top of page
  • by Brunelson

The Doors: quando recusou propostas milionárias da Cadillac, Apple e Buick


Após a morte de Jim Morrison em 1971, THE DOORS tentou continuar como um trio antes de finalmente se separar em 1973 e concluir que existir sem o seu líder era uma tarefa impossível.


Por meio das vendas dos seus discos, royalties e materiais promocionais, o resto da banda continuou a ter uma renda saudável, no entanto, se tivessem sucumbido às tentações da publicidade, poderiam ter ganho consideravelmente muito mais.

Enquanto os membros da banda uma vez permitiram (após o falecimento de Jim Morrison) que a marca de pneus, Pirelli, usasse a música "Riders on The Storm" para promover o seu produto, o baterista John Densmore se sentiu desconfortável em fazê-lo e doou seus ganhos da campanha para caridades.


Enquanto o guitarrista Robby Kreiger e o tecladista Ray Manzarek adotaram uma abordagem descontraída para que as suas músicas fossem usadas para promover atividades comerciais, Densmore não compartilhou da mesma atitude.

Ao longo do tempo, marcas como Cadillac e Apple ofereceram taxas lucrativas para garantir músicas do THE DOORS em seus anúncios, mas Densmore impediu que os seus companheiros de banda recebessem o pagamento. De acordo com o Campaign Live em 2005, o valor total da perda de receita foi de quase U$ 20 milhões de dólares porque ele se recusou a vender suas músicas.

A Cadillac inicialmente planejou usar a canção "Break on Through" do THE DOORS para uma campanha publicitária para a sua linha 4×4, mas depois que Densmore estragou os planos, eles optaram por usar a música "Rock 'N' Roll" do LED ZEPPELIN. Enquanto isso prejudicava a conta bancária de Manzarek e Kreiger, Densmore dormia confortavelmente, sabendo que o legado de Morrison permanecia intacto.

Em 2002, Densmore explicou por que é contra o uso do material do THE DOORS em anúncios, quando foi entrevistado pelo jornal britânico The Guardian: “Tudo começou em 1967, quando a Buick ofereceu U$ 75 mil dólares para usar a música 'Light My Fire' para vender a sua nova e quente oferta da época. Eu, Ray Manzarek e Robby Kreiger concordamos com aquilo, enquanto que Jim Morrison estava fora da cidade. Quando ele voltou e falamos para ele, Jim enlouqueceu. Ele pediu para entramos em contato com a Buick para cancelar tudo e dizer que, se o anúncio fosse ao ar mesmo assim, ele esmagaria o carro deles que estava sendo lançado na televisão com uma marreta para todo mundo ver e aquilo foi fantástico, cara... Acho que essa é uma das razões pelas quais sinto falta dele".

Mais adiante, Densmore acrescentou: “Portanto, tem sido um caminho solitário resistir aos encantos das solicitações crescentes do mercado. Todo mundo tem um preço, não é? Toda vez que nós, ou eu, resistimos, eles voltam e aumentam a proposta. Uma empresa de internet recentemente ofereceu US$ 3 milhões de dólares pela canção 'Break on Through'. O 'amigo' de Jim (como ele retrata em sua biografia) disse que 'sim', e Robby se juntou a mim em um retumbante 'não!'"

Embora Densmore pudesse ter ficado incrivelmente rico aceitando ofertas de empresas como a Apple, ele já está satisfeito com a sua conta bancária, pois o legado do THE DOORS é mais importante para ele do que ganhar montanhas de dinheiro vendendo sua música.


"Riders on The Storm" (6º disco, "L.A. Woman", 1971)


"Break on Through" (1º disco, "The Doors", 1967)


"Light My Fire" (1º disco, "The Doors", 1967)


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page