• by Brunelson

Smashing Pumpkins: "ele não saiu, foi convidado a partir", sobre ex-baterista


Billy Corgan reagiu a um fã lhe perguntando em rede social sobre a saída do ex-baterista do SMASHING PUMPKINS, Mike Byrne, em 2014 - antes da gravação do álbum "Monuments to an Elegy" (8º disco, 2014).


Para a primeira parte da turnê promocional desse disco, o baterista do RAGE AGAINST THE MACHINE, Brad Wilk, levou a bateria para o SMASHING PUMPKINS, quando só mais tarde em 2015, o baterista original e membro fundador, Jimmy Chamberlin, havia retornado em definitivo ao grupo.

Confira:

Pergunta: Você ainda fala com Mike Byrne? Por que ele saiu da banda antes de gravarem o álbum "Monuments to an Elegy"?

Billy Corgan: Ele não saiu, foi convidado a partir.

Byrne entrou em 2009 no SMASHING PUMPKINS aos 19 anos de idade, depois que o baterista Jimmy Chamberlin havia saído. Ele participou da gravação e turnê do álbum "Oceania" (7º disco, 2012).

No final de 2019, Corgan havia sido perguntado em rede social sobre Mike Byrne e o site rockinthehead havia publicado esta matéria.

Confira o que ele disse:


"Digamos que Mike, assim como Elvis Presley, saiu da 'casinha'".

Corgan continuou: “Mike Byrne me ensinou muito sobre a sua geração e observando os atritos de perto, e com a adição de tudo o que envolvia, comecei a entender o que ele achava chato no SMASHING PUMPKINS... Ele não estava errado, mas também não estava certo".

"Grandes músicos como Mike Byrne são capazes, mas mesmo assim eles estão dispostos a parar de olhar para o sol brilhante e se perguntarem, com razão, o que há no lado escuro da lua?"

"Imagine o seguinte: o mundo nos anos 30 foi menos brilhante para aquela geração? Grandes movimentos de arte vieram, mas também o cenário para a guerra mundial, então, a luz encontra a escuridão? Ou a escuridão encontra a luz?"

"Mas onde há iluminação cintilante, porém falsa, nós devemos destruí-la, procurando deixa-la mais real, verdadeira e mais do mais. Funciona toda vez quando você pode passar pelo agrupamento do seu próprio esquecimento - ou bocejo".

"Misture isso com o punk rock cinético, elétrico e hiperbólico, porque eu não dou a mínima para o que você esteja fazendo e talvez - apenas talvez - alguém acorde desse coma em que eles estão".


Confira a performance do SMASHING PUMPKINS com Mike Byrne na bateria, da faixa-título "Oceania":


Mais Recentes
Destaques