Entrevista com a banda Terrakiuz de Floripa

April 14, 2018

 

A banda Terrakiuz de Florianópolis, formada em 2014, conta com Bruno na guitarra e voz, Bryan no baixo e Diego na bateria. Desde então, a banda vem se apresentando em diversos picos de Floripa com um repertório de composições próprias. Confira abaixo a entrevista concedida pelo frontman da banda, Bruno, ao site Rock in The Head:

 

- O movimento grunge de Seattle, mesmo após mais de 20 anos, ainda continua inspirando muitas bandas. Na visão da Terrakiuz, a que isso se deve?

R: Creio que antes de tudo, se deve a sinceridade na postura daquelas bandas e verdadeiros sentimentos que o grunge nos mostrou nas suas músicas e letras. As bandas grunge tratavam dos nossos problemas reais, coisas que cada adolescente estava passando com as suas coisas internas e relacionamentos. Aquelas bandas tinham/ainda tem atitudes que nos faziam se identificar, além do mais foi o último pico alto na história do rock, quando o gênero atingiu maciçamente o mainstream (até a moda) e o grunge desbancou o hair metal dos anos 80 onde tudo era altamente maquiado, artificial e não orgânico, com mensagens de festa, carros e mulheres... Os adolescentes daquela época e no começo dos anos 90 não se identificavam com aquilo, porque não faziam parte de suas rotinas. Então, com o grunge, o cru apareceu e fez emergir uma legião de fãs que estavam cansados daquela mesmice. O grunge é um filhote do punk rock, em atitude e em sonoridade para algumas bandas - nem todas - e novamente fez com que milhares de crianças saíssem do bueiro, tomassem coragem e subissem no palco para tocar música com 02 ou 03 acordes, assim como foi com o punk rock no final dos anos 70... Mas lembremos sempre que o grunge foi uma fusão do punk com o heavy metal, onde outras bandas destilaram as sua belas técnicas também...

 

 

- Falando mais especificamente de Florianópolis, como está o cenário grunge atualmente na cidade?

R: Muito fraco, temos algumas bandas do gênero aqui, mas fazemos tudo por conta própria, organizando festivais ou se apresentando sozinho... Não sei, aqui é uma cidade praieira e tem outros estilos que dominam por aqui. Poderia citar algumas bandas do gênero como, A HARD DAY'S SONGS, MONAURAL, SUBVERSIVA, BABY'S BRAIN e outras que fogem um pouco do estilo, mas que são nossos amigos e parceiros também, como CONTRAPONTO, INDISSOLÚVEIS, BIZIBEIZE, DISPLICENTES e THE LAST BREATH.

 

 

- A banda já realizou algumas vezes os chamados "ensaios abertos". Como surgiu essa idéia?

R: Na verdade, os ensaios abertos ocorrem num pico aqui na ilha, chamado Taliesyn Rock Bar. É um dos poucos lugares que oferecem oportunidades para bandas independentes e eles criaram um movimento chamada MAU (Movimento Artístico Urbano), onde toda Segunda-feira a noite eles abrem as portas com entrada gratuita ao público, sempre com 01 banda fazendo ensaio aberto.

 

 

- A banda já tocou algumas vezes no Taliesyn Rock Bar. Como surgiu essa parceria? 

R: Sim, já tocamos várias vezes lá e o pico é tão massa - assim como a sua estrutura - que lembra o CBGB. Entre nós, chamamos o Taliesyn de CBGB da ilha... Nós somos da Praia de Ingleses/Florianópolis, e quando formamos a banda e começamos a fazer shows, só nos apresentávamos aqui na praia, em lugares como a Zanco Instrumentos Musicais, Beach House, Caverna e Booteko. Depois, queríamos sair do nosso bairro e começamos a nos aventurar pela ilha. Pesquisamos alguns picos e nos jogamos para outros bairros, como a Lagoa da Conceição (Clube St. Patrick), Trindade (Clube General Lee), João Paulo (Clube Célula), Continente (Clube Plataforma) e o Taliesyn, que fica no Centro. Outras apresentações no Taliesyn foram devidas a convites de outras bandas, tocando junto com grupos aqui da ilha como também abrindo ou tocando junto com bandas de Curitiba e Porto Alegre.

  

 

- A banda já gravou vídeos em estúdio. Como foi essa experiência? 

R: Muito massa! Em estúdio, nós temos somente 01 vídeo que foi da música "Alarm", gravado no Célula. Era um desejo da banda gravar um vídeo ao vivo em estúdio, que ficasse bem a nossa cara e que representasse fielmente como é o som da banda ao vivo. Nós temos mais 02 vídeos lançados, mas que foram retirados de shows. Tem o vídeo da canção "Capa Preta" de um show na Caverna, e um vídeo da música "Mar Branco" de um show no Booteko. Todos os 03 vídeos são de 2017.

 

 

-  A Terrakiuz tem como marca principal as composições próprias. Como funciona o processo de composição das letras e do instrumental? 

R: A maioria das canções (letra e música) são compostas por mim. São músicas que eu tenho guardado no baú e que vou retirando aos poucos, assim como composições novas. Mas também fizemos 03 canções em parceria, tipo, todos juntos com os seus instrumentos e a partir de um riff ou batida, fomos criando a melodia e harmonias em equipe, e que no final ficou de autoria de toda a banda. As músicas, "Antes do Tempo", "Bola Bandida" e "Desviando Árvores" são exemplos disso. Recentemente, apresentei 03 canções novas para a banda e em conjunto também fomos fazendo remanejos aqui e ali, sendo que no final elas ficaram bem diferentes se comparadas quando as mostrei pela 1ª vez. Foram as músicas, "Fazedor de Chuva", "Tedium" e "Delirium Tremens".

 

 

-  A banda já pensa entrar em estúdio novamente para gravação de novas músicas?

R: Então, na verdade a nossa 1ª e por enquanto única experiência em estúdio foi um desastre total. Em 2016, entramos em estúdio para gravar o nosso 1º álbum e devido a um produtor sacana e de má fé (não vou nem me alongar com desavenças particulares fora da banda também), que pegou o nosso dinheiro e não terminou o serviço, ficamos lesionados em todos os sentidos e deixamos esse objetivo de lado, pelo menos por enquanto... Focamos em shows e músicas novas desde então. Não vale a pena mencionar o nome do produtor e nem o nome do estúdio, pois mesmo para propaganda negativa não fazemos questão de salientar, mas gostaria de saber qual é o produtor que recebe o dinheiro para produzir e mixar, e depois, do nada, lhe apresenta o trabalho pronto, sem a mínima participação da banda para dar as suas opiniões e pitacos? Poucas músicas ficaram boas, mas tantas outras não ficaram com a cara da banda. No todo, ficou uma desorganização esquizofrênica, com canções ora muito graves, ora agudas, outras com o som abafado, outras com o som espelhado, tipo, uma linha de frequência totalmente trêmula, sendo que o álbum não tinha uma linha linear, você me entende? Não seguiu um padrão... No começo, confesso que eu tinha aprovado o serviço, mas depois de várias audições e com o passar dos dias, fomos percebendo como havia ficado precário o produto final... Não gostamos do trabalho em geral e pedimos para remixar, sendo que o tal produtor se sentiu ofendido, dá para acreditar nisso? Tínhamos pago pelo serviço... Daí, o cara começou a remixar - agora com a banda presente - e ele literalmente travou, sabe? Perdeu o rumo e não conseguiu se agarrar naquela linha de trabalho. Ele remixou 03 músicas e travou, não conseguia mais ir para frente... Já estava até colocando barulho de grilo no fundo de tal canção, noutra estava colocando barulho de gente andando em cima de britas, pensa na pira do sujeito. Daí, arquivamos o material e lhe desejamos um Feliz Natal e um abraço! Acabou-se o nosso encanto e o profissionalismo por parte dele... Resultado: relacionamentos desintegrados. Só depois disso, que ficamos sabendo de outras bandas que também foram lesionadas pelo mesmo produtor com histórias e exemplos semelhantes, sendo que nós fomos apenas o próximo da fila. Decidimos começar do zero quando fôssemos gravar em estúdio novamente.

 

 

- O que os fãs da Terrakiuz podem esperar para 2018?

R: Olha, fiquei cansado de ficar fazendo promessas devido a essa experiência que relatei e prometi para mim mesmo que não iria ficar designando datas ou compromissos de lançamentos, nunca mais... Estamos com planos em entrar no estúdio para pelo menos gravar um EP, a princípio com 05 músicas... Sabemos que os nossos fãs ficaram na fissura com o álbum que estávamos gravando e vieram nos cobrar. Agora, posso lhes dizer que estamos retomando o processo para que os nossos fãs possam ter o material para usufruir e matar a curiosidade que ficou em falta... Vamos aguardar e sem data de lançamento, pois também espero realizar esse desejo e na hora certa vamos informar vocês.

 

Confira mais sobre a banda:

https://www.facebook.com/terrakiuz/

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Pearl Jam: revelado os nomes das músicas do vindouro álbum

January 21, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead