• by Brunelson

Smashing Pumpkins: "nos anos 90, a banda funcionou porque compartilhávamos a mesma água e usáva


Billy Corgan, vocalista/guitarrista intransigente do SMASHING PUMPKINS, foi recentemente entrevistado na Apple Music pelo radialista Zane Lowe e detalhou o seu raciocínio por trás da decisão de reunir a formação original da banda em meados de 2016 - desde 2000 separados.


A banda, formada há mais de 30 anos, se reuniu com os membros fundadores - James Iha (guitarrista) e Jimmy Chamberlin (baterista) - para gravarem o álbum "Shiny and Oh So Bright / Vol.1" (9º disco, 2018), para o deleite de sua enorme base de fãs - apesar da baixista original, D'arcy, não ter retornado à banda.


Desde então, SMASHING PUMPKINS realizou uma série de shows esgotados em arenas nos EUA e Europa, onde Corgan tem estado ocupado trabalhando também em seu material solo.


Agora, em um momento que a música ao vivo está bem e verdadeiramente fora do menu, o músico tem refletido sobre a história recente da banda e as suas decisões de retornar com a formação original.


Seguem alguns trechos:


“Eu diria que é difícil para algumas pessoas apreciarem isso na minha mente, tipo, tentar remontar a banda não era apenas sobre a parte óbvia dela, o que é bom, claro, mas se trata realmente de montar esta máquina novamente para produzir aquele mesmo nível de música no passado com uma grande consistência”.


“E isso provou ser um processo muito mais complicado do que eu jamais poderia ter imaginado, sabe? Remonta a quando eu e Jimmy tínhamos acabado de gravar o álbum 'Zeitgeist' (6º disco, 2007, quando o grupo retornou do seu hiato com somente Corgan e o baterista Jimmy Chamberlin na banda). Nesta época, eu simplesmente presumi que se eu e Jimmy estivéssemos numa mesma sala no estúdio, nós meio que voltaríamos para aquele mesmo tipo de som, você me entende?"


"E desde 2000 que não gravávamos um disco e depois de tantos anos havia também outras pessoas na sala gravando conosco, tipo, tem sido uma longa, longa negociação interna no decorrer dos anos para descobrir o que era real e o que não era real... Éramos um produto do nosso próprio tempo".


“Quando a banda retornou em 2007, éramos indulgentes e estávamos sendo recompensados pelo nosso passado por sermos punk, bobos e... Para tentar entender isso, vamos falar sobre o presente".


"Você tem três caras na casa dos 50 anos e todo mundo tem filhos (Corgan, Iha e Chamberlin). Jeff Schroeder está na banda há 13 anos (guitarrista desde quando o grupo retornou do seu hiato em 2007). Então, há muito caminho a percorrer e não é uma coisa tão simples, como: ‘Hey, vamos fazer de tal jeito e é só apertar este botão para dar certo’. Simplesmente não funciona assim, sabe? E o engraçado é que nunca funcionou assim".


"Nós nos movemos tão rápido ao longo desses anos, que eu não conseguiria nem dizer o que estávamos pensando na metade do tempo. As coisas simplesmente aconteceram nos anos 90, porque era a água certa e as drogas certas que compartilhávamos, eu não sei... Você sabe o que eu quero dizer?"


Só lembrando que o SMASHING PUMPKINS ainda lançou os álbuns "Oceania" (7º disco, 2012) e "Monuments to an Elegy" (8º disco, 2014) com somente Billy Corgan como membro original.


Em 2018, foi lançado o álbum de retorno de James Iha e Jimmy Chamberlin à banda, "Shiny and Oh So Bright / Vol. 1" (9º disco).


Para o mês de novembro de 2020, será lançado o álbum duplo, "Cyr" (10º disco, que será o Volume 02 da série "Shiny and Oh So Bright / Vol. 1").


Confira as músicas que o SMASHING PUMPKINS já lançou para divulgar o vindouro álbum duplo, "Cyr":


"Cyr"

"The Colour of Love"

"Confessions of a Dopamine Addict"

"Wrath"

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead