• by Brunelson

Tibetan Freedom Concert: um review dos festivais de 1996, 1997 e 1998


Rock 'n roll e política têm uma história longa, entrelaçada e é difícil encontrar um exemplo melhor do que o Tibetan Freedom Concert.

Começando em 1996 no Golden Gate Park de San Francisco, o festival reuniu muitos dos maiores artistas da época por um motivo: libertar o Tibete de décadas de controle incapacitante nas mãos do regime comunista da China.


O festival foi liderado pelo BEASTIE BOYS e em particular, pelo falecido Adam “MCA” Yauch (vocalista/baixista e conforme os próprios membros da banda, o maior compositor entre eles), que se preocupava profundamente com essa missão.

O Tibetan Freedom Concert continuou no início dos anos 2000, mas os seus maiores anos foram entre 1996 e 1998. Aqui está apenas uma amostra dos artistas que se apresentaram durante o auge do festival no final dos anos 90: RAGE AGAINST THE MACHINE, RED HOT CHILI PEPPERS, SMASHING PUMPKINS, SONIC YOUTH, Beck, Patti Smith, PEARL JAM, U2, FOO FIGHTERS, RADIOHEAD, PAVEMENT, R.E.M. e vários outros...

O que mais você poderia querer?

Portanto, resolvemos criar um túnel do tempo e revisitar aquela época para aqueles que nem eram nascidos e para quem vem acompanhando o rock desde 1991 como nós (ou desde sempre).

Começando com os fundadores do evento, BEASTIE BOYS estão rasgando uma performance especialmente estridente da música “Sabotage” no show inaugural em San Francisco (4º disco, "I'll Communication", 1994):


Lançada no mesmo álbum, os nativos de New York também apresentaram a música “Get it Together”:


E a versão da música “Stand Together” (3º disco, "Check Your Head", 1992):


Para o BEASTIE BOYS, isso foi mais do que apenas um show. Cerca de meia hora no palco, você verá Adam Yauch gentilmente pedindo à multidão para comparecer à manifestação do dia seguinte, com o objetivo de chamar a atenção do então presidente americano, Bill Clinton, para a situação do Tibete.

Yauch não apenas falou sobre isso, ele era sobre isso. Yauch assumiu a causa do Tibete Freedom depois de conhecer refugiados tibetanos enquanto visitava o Nepal no início dos anos 90.


Logo depois, ele co-fundou o Fundo Milarepa, uma organização sem fins lucrativos dedicada a arrecadar dinheiro para ajudar a libertar o Tibete. E desde o início, a criação de um show beneficente no estilo Live Aid estava em sua mente. Depois de algumas tentativas fracassadas de tirá-lo do papel, o Tibetan Freedom Concert finalmente se concretizou em junho de 1996, em alguns casos, convidando pessoalmente os artistas para se apresentar.

“Isso pode se tornar um trampolim para mudanças em todo o mundo e exemplificar a luta não violenta e o uso da compaixão para parar o ódio”, disse Yauch à revista Rolling Stone sobre o festival em 1996. O movimento, acrescentou: “Não é pró-tibetano e não é anti-chinês, é pró-justiça”.

Sem surpresa, RAGE AGAINST THE MACHINE, uma banda que sabe "pouquinha" coisa sobre misturar rock e política, foi uma das atrações principais desse 1º evento. Tudo o que você esperaria de um show do RAGE AGAINST THE MACHINE – paixão, energia, riffs de quebrar os ossos e o ocasional discurso político do vocalista Zack de la Rocha – está tudo bem aqui.

Esse é o RAGE AGAINST THE MACHINE no ápice em meados dos anos 90, tendo lançado o novo e muito aguardado 2º álbum de estúdio há apenas 02 meses atrás, "Evil Empire" (1996):


E se estamos julgando estritamente pelo line-up de bandas, o concerto de 1996 é o melhor.


Se você pudesse voltar no tempo, este seria automaticamente um festival de rock Top 05 ao qual você gostaria de voltar.


O festival estava lotado com atos icônicos dos anos 90, incluindo o SMASHING PUMPKINS detonando na canção “Bullet With Butterfly Wings”, menos de 01 ano depois de lançar o álbum "Mellon Collie and The Infinite Sadness" (3º disco, 1995):


Chegamos no festival realizado em 1997, durante um fim de semana de junho no Downing Stadium em Randall's Island, New York - e que tende a se perder um pouco na confusão.

Muitas vezes é tratado como o irmão do meio, preso entre o 1º e o 3º evento de 1998.

Não deveria ser...


Eddie Vedder e Mike McCready (vocalista e guitarrista do PEARL JAM) apareceram para um set surpresa de 03 músicas para os primeiros artistas e bandas que iriam subir ao palco no 2º dia de evento.

E claro, um relâmpago de fim de tarde definido pelo FOO FIGHTERS em turnê divulgando o seu novo álbum de estúdio e que tinha sido lançado um pouco mais de 15 dias atrás, "The Colour and The Shape" (2º disco, 1997):


O que nos leva ao festival de 1998.


Este foi o maior festival de todos, com U$ 1,2 milhão de dólares arrecadados e mais de 60 mil pessoas lotando o RFK Stadium na capital Washington todos os dias.

Porém, as coisas começaram de forma assustadora, com um raio atingindo o estádio logo cedo, ferindo 11 pessoas e encurtando o 1º dia de apresentações. Com artistas já se apresentando no palco, o raio caiu no gramado do estádio às 15:45hs e atingiu a estudante Lysa Selfon. Depois de tudo, ela acabou usando a sua dor para ajudar os outros, arrecadando dinheiro para um Centro de Queimados de sua cidade natal.

O raio acabou atrapalhando também a programação do 2º dia e ameaçou cancelar uma apresentação surpresa do RED HOT CHILI PEPPERS, que recentemente tinha se reunido com o guitarrista John Frusciante. Neste 2º dia, PEARL JAM terminou o seu show mais cedo para que o RED HOT CHILI PEPPERS tivesse uma janela de somente 15 minutos de sua apresentação.

“Eddie Vedder ficou sabendo do nosso dilema”, escreveu o vocalista do RED HOT CHILI PEPPERS, Anthony Kiedis, em sua autobiografia de 2004, "Scar Tissue". Ele continuou: "Vedder ameaçou desistir da apresentação do PEARL JAM, a menos que nos dessem parte do tempo de palco permitido. Foi uma incrível demonstração de apoio deles e nunca nos esqueceremos disso”.

Apesar do esforço de todas as bandas e artistas que se apresentaram naquele dia, RED HOT CHILI PEPPERS só conseguiu encaixar 03 músicas em seu tempo de palco, mas foi um trio poderoso com as músicas “Give it Away”, “Under The Bridge” e “The Power of Equality” (todas do 5º disco, "Blood Sugar Sex Magik", 1991):


PEARL JAM também merece algum brilho, então, aqui está um bom medley de 10 minutos de sua apresentação em 1998, quando estavam em turnê divulgando o novo álbum de estúdio, "Yield" (5º disco, 1998):


Muitas outras coisas legais aconteceram também, como o vocalista Michael Stipe do R.E.M. se juntando ao RADIOHEAD no palco para a canção “Lucky” (3º disco do RADIOHEAD, "OK Computer", 1997):


Então, mais tarde, foi a vez do vocalista do RADIOHEAD, Thom Yorke, se juntando ao R.E.M. para a música “E-Bow The Letter” (10º disco do R.E.M, "New Adventures in Hi-Fi", 1996).


Isso é apenas uma das sinergias de alto nível que aconteceram nos anos 90.


E é justo fechar com um show completo de 50 minutos do BEASTIE BOYS, incluindo sucessos de sua carreira e a estreia ao vivo da inédita música “Intergalactic”, cujo álbum onde ela foi lançada, "Hello Nasty" (5º disco, 1998), estaria no mercado no mês seguinte a essa apresentação.


É assim que o Tibetan Freedom Concert deve ser lembrado.

Adam Yauch viria a falecer em 2012 e ele não viveu o suficiente para ver o seu objetivo final um dia se tornar realidade: um Tibet livre dos grilhões da China.

Ainda não é uma realidade, mas os seus esforços não foram em vão. Yauch pode descansar em paz sabendo que o seu festival ajudou a arrecadar milhões de dólares para uma causa justa e deu a milhares de fãs algumas das melhores lembranças de shows de suas vidas.

Mais Recentes
Destaques