Courtney Love.


Soundgarden






D’arcy Wretzky

Depois de ser a baixista original do SMASHING PUMPKINS e participar da gravação dos 05 primeiros álbuns de estúdio do grupo, D'arcy foi dispensada da banda após a gravação do álbum "Machina The Machines of God" (5º disco, 2000), quando o seu vício em drogas pesadas se desenvolveu para um grave nível.

Em 2016, quando estava rodando as notícias de que o SMASHING PUMPKINS estaria reunindo a sua formação original, depois de muita conversa, somente D'arcy que não retornaria ao grupo.


Com versões de cada lado se explicando, ela havia dito numa entrevista para o site Alternative Nation: “Billy não sabe cantar porra nenhuma e ele sabe disso, então, ele garante que todo mundo na banda toque perfeitamente para compensar. Não importa se o canto dele é terrível, mas se você tocar uma nota errada ou algo do tipo, vai pagar caro e isso era uma grande insegurança pra mim".

Nessa época, quando Wretzky compartilhou em rede social que Corgan tinha um tumor cerebral que desencadeava em seu comportamento típico, Corgan relatou ao radialista Howard Stern: “Sim, isso se enquadraria em uma das 400 coisas caluniosas e difamatórias que ela disse que não têm influência na realidade”.

Mas por que eles se odeiam tanto?

A rivalidade deles pode ser que decorra do tratamento controlador de Corgan para com os seus companheiros de banda nas gravações dos álbuns dos anos 90, especialmente no disco de estreia, "Gish" (1991), e nos 02 álbuns seguintes.

Segundo relatos e entrevistas de produtores, engenheiros de som e pelos próprios membros da banda, Corgan fez questão de gravar o baixo e a guitarra nos 02 primeiros discos (pelo menos na sua maioria), além de ser um perfeccionista na execução de cada instrumento e sonoridade em todos os álbuns da banda.

Corgan chegou a dizer para a revista Spin uma vez: "Dei a eles (D'arcy e James Iha) 01 ano e meio para se prepararem para a gravação do álbum 'Siamese Dream', mas eles continuaram falhando comigo".



Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page