Chris Cornell: ferida na cabeça é explorada em documentário para TV

August 13, 2018

 

O documentário da televisão americana que vai relatar as últimas horas de Chris Cornell, vai explorar a vida dele e várias teorias sobre o que poderia ter levado à sua morte - embora nunca mergulhe nas teorias de conspiração completamente infundadas de assassinato. 

 

O documentário também aborda possíveis traumas na cabeça de Chris.

 

O médico legista, Dr. Michael Hunter, que já realizou mais de 5.000 autópsias, discutiu essa questão no documentário. Porém, tenha em mente que Hunter não realizou a autópsia de Cornell em Detroit.

 

Hunter falou: "Após a morte de Chris, houve uma aparente convocação feita por um paramédico em cena, dizendo que Chris poderia ter sofrido traumatismo craniano".

 

A foto acima é do último show de Chris com a sua banda, SOUNDGARDEN, a qual apresenta o suposto "trauma" na parte de trás da cabeça.

 

Hunter continuou: “Isto sugere que Chris adquiriu uma lesão que pode ter causado uma concussão. Uma concussão pode causar confusão, perda de memória e comportamento incomum, como mudanças repentinas de humor e tornar-se facilmente irritável. Agora, uma concussão turvou o julgamento de Chris e contribuiu para sua morte?"

 

Mais tarde, ele disse: "Tenho dúvidas se houve realmente um ferimento na cabeça. As imagens do show final de Chris são inconclusivas devido à qualidade das filmagens e às condições de iluminação. Também é comum os entes queridos sugerirem lesões que, após um exame mais aprofundado, pode não existir. Além disso, não há menção a isso na autópsia e apenas com base nisso, posso desconsiderar a lesão na cabeça como um fator que contribuiu para a sua morte”.

 

A viúva de Chris Cornell, Vicky, falou sobre os ferimentos na cabeça que os paramédicos notaram em seu falecido marido na noite em que ele morreu - quando foi entrevistada pelo jornal Detroit News algum tempo atrás.

 

"O meu marido não tinha intenção de deixar esse mundo. Ele não tinha controle de suas faculdades devido à toxicologia, talvez até exacerbada por outros fatores, incluindo um ferimento na cabeça que foi referenciado em 02 relatórios dos paramédicos e foram deixados de fora do relatório da autópsia".

 

Um técnico de emergência é ouvido em áudio no momento em que estão analisando o corpo de Cornell, referenciando um corte em sua cabeça. Além disso, um relatório escrito pela tripulação da ambulância do hospital de Detroit que levou o corpo, declarou: “Laceração na parte de trás do crânio. Pequenos sangramentos foram notados pela equipe na hora da chegada ao local".

 

Vicky também havia dito: “Você pode ver claramente um corte ou pelo menos uma visível grande área calva em fotos e vídeos. Esta informação foi confirmada pela banda e pela equipe de roadies, dizendo que eles viram no show e não na passagem de som. Você não pode dizer às pessoas que não houve laceração quando o fato está documentado, sendo que todos nós podemos ver nas imagens".

 

Vicky Cornell disse que acredita que a ferida aconteceu após a passagem de som, porque ela disse que seus colegas de banda não perceberam nada de errado antes disso.

 

Vicky também acredita que uma combinação de fatores levou à morte do marido.

 

"Se você adicionar tudo, ele estava sendo receitado pelo medicamento Ativan, que nunca deveria ter sido prescrito para um ex-dependente químico em recuperação a longo prazo, o que causou uma recaída…"

 

“Infelizmente, eu acho que foi a tempestade perfeita, uma combinação de fatores e remédios que o fizeram ficar no estado maníaco. Se o médico examinasse todos esses fatores, talvez eles não concluíssem que foi um suicídio de apenas 01 hora e meia”.

 

Chris Cornell já tinha uma área calva que, às vezes, era visível no decorrer do anos - na mesma área onde a aparente ferida na cabeça pode ter acontecido.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Singles: algumas curiosidades sobre o filme da era grunge

June 6, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead