Stone Temple Pilots: o que o baixista pensa a respeito de Billy Corgan?

March 19, 2018

 

O baixista Robert DeLeo e o vocalista Jeff Gutt (ambos do STONE TEMPLE PILOTS), foram recentemente entrevistados pelo programa de rádio Talk is Jericho

 

Quando o entrevistador citou o movimento grunge e o frontman do SMASHING PUMPKINS, Billy Corgan, DeLeo fez grandes elogios ao ícone dos anos 90.

 

"Billy Corgan..., eu amo o SMASHING PUMPKINS, sabia? É uma grande banda e Billy é uma pessoa muito, muito talentosa".

 

Quando o vocalista original do STONE TEMPLE PILOTS, Scott Weiland, faleceu em Dezembro/2015, Billy Corgan havia postado em rede social uma emocionante homenagem a ele, chamando-o de: "Uma das 03 melhores vozes de nossa geração, junto com Kurt Cobain e Layne Staley".

 

Então, DeLeo falou como ele realmente não se sentia muito grunge com o STONE TEMPLE PILOTS, especialmente quando se tratava do estilo musical.

 

"No início, nós estávamos fazendo coisas que havia nos influenciado, como o LED ZEPPELIN e os discos da gravadora Motown, sabe? Eu não entrei na música para fazer parte da cena, estávamos apenas seguindo o que tínhamos aprendido".

 

Jeff Gutt complementou: "Assim como um fã sentado do lado de fora e vendo o grunge surgir por cima do glam metal, o grunge teve que acontecer. O glam metal era tudo sobre diversão, festas e brilho, sendo que quando o grunge apareceu, era algo realmente verdadeiro e cru. Havia algo permeando sobre o grunge que realmente atraía as pessoas que estavam lidando com os seus problemas reais... Não tinha nada a ver sobre festas, carros e aventuras sexuais".

 

Em seguida, DeLeo admitiu que o seu jeito de vestir não tinha nada a ver com o estilo grunge: "No início, eu vestia roupas vintage com esse mesmo tipo de corte de cabelo e quando o grunge surgiu, eu pensava que era a pessoa mais distante do esteriótipo grunge, sabe? Eu só queria tocar e ser quem eu realmente era, adicionando pequenos pedaços do que aprendi ao longo dos anos e como eu queria me apresentar ao vivo".

 

"Isto é um clássico exemplo do que chamamos de 'negócios da música', sabe? (business). Essa é uma parte do 'business' que se envolve no ramo musical". 

 

"Eu esqueci quem disse isso uma vez, que se não houvesse 'business' no ramo musical, seria uma coisa ótima! O mesmo vale para qualquer outra atividade".

 

Gutt finalizou: "Foi David Geffen quem disse isso (presidente da Geffen Records, a mesma do NIRVANA, SONIC YOUTH e tantas outras)".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Revista 89 Rock: matéria secundária de capa do Nirvana em 1999 - Parte 1

January 20, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead