Smashing Pumpkins: fãs comentam sobre o disco "Monuments to an Elegy"

February 23, 2020

 

Com o frontman do SMASHING PUMPKINS, Billy Corgan, ter anunciado recentemente que o vindouro álbum de estúdio da sua banda será duplo (e que será o 10º disco), os fãs começaram a postar na página Reddit do grupo os seus comentários sobre alguns discos do SMASHING PUMPKINS.

 

Um fã defendeu o álbum "Monuments to an Elegy" (8º disco, 2014), o último álbum do SMASHING PUMPKINS antes do retorno dos membros fundadores da banda: Jimmy Chamberlin (baterista) e James Iha (guitarrista).

 

Confira a sua postagem e a reação de outros fãs sobre este disco:

 

“Eu estava errado sobre o álbum 'Monuments to an Elegy'... É um ótimo disco! Recentemente, fiquei envergonhado e humilhado com a minha antipatia que eu tinha por este álbum. Acabei de voltar a ouvi-lo e repeti a audição do mesmo 04 vezes seguidas. Ele me venceu".

 

“Eu simplesmente não acho que seja tão ruim, mas também não é o melhor disco deles e nem o pior da fase onde somente Billy Corgan era o membro original… É óbvio que Billy estava tentando explorar o mercado jovem da rádio com este álbum, abordando músicas que fossem um pouco mais diretas, mas não é ruim se comparado com muita merda de bandas de hoje em dia. Gostaria de fazer uma pergunta séria para aqueles que odeiam este disco: Vocês acreditariam que se Jimmy Chamberlin fosse o baterista neste álbum, o disco seria aceitável?"

 

“Concordo com o amigo acima e também gostaria de acrescentar ao primeiro rapaz, que você nunca deve se envergonhar de nada... Complementando a questão levantada pelo amigo acima, só porque não entendo o ódio que algumas pessoas possuem por esse álbum, não significa que isto se justifique para eu não gosta-lo… Assumidamente, eu não gosto muito de muitas bandas ou discos pós-2010, mas sou solidário e reconheço a qualidade do álbum 'Monuments to an Elegy'".

 

"Eu não estou aqui de maneira alguma balançando a bandeira do SMASHING PUMPKINS, mas nunca parei de ouvir este grupo desde o início de carreira e num determinado momento, embora continue sendo fã deles por toda a vida, cheguei a um ponto em que apenas reconheço este álbum pelo o que ele é, simplesmente um disco do SMASHING PUMPKINS. Tipo, duvido que alguma vez disse com entusiasmo às pessoas: 'Você precisa ouvir este álbum!', mas apenas aprecie-o sozinho sem comparações ou deixe-o em segundo plano... Para equilibrar, somente gostaria que a banda tocasse mais músicas deste disco nos shows".

 

O álbum "Monuments to an Elegy" - no bom sentido - é o mais minimalista de toda a discografia do SMASHING PUMPKINS.

 

Em 2015, este que vos fala presenciou "in loco" o show do SMASHING PUMPKINS no Rio de Janeiro, onde estavam em turnê do disco "Monuments to an Elegy" e com apresentações seguintes nas edições do Lollapalooza Festival na América do Sul. Posso dizer que foi uma sensação única escutar também as canções deste álbum ao vivo, onde ainda não estavam cravadas em minha mente - pois o disco tinha sido recém-lançado em dezembro de 2014 e o show no Rio de Janeiro foi em março de 2015 - apreciando as mesmas com uma atenção e concentração especial, que nunca antes havia passado ao assistir outros shows de bandas as quais o setlist na íntegra era familiar.

 

De 09 músicas que este disco apresenta, SMASHING PUMPKINS tocou "Being Beige", "Drum and Fife", "Monuments" (esta é uma sonzeira mesmo!) e "One and All" neste show no Rio de Janeiro.

 

O site rockinthehead havia feito uma resenha desta apresentação e você pode conferir clicando no título abaixo:

 

* Smashing Pumpkins: resenha do show no Rio de Janeiro/2015
 

Confira o videoclipe da canção que foi o single deste disco, "Being Beige", e que é uma das melhores músicas do SMASHING PUMPKINS em toda sua discografia:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Smashing Pumpkins: "voltamos a ser nós mesmos"

September 27, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead