top of page
  • by Brunelson

Red Hot Chili Peppers: a música da banda que o vocalista Anthony Kiedis odeia


Cada álbum do RED HOT CHILI PEPPERS é como escolher uma verdura diferente em uma enorme travessa de uma salada sonora.

Embora os membros desse grupo funk rock tenham confiado o seu amor por bandas clássicas como o PARLIAMENT FUNKADELIC para informar o seu som, há também muitas influências de grupos como o THE BEACH BOYS e BEATLES em algumas músicas lançadas do RED HOT CHILI PEPPERS neste século atual.

E de todos os seus álbuns lançados até 1991, nenhum havia capturado melhor o espírito da banda do que aconteceria em "Blood Sugar Sex Magik" (5º disco).


Encontrando-se com o produtor Rick Rubin pela 1ª vez, o grupo criou a versão mais concentrada do seu som característico. Nos apresentando clássicos genuínos do rock entre a lista de canções como "Give it Away" e "Suck My Kiss", o vocalista Anthony Kiedis também iria conseguir se alongar em seu canto pela 1ª vez na sua carreira.

Abraçando o vocal estilo rap, a abordagem de Kiedis para as letras ficou mais introspectiva em músicas como "I Could Have Lied", escrita como uma homenagem ao seu romance condenado com Sinéad O'Connor.


Então, novamente, tudo empalideceu em comparação com a canção "Under The Bridge", quando Kiedis abriu o seu coração sobre as suas lutas internas com as drogas e como a cidade de Los Angeles sempre cuidou dele.



Entretanto, considerando a longevidade do RED HOT CHILI PEPPERS e com o benefício do retrospecto, é provável que haja um punhado de músicas que não combinem com as suas clássicas canções ou que caíram no esquecimento e desgosto. Mesmo que a banda tenha apresentado nesse álbum uma das canções mais risíveis de sua carreira com o cover da música "They're Red Hot" de Robert Johnson, Kiedis deixou claro uma vez em entrevista que não é fã de outra canção lançada nesse disco, "The Greeting Song".

Escutando hoje essa música, o RED HOT CHILI PEPPERS continua em boa forma, com o guitarrista John Frusciante entregando um riff sólido na maior parte da canção, mas independentemente do seu apelo, Kiedis não olha mais para essa música com carinho.

Ao reunir as canções que seriam lançadas no disco, Kiedis lembrou que "The Greeting Song" foi lançada ao acaso, conforme ele relatou em seu livro biográfico, "Scar Tissue": “Até hoje eu odeio essa música, odeio as letras e os vocais. Era uma canção animada na tradição do LED ZEPPELIN, mas nunca encontrei o meu lugar nela”.

Embora o álbum já estivesse bastante adiantado, Kiedis lembrou que essa música foi criada por sugestão do produtor Rick Rubin, pensando que a banda precisava de uma canção sobre garotas e carros. Isso estava muito longe da parte lírica restante de todo álbum, conforme exemplificado nas músicas "Under The Bridge" e "I Could Have Lied", entre outras.

Em uma ironia do destino, a canção "The Greeting Song" seria originalmente usada em um comercial de carro, antes de Kiedis finalmente desistir da música, concluindo: “A General Motors nos telefonou e queria criar uma campanha publicitária para um carro deles, imprimindo as letras desta canção numa página em branco. Não deveria ter deixado eles fazerem isso, pois eu não acredito mais nessas letras”.


"The Greeting Song"







Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page