Sonic Youth: resenha do disco "Evol"

February 28, 2018

 

Em 1986, o SONIC YOUTH lançava o seu 3º álbum de estúdio, “Evol” (“love” de trás pra frente).

 

E no ano de 2015, esse disco havia sido relançado e trouxe no seu livrinho em anexo uma dedicatória escrita por Lisa Cristal Carver em 1993. Ela é uma escritora americana e membro da banda SUCKDOG. Além da dedicatória, Lisa também fez breves análises de cada música que este álbum nos apresenta. 

 

Segue a tradução na íntegra logo abaixo:

 

 

Era junho de 1986. Eu tinha 17 anos, uma nativa de New Hampshire pegando um avião para Los Angeles com a minha melhor amiga, Rachel (16 anos), que abandonou a escola para vir comigo. Nós não tínhamos quaisquer planos, sabe? Assim que chegamos, precisamos readquirir a nossa bagagem porque os funcionários do aeroporto não queriam nos entregar por sermos de menores e em seguida, a terrível realização da nossa estupidez havia começado a nos incomodar - nós não sabíamos onde dormir naquela noite ou o que fazer no dia seguinte.

 

Um certo policial sugeriu que ficássemos em um albergue para jovens que havia na cidade para passarmos a noite. Fizemos o que ele disse e pegamos uma carona no dia seguinte com um australiano chamado Ian, que estava indo para o norte do país (pegamos carona só porque Rachel decidiu que ela não gostava das árvores do sul da Califórnia). Na estrada, Ian puxou uma faca e nós gritamos..., então, ele cortou um pedaço de queijo para nós comermos. Finalmente terminamos a viagem em Hayward/California (a cidade do pecado), onde ao nosso redor havia cerca de 50 lotes de carros destruídos, kitnets para alugar, 01 cemitério e nós...

 

Tivemos que dar ao dono do estabelecimento 03 meses de aluguel adiantado, porque ele pensou que nós éramos fugitivas da polícia e estava com medo de nos ter como inquilinas. Nós embarcamos no ônibus para San Francisco e enquanto íamos descobrindo que existia um pouco de vida estranha fora da nossa cidade (porque todo mundo parecia tão bizarro), na verdade nós não conhecíamos e não sabíamos nada do lugar e o que iria acontecer... Nós tínhamos visto o filme "Sid & Nancy", mas isso era algo diferente, era algo que estava acontecendo no nosso tempo. Chegando na cidade, pedimos a um funcionário de uma loja de discos para nos mostrar os bons álbuns que eles tinham para vender. Ele pegou discos de bandas e artistas como SCRATCH ACID, LYDIA LUNCH, THE SWANS e SONIC YOUTH.

 

Feroz batimento cardíaco! Foi uma coisa terrivelmente boa para jovens garotas procurando por ferozes modelos. Um estrondo foi a sobrancelha esquerda de Kim Gordon (vocalista/baixista) deixando-a arqueada e grossa na foto da contra capa deste 3º álbum de estúdio do SONIC YOUTH, “Evol”, que o vendedor da loja havia nos mostrado e que havia acabado de ser lançado no mercado. Lembro de Rachel e eu quando apelidamos o rosto dela de "face sinuosa". Kim, outra fêmea feroz! Nesta mesma foto, Thurston Moore (vocalista/guitarrista), parece que está prestes a dizer algo - e a julgar pelos vídeo clips do SONIC YOUTH que eu vi depois, ele está mesmo. Steve Shelley (3º baterista da banda, estreando neste álbum) parece que tem 12 anos de idade e Lee Ranaldo (guitarrista) parece com o tipo de cara que iria escrever artigos sobre acidentes de carro...

 

"Tom Violence" - Eu não sabia do que se tratava, mas eu sabia que era excitante porque a palavra "violência" estava no nome dessa música. A letra diz: "Saí de casa por experiência", espera aí, eu também! A letra continua: "Chatice cravada no meu peito por honestidade". Hey, eu também era leal à verdade... Na verdade, eu passei muito tempo sendo fiel à verdade e mesmo assim fui demitida da empresa Honeybear Yogurt. Eu tinha fantasias de Thurston Moore e DAVID BOWIE fazendo sexo juntos. Por quê? Eu não faço ideia! Rachel e eu batíamos loucamente os nossos cotovelos uma na outra sempre que víamos rapazes altos de cabelos louros desarrumados, mas eles sempre eram surfistas..., Thurston, não.

 

"Shadow of a Doubt" - Não tem a palavra "violência" nessa música, mas era violento mesmo assim. Mergulhando de cabeça em silêncio para depois apresentar ao seu redor um grande ruído para a destruição. A benção de um impacto inerente.

 

"Starpower" - Até mesmo a música está no amor.

 

"In The Kingdom #19" – O último “modinha” reagindo ao desastre. A letra diz: "Fumaça e chamas / Está tudo bem". Horrível como eles atropelaram esse pequeno animal... Na verdade, eu acho que essa história é sobre estados de existência.

 

"Green Light" - Esta música e "Starpower" me ensinaram sobre o amor. Antes de ouvir essas 02 canções, eu pensei que o amor tinha que ser uma coisa "amarrada" e que todos tinham que ser loucos como animais para depois morrerem. Mas o amor pode ter uma bela luz verde nebulosa... Verde significa ir em frente.

 

"Death to Our Friends" - Subir e descer. Há todos os tipos de coisas onde você pode subir e descer...

 

"Secret Girl" - Eu me lembro de ouvir essa música no meu walkman, na piscina em nosso complexo de apartamentos onde morava. Eu nunca entrei naquela piscina porque havia uma família de 12 pessoas que ficavam fazendo xixi o tempo todo dentro da água. Segredos urgentes de Kim Gordon me transportando e sendo ditos com um pouco mais da sua respiração...

 

"Marilyn Moore" - Começa com Thurston chamando o seu rebanho caseiro e ficando chateado porque eles não vêm para casa. A personagem “Marilyn Moore” que a letra dessa música remete, é como Baby Doll no poster do filme de mesmo nome (humor negro lançado em 1956). Uma dona de casa ou uma frágil mulher lidando com medicamentos prescritos e buscando situações de bem-estar para a sua vida, mas que mesmo assim ela não está conseguindo nada com isso.

 

"Madonna, Sean and Me" - Eu também queria matar as garotas da California. Eu queria colocar fogo e explodir uma carga inteira! Eu queria encontrar o significado de um bom sentimento... Esta música, eu acredito, é sobre ficar muito, muito próximo de alguém, quase dentro dessa pessoa ou um grupo de pessoas. Então, eu acho que essas pessoas que a letra da canção relata e que nos faz ficar realmente próximas a elas, um dia acabaram saindo do seu local e fizeram coisas terríveis, assim como a “família” Manson fez na vida real (serial killer). PS: depois que o álbum "Evol" foi lançado, a banda teve que mudar o nome dessa música para "Expressway to Your Skull".

 

"Bubblegum" – Esta canção me faz balançar, como se estivesse num furacão montada em uma hiena até chegar no ponto mais alto! Aquele sentimento de que todas as coisas são possíveis é o todo que abraça esse álbum, mas é especialmente brilhante aqui nessa música.

 

Estas canções dizem que os sonhos são reais! Eu não posso pensar em um guia mais agradável do que o álbum "Evol" para uma jovem descobrindo o mundo inteiro. Aqui estão as canções de exploração total, mas nada de se posicionar no lado escuro ou no lado anti-escuro. Aqui estão as canções de liberdade total... 

 

Dê este álbum de presente para a sua irmã quando ela estiver de aniversário.

 

Ass: Lisa Cristal Carver

San Francisco

20 de Agosto/1993.

 

Track-list:

 

1- Tom Violence

2- Shadow of a Doubt

3- Starpower

4- In The Kingdom #19

5- Green Light

6- Death to Our Friends

7- Secret Girl

8- Marilyn Moore

9- Expressway to Your Skull

10- Bubblegum

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Revista 89 Rock: matéria secundária de capa do Nirvana em 1999 - Parte 1

January 20, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead