top of page
  • by Brunelson

Fugazi: relembrando show de protesto em frente à Casa Branca em 1991


Mesmo a banda já tendo encerrado as atividades há 20 anos, não há como negar que o FUGAZI foi uma das mais impactantes do seu gênero.

Vindos da capital Washington, recinto da cena punk hardcore underground da década de 80, o grupo inicialmente era uma banda power trio e logo em seguida se tornaria num quarteto revezando os vocais com o seu novo guitarrista. O líder do grupo era Ian MacKaye, ex-vocalista da banda MINOR THREAT, e depois com o FUGAZI, eles espalhariam a sua influência que misturava outros gêneros fora do prisma punk hardcore, onde tudo era levado na ética "do it yourself" e sendo uma banda com mensagens políticas.

Embora existam muitos momentos marcantes na carreira do FUGAZI, um dos mais icônicos ocorreu em 12 de janeiro de 1991, quando eles se apresentaram na frente da Casa Branca para protestar contra a Guerra do Golfo. Tocando uma série de músicas agora consideradas clássicas do seu repertório, a maioria delas vieram do seu álbum de estreia, "Repeater" (1990), como "Turnover", "Blueprint" e "Brendan #1".


Famosamente, uma placa improvisada que estava no palco dizia: "Haverá 02 guerras" (foto). Curiosamente, isso não foi uma profecia do que o filho Bush (pai Bush era o presidente americano em 1991) iria concretizar em sua presidência no começo deste século invadindo o Iraque em 2003, mas sim, a banda dizendo que os americanos também enfrentariam a guerra. A certa altura, MacKaye disse à multidão: "Vai haver guerra por aqui também!"

Esta foi uma declaração adequada para uma apresentação tão simbólica na terra natal da banda e que no decorrer da década até o 11 de setembro de 2001, os americanos iriam encarar atentados terroristas em seu país.

Em outro momento no show e sendo também co-fundador da gravadora independente mais conhecida do planeta, a Dischord Records, MacKaye adicionou: “É inconcebível pra mim que com bilhões de dólares sendo gastos no Oriente Médio, não podemos gastar mais pelas pessoas que estão morrendo nas nossas ruas aqui! À medida que esse país começa a se dobrar economicamente, nos lançamos em mais uma guerra para desviar a atenção das pessoas dos problemas aqui nos EUA”.

Em seu livro de 2001, "Dance of Days: Two Decades of Punk in The Nation's Capitol", dos autores Mark Andersen e Mark Jenkins - da organização ativista punk Positive Force DC - eles descrevem a preparação para este show de protesto do FUGAZI em 12 de janeiro de 1991 na frente da Casa Branca.

Um trecho do livro diz: “Na véspera do evento, uma forte nevasca atingiu a cidade. No dia seguinte, as temperaturas subiram e a neve derreteu, mas ainda estava frio e chuvoso. Com o país se preparando para a guerra, a polícia cercou toda a área da Casa Branca. Apesar do clima, cerca de 3 mil pessoas compareceram. Enquanto os manifestantes batiam em barris de óleo, tambores, latas e chaleiras, os organizadores se perguntavam o que fazer com o show”.

“Tocar em um palco desprotegido na chuva pode expor os músicos e a equipe a possíveis choques elétricos. A certa altura, a chuva parou, apenas para começar de novo quando a banda estava pronta para começar o show. Organizadores e músicos se amontoaram no palco tentando decidir o que fazer. Finalmente, sentindo a gravidade do momento político, MacKaye simplesmente falou: 'Vamos logo fazer isso!' E todas as mãos disponíveis se esforçaram para tirar as capas de proteção dos equipamentos e se prepararem para uma performance arriscada".

"MacKaye iniciou a música 'Repeater' mudando as letras e comparando com a própria Guerra do Golfo e o desejo de que, embora: 'Podemos nos acostumar com as centenas de pessoas que morreram por aqui / Mas espero que nunca possamos nos acostumar com as dezenas de milhares de pessoas que podem morrer no Oriente Médio', a multidão se juntou a MacKaye na contagem do refrão '1, 2, 3', enquanto MacKaye recitava metodicamente ao invés disso: '10.000... 20.000... 30.000... 40.000... 50.000... 60.000... 70.000... 80.000... 90.000...', foi um clímax doloroso”.

Como em todos os shows do FUGAZI, foi uma apresentação íntegra e totalmente canalizada para a mensagem e atitude, ficando acima de qualquer logística, conforto e condição climática, ou seja, o puro rock'n roll.

Confira essa apresentação do FUGAZI em frente a Casa Branca realizada em janeiro de 1991:








Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page