top of page
  • by Brunelson

Red Hot Chili Peppers: a clássica música que eles "roubaram" do The Cure


A principal inspiração por trás de qualquer bom disco do RED HOT CHILI PEPPERS é se divertir.

Desde o primeiro dia, o fluxo do vocalista Anthony Kiedis combinado com a enorme energia de Flea por trás do baixo, proporcionou algumas das performances mais elétricas na história do rock, enquanto a banda fazia incursões para se tornarem lendas musicais por trás de obras-primas como o álbum "Blood Sugar Sex Magik" (5º disco, 1991).

E assim que o grupo começou a se recompor após o retorno do guitarrista John Frusciante em 1998 (havia saído em 1992), eles ainda iriam conseguir um dos seus maiores sucessos.


Comparado ao espírito divertido do seu disco de 1991, o álbum "Californication" foi um trabalho com muito mais nuances (7º disco, 1999). Como os membros da banda tiveram que superar o vício em drogas antes de iniciarem as gravações, muitas músicas refletem essa atitude desgastada, desde a canção de Kiedis sobre drogas, "Otherside", até os sons suaves de músicas como "Porcelain" e "Road Trippin'".


Embora o grupo nunca tenha sido conhecido como uma das bandas mais líricas do mundo, a faixa-título forneceria uma crítica massiva ao que a Califórnia significava nas mentes daqueles que povoavam Hollywood. Formada na cabeça de Kiedis enquanto trabalhava nas letras, a música possui um conjunto de letras que descreve o que acontece nos limites da sociedade americana, onde os sonhos de alguém podem ser alcançados instantaneamente e eliminados momentos depois.

Embora a canção "Californication" possui uma base fantástica para trabalhar em cima, Frusciante não conseguia encontrar nenhum tipo de base musical para acompanhá-la. Em seu tempo fora da banda, o guitarrista começou a recompor as coisas (musicalmente e mentalmente), superando o vício em heroína e tendo que se recuperar devido ao enorme impacto que a droga estava causando em sua destreza e habilidades motoras.

Mesmo que o grupo fosse conhecido por suas músicas de alta energia, Frusciante encontrou a chave da canção "Californication" ouvindo a produção minimalista da banda THE CURE.


Ao falar sobre a montagem dessa música numa entrevista anos mais tarde, Frusciante lembrou: “Eu estava ouvindo essa música do THE CURE que é um instrumental de mais de 25 minutos de duração. Se você ouvi-la, soa exatamente como a canção ‘Californication’. São apenas notas diferentes, mas é o mesmo ritmo e o mesmo tipo de sentimento”.

A música do THE CURE em questão é "Carnage Visors", que fazia parte do lote inicial de músicas do THE CURE e que remonta ao seu 3º álbum de estúdio, "Faith" (1981). Na verdade, essa música só foi lançada na versão em fita-cassete e apresenta uma longa e prolongada sequência eletrônica espalhada por quase 28 minutos de duração, sendo o lick principal do sintetizador quase literal para a figura da guitarra do RED HOT CHILI PEPPERS.

Como essa foi uma das primeiras vezes que o RED HOT CHILI PEPPERS trabalhou em músicas que tratavam de assuntos sérios, os sons do vocalista/guitarrista Robert Smith do THE CURE, funcionaram surpreendentemente bem para o RED HOT CHILI PEPPERS. Ao manter o arranjo esparso, os sutis licks da guitarra de Frusciante permitem que o baixo de Flea faça a maior parte do trabalho pesado, adicionando pequenos floreios enquanto Kiedis começa a alertar às possíveis estrelas de Hollywood no que elas estão se metendo.

Frusciante disse também que o THE CURE teve grande importância durante a maior parte de criação do álbum "Californication": “Pra mim e no geral, as canções que lançamos no álbum 'Californication', muito delas foram influenciadas pelo THE CURE e nenhum crítico jamais percebeu isso. São dos álbuns 'Seventeen Seconds' (2º disco, 1980) e 'Faith' do THE CURE. Esses dois álbuns foram influentes para Flea e para mim quando estávamos gravando o disco 'Californication', e posso ouvir muito desses 02 álbuns quando escuto o disco 'Californication'".

Embora a energia funk rock do RED HOT CHILI PEPPERS pareça o que há de mais distante do rock gótico e new wave do THE CURE, o tom limpo da guitarra de Frusciante não pareceria tão deslocado se relacionássemos aos primeiros trabalhos do THE CURE, tendo a mesma qualidade atmosférica encontrada em músicas como "A Forest" do THE CURE.

RED HOT CHILI PEPPERS pode ter o seu caminho no funk rock, mas qualquer um que queira entrar em contato com as suas emoções, percebendo ou não, estará pegando também algo do THE CURE.


"Californication"











Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page