Chris Cornell: prescrição do medicamento pode ter gerado 'Amnésia Anterógrada'

May 28, 2017

 

A revista Rolling Stone lançou um novo artigo sobre a prescrição do medicamento que Chris Cornell estava usando antes da sua morte, Ativan. Leia um trecho da matéria logo abaixo:

 

 

A pesquisa mostrou que benzodiazepinas, como o álcool, pode causar amnésia anterógrada se uma pessoa fizer exame sob uma quantidade excessiva da droga. A amnésia anterógrada - ou o que é também conhecido como "apagões" - é a incapacidade de criar novas memórias, o que significa que o cérebro não registra os eventos de como eles acontecem no tempo. Em outras palavras, você perde “pedaços” do tempo.

 

Semelhante aos apagões alcoólicos, as pessoas que experimentam amnésia anterógrada por consumirem muitos benzodiazepínicos, podem se envolver em comportamentos desinibidos e perigosos. Isso pode incluir a condução enquanto intoxicado, a cometer crimes e até mesmo tentar o suicídio. O médico Lee falou à revista Rolling Stone: "Vimos muitas pessoas que não tinham comportamentos destrutivos antes de sofrerem consequências realmente sérias devido ao uso de benzodiazepinas. Portanto, pode virar um problema sério". (A Valeant Pharmaceuticals International Inc., que fabrica o medicamento Ativan, não retornou ao pedido dos comentários da revista).

 

Os especialistas que falaram com a revista observaram que o uso prolongado ou o mal uso do Ativan podem exacerbar sentimentos negativos em pessoas com depressão, ou uma história de idealização suicida (Cornell, um viciado em recuperação, tinha sido público sobre os seus problemas com depressão). Embora raros, os pesquisadores encontraram uma correlação entre o uso indevido de benzodiazepinas e o aumento do risco de suicídio (uma ligação semelhante tem sido com a dependência de álcool). Mas é altamente improvável que o Ativan seja a única causa de um suicídio concluído, já que o suicídio não tem uma única causa, diz o Dr. Jeffrey Lieberman, presidente do Centro Médico de Psiquiatria da Universidade de New York e ex-presidente da Associação Americana de Psiquiatria:

 

“Se alguém morresse por suicídio durante um apagão do Ativan, essa pessoa pode ter lidado com problemas subjacentes de saúde mental, onde o Ativan seria o fator menos contributivo".

 

“Embora nem sempre, as pessoas que tentaram ou morreram por suicídio, muitas vezes exibem sinais de antemão”, diz o Dr. Joel Dvoskin, um psicólogo clínico e professor assistente no Departamento de Psiquiatria da Universidade do Arizona: “suicidas podem dizer-lhe que não possuem nenhuma razão para viver ou que eles se sentem como um fardo para os outros. Eles podem parecer deprimidos ou zangados. Eles podem agir imprudentemente, abusar de drogas, ou dizer adeus sem razão”.

 

“No entanto, rotineiramente, as pessoas tomam esses sinais como alguém ‘dramático’ ou como um ‘grito de socorro’, mas uma ameaça suicida também é um grito de socorro e isso não significa que eles não vão se matar. Se alguém lhe diz algo que implica o suicídio, leve isso a sério".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Black Flag: vocalista Henry Rollins relembra como entrou na banda

September 24, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead