Nação Zumbi: resenha do disco homônimo de 2014

April 13, 2019

 

Não é muito difícil de dizer que o último álbum de inéditas da banda NAÇÃO ZUMBI (homônimo, pela 2ª vez em sua discografia), também se enquadra entre os melhores do grupo com grande maestria. 

 

Novamente, o guru do BEASTIE BOYS, Mario Caldato Jr., apresenta o seu trabalho mixando 03 músicas aqui.

 

Em 2014, depois de um período de 07 anos sem lançar um disco, NAÇÃO ZUMBI lançava o seu 8º álbum de estúdio - e o 6º sem o saudoso Chico Science nos vocais. 

 

É claro que os dois primeiros discos da banda são inigualáveis e estão em um degrau superior, mas este 8º álbum é simplesmente perfeito do começo ao fim.

 

Lembrando que, na verdade, todos os discos da NAÇÃO ZUMBI são ótimos, podendo escolher de olho fechado qualquer um para se ouvir...

 

A música que abre o álbum é também o single do mesmo, “Cicatriz”. Já pela primeira canção, o ouvinte pode perceber que a banda está cada vez mais amadurecida trilhando o seu próprio caminho, naturalmente expandindo os seus horizontes. Sensação esta que irá percorrer durante todo o disco num prisma sonoro muito mais leve, em relação aos outros álbuns do grupo.

 

Mas na 2ª música, “Bala Perdida”, isso não se faz presente, por ser arrastada e com uma letra poderosa. Seria a única música lado-b do álbum, mas mesmo assim é uma baita de uma sonzeira!

 

A canção “O Que Te Faz Rir” vai desenhando o prisma geral do disco citado dois parágrafos acima, que apresenta em sua totalidade esta suave camada.

 

“Defeito Perfeito” é a excelência do ritmo que só a NAÇÃO ZUMBI sabe fazer. A próxima que vem na sequência, “A Melhor Hora Da Praia”, é bela e saborosa de se ouvir, com a participação especial da cantora brasileira Marisa Monte, emprestando o seu sensível e leve vocal.

 

Até este momento, o álbum já nos faz sorrir e nos traz a reflexão de que a NAÇÃO ZUMBI é uma banda totalmente singular, criativa e com uma mensagem nas letras que mais parece um tapa na cara - mas isso não é novidade para quem acompanha o grupo desde sempre. 

 

Mas daí, se o sujeito tiver a audácia de pensar que o nível do álbum vai oscilar um pouco, puro engano! Me arrisco a dizer que as próximas músicas que virão, são umas das melhores canções que eles já criaram, só escutando mesmo... Sem palavras! E o nível só aumenta, com as músicas “Um Sonho” (essa música é perfeita),  “Novas Auroras” (esse som mata a pau), “Nunca Te Vi”, “Foi de Amor” (finalmente uma quebraceira), “Cuidado” (me lembra TITÃS e MUTANTES) e termina com a música “Pegando Fogo” (somente duas quebraceiras no disco, mais um fator para nomear este álbum o mais tranquilo em sua discografia).

 

O que chama a atenção é a seleção e as ordens das músicas, conforme o ouvinte vai se apercebendo do início ao fim escutando o disco inteiro. E o que falar da guitarra de Lúcio Maia? Altas psicodelia na leveza do ser.

 

Assim como foi durante toda a carreira deles e a cada álbum lançado, a sonoridade da banda vai cada vez mais evoluindo, naturalmente, como um processo verdadeiro e sincero da coisa. E pelo penúltimo álbum lançado por eles em 2007, "Fome De Tudo", já é possível verificar a origem e o caminho que a sonoridade da banda iria percorrer, que pelo menos abrangeu este último disco lançado em 2014, "Nação Zumbi".

 

A banda está em atividade até hoje com 08 álbuns de estúdio e 01 de covers lançado por último, com turnê pela Europa e Brasil sempre que lançam um novo disco.

 

Ao lado de Chico Science, eles criaram um ritmo novo e único chamado manguebeat, que foi também um movimento contracultural surgido a partir de 1991 em Recife/PE, misturando ritmos regionais como o maracatu, ciranda e forró, de mãos dadas com o rock, hip-hop, funk americano e outras peculiaridades.

 

Track-list

 

1. Cicatriz

2. Bala Perdida

3. O Que Te Faz Rir

4. Defeito Perfeito

5. A Melhor Hora Da Praia

6. Um Sonho

7. Novas Auroras

8. Nunca Te Vi

9. Foi De Amor

10. Cuidado

11. Pegando Fogo

 

Confira os vídeos e clipes a seguir:

 

"Cicatriz"

 

"Defeito Perfeito"

 

"A Melhor Hora Da Praia"

 

"Um Sonho"

 

"Foi De Amor"

 

O site rockinthehead publicou matérias especiais para cada álbum lançado pela NAÇÃO ZUMBI.

 

Confira:

 

 

"Da Lama Ao Caos" (1º disco, 1994)

 

 

"Afrociberdelia" (2º disco, 1996)

 

 

"CSNZ" (3º disco, 1998)

 

 

"Rádio Samba" (4º disco, 2000)

 

 

"Nação Zumbi" (5º disco, 2002)

 

 

"Futura" (6º disco, 2005)

 

 

"Fome De Tudo" (7º disco, 2007)

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Grunge: Top 50 melhores álbuns pela Revista Rolling Stone - nº 22

August 5, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead