top of page
  • by Brunelson

Fugazi: quando se apresentaram em uma penitenciária em 1990


“A maioria das bandas afirma estar comprometida com seus ideais. No entanto, poucas, se houver, entregam a mercadoria”, dizia uma citação do fanzine punk chamado Ink Disease promovendo um show do FUGAZI em uma penitenciária no ano de 1990.


A banda formada após a dissolução do MINOR THREAT era famosa por sua forte postura política, métodos operacionais "do it yourself" e total desprezo pela indústria musical.


Sendo assim, foi quando o FUGAZI se apresentou na frente de prisioneiros na penitenciária Lorton Correctional Facility, na Virgínia, EUA, em 26 de dezembro de 1990 (foto).


Não é inédito artistas se apresentarem em prisões, sendo o exemplo mais famoso o show de Johnny Cash na prisão de Folsom em 1969. Além disso, os antecessores do FUGAZI, a banda THE CRAMPS, também fizeram um show anárquico no Napa State Mental Hospital em 1981.


O vocalista/guitarrista do FUGAZI e ex-MINOR THREAT, Ian MacKaye, sempre se interessou por questões sociais e ativismo. Esse traço de personalidade remonta às suas visitas de infância à frente da Igreja Episcopal na capital Washington, que esteve frequentemente envolvida em campanhas pelos direitos civis e movimentos pelos direitos das mulheres.


MacKaye trouxe com sucesso essa influência para sua música e os princípios pelos quais suas bandas operariam. Por exemplo, MacKaye supostamente recusou ofertas de milhões de dólares de gravadoras para contratar o FUGAZI, favorecendo seus métodos "do it yourself" de lançar música. O músico também teria recusado um convite para serem headliner do Lollapalooza Festival em protesto contra os altos preços dos ingressos.


Com o FUGAZI, MacKaye fez vários shows promovendo a reforma prisional, o que deu à banda a ideia de eliminar os intermediários e se apresentar dentro de uma prisão. De acordo com MacKaye, o processo em reservar o show foi relativamente fácil: “Eles nos disseram: 'Se vocês quiserem fazer isso, venham e façam'. Só tivemos que convencê-los de que éramos uma banda antidrogas”.


De acordo com o arquivo da Dischord Records, selo e gravadora independente criado na década de 80 por MacKaye e pelo baterista do MINOR THREAT, Jeff Nelson, o Lorton Correctional Facility contou com a presença de cerca de 100 pessoas. A multidão era composta principalmente por jovens infratores e consistiu em um setlist relativamente curto, já que a maioria das músicas do FUGAZI duravam menos de 02 minutos.


Além disso, foi uma experiência interessante para a banda se apresentar em uma penitenciária na frente de pessoas que provavelmente desconheciam o trabalho do FUGAZI ou sua notoriedade na cena punk hardcore. Apesar disso, MacKaye lembrou com carinho do show: “Foi ótimo, deu certo e foi um show muito bacana”. No entanto, ele ainda guarda rancor dos guardas da prisão por confiscarem seu protetor labial Carmex antes do show.


As filmagens dessa performance icônica estão disponíveis para assistir no documentário "Fugazi by Jem Cohen", que está listado em seus arquivos na Dischord Records.











Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page