top of page
  • by Brunelson

Roger Waters: quem ele considera o baixista mais talentoso de todos os tempos?


Nada do que Roger Waters criou foi considerado fácil de montar.

Já nos primeiros dias do PINK FLOYD como baixista e vocalista, Waters precisava assumir as rédeas que antes eram de Syd Barrett (vocalista/guitarrista/compositor original), para transformar a banda em algo completamente diferente do que era.


E embora Waters possa ser conhecido como o principal compositor que manteve o controle dos melhores álbuns do grupo, ele disse que ainda vive na sombra do baixista que ele alega "o mais talentoso musicalmente de todos os tempos".

O papel do baixo também ganharia mais destaque quando Waters surgiu com o PINK FLOYD. Além de baixistas como Paul McCartney dos BEATLES e John Entwistle do THE WHO lançando as bases para o futuro do instrumento, a maioria dos mais renomados do instrumento das 04 cordas no início dos anos 60 eram conhecidos por tocar puramente as mesmas bases da guitarra, o que lhe faziam desaparecer no fundo do palco.

E a medida que o boom da "Invasão Britânica" dos anos 60 explodiu, todos os músicos começaram a elevar as suas coisas. Com a estreia de bandas como o THE YARDBIRDS, os artistas viam o palco como uma oportunidade para criar um pouco de sua magia musical quando tinham a ideia certa para mostrar.

E mesmo que o guitarrista do THE YARDBIRDS, Eric Clapton, tenha começado a tocar o mesmo blues elétrico da cena, ele tinha outra coisa em mente quando saiu do grupo e resolveu formar o CREAM.

Indo além do blues tradicional pelo qual o THE YARDBIRDS era conhecido, Clapton reuniu o seu famoso power trio com as lendas locais, Jack Bruce (vocalista/baixista) e Ginger Baker (baterista). Vindo do mundo do jazz, blues e rock and roll, Bruce era um baixista único com o seu forte vocal.

Nunca satisfeito tocando o tradicional jeito de tocar baixo, Bruce voava pra cima e pra baixo no braço do seu baixo toda vez que subia ao palco, transformando o que seriam músicas de rock tradicionais em loucuras psicodélicas, deslizando constantemente por diferentes modos que deixavam a maioria dos baixistas estupefatos.


Falando sobre o CREAM mais tarde em entrevista, Clapton diria que metade das melhores músicas da banda giravam em torno dele tentando acompanhar Bruce, constantemente garantindo que ele (Clapton) não estragasse o ritmo central da música.

Com Waters sendo um colega contemporâneo no PINK FLOYD, ele considera o jeito de tocar baixo de Bruce como um dos melhores exemplos no rock and roll. Falando para a revista Rolling Stone, Waters admirou o poder que veio da linha de frente do CREAM: “Não precisamos falar sobre Eric Clapton, porque todos nós sabemos o quão incrível ele é, mas temos Jack Bruce, provavelmente o baixista mais talentoso musicalmente que já existiu”.



Com isso e em parte, Waters se inspiraria em levar o PINK FLOYD em direções diferentes graças ao CREAM e ao baixista Jack Bruce, criando músicas clássicas como "Money" que não dependiam da tradicional fórmula de compasso 4/4 para se tornar um sucesso.


Embora Waters possa admitir não ser capaz de tocar baixo no mesmo talento de Bruce, ele diria que várias composições do PINK FLOYD estão em dívida com o que o CREAM havia feito, concluindo: “Junto com os BEATLES, o CREAM também deu a nós algo para aspirar quando estávamos entrando nos negócios da indústria musical... Não era um som pop, mas ainda era popular”.










Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page