• by Brunelson

Dave Grohl: "deveria ter avisado antes William Goldsmith e me arrependo disso" - Parte 8


Confira a entrevista que o site Vulture havia feito com Dave Grohl, baterista do NIRVANA e frontman do FOO FIGHTERS, em divulgação ao seu novo livro biográfico, "The Storyteller: Tales of Life and Music".


* Dave Grohl: "perguntei a Krist e a Kurt se eles queriam outro baterista"


* Dave Grohl: perguntado sobre qual o seu prêmio Grammy favorito?


* Dave Grohl: "não comecei a tocar música com uma carreira em mente" - Parte 1


* Dave Grohl: "Kurt Cobain também havia escutado a música 'Exhausted' e tinha gostado" - Parte 2


* Dave Grohl: "o disco 'In Utero' não é o meu preferido, mas é o mais poderoso do Nirvana" - Parte 3


* Dave Grohl: "Kurt Cobain teve 02 overdoses que não sabíamos se ele iria sobreviver" - Parte 4


* Dave Grohl: "o conceito de recomeçar é um tema recorrente em nossas vidas" - Parte 5


* Dave Grohl: "se você é desconhecido e lhe oferecem 01 milhão de dólares, diga não" - Parte 6


* Dave Grohl: "quando me mudei para Seattle, lá era a capital da heroína" - Parte 7


Nesta 8ª parte que separamos para você, Grohl relata como foi o momento em que o baterista original do FOO FIGHTERS, William Goldsmith, havia saído da banda nas gravações do 2º álbum de estúdio, "The Colour and The Shape" (1997):


------------------------


Jornalista: Avançando rapidamente para as sessões de gravação do 2º álbum de estúdio do FOO FIGHTERS, "The Colour and The Shape" (1997), quando você regravou a bateria de William Goldsmith porque ele havia saído da banda...

Dave Grohl: Começamos a gravar no outono de 1996. Nós reservamos um estúdio fora de Seattle chamado Bear Creek. Tínhamos um produtor, Gil Norton. Ele é inglês, famoso por trabalhar nos discos do PIXIES. Havíamos escrito algumas músicas e estávamos fazendo a pré-produção, sendo que eu nunca havia trabalhado com Gil Norton antes, mas logo ficou claro que ele não brinca no estúdio. Ele era um capataz, um tipo de produtor que quebra o chicote, chuta o seu traseiro e faz você repetir 50 vezes para acertar. Eu estava junto com ele, mas foi difícil mesmo assim...


Grohl: Enquanto estávamos fazendo a pré-produção das músicas, todo mundo pirou. Eu me lembro de ter visto o nosso baixista, Nate Mendel, depois de um ensaio jogar o seu baixo na porra da lata de lixo. Pude ver que William não estava acostumado a ser cobrado tanto por um produtor e eu estava fazendo gravações de vocal e repetindo tudo de novo, tipo, foda-se, devo ser o pior cantor do mundo... E eu podia ver isso afetando William.

Grohl: Então, tiramos uma folga no Natal. Voltei para a capital Washington e escrevi 02 novas canções: “Walking After You” e “Everlong”. Eu fiz a gravação demo delas e naquele momento estávamos atrasados com o prazo de gravação do disco e resolvemos nos mudar para Los Angeles para terminar logo o álbum.

Grohl: Eu voltei com essas 02 gravações demo e Gil Norton me disse sobre a música "Everlong": "Eu acho que devemos grava-la e deixa-la ótima. E acho que você deveria tocar bateria nesta canção”. Eu fiquei, tipo: "Vamos nessa, então". Enquanto isso, William estava em Seattle durante a folga da banda e eu e Gil Norton gravamos a bateria. Logo depois, ele me fala: "E essa outra música?" E eu falei: "Ok, mas apenas a parte rápida da canção (que foi a música 'Up in Arms')". Quando vimos, estávamos regravando a bateria e pensei: "Merda, cara. Eu tenho que ligar para William e dizer a ele que estamos refazendo uma parte da bateria".


Grohl: Eu deveria ter ligado para ele antes, mas quando liguei para William, ele já tinha ficado sabendo e estava realmente chateado, o que é muito compreensível e eu me arrependo de ter feito isso até certo ponto... Eu voei até Seattle para falar com ele sobre isso e ele me disse: “Estou saindo da banda”. Eu falei: "Não, não, não, não. Fique na banda. Seja o baterista. Toque essas músicas e vamos superar isso”, mas ele disse não. Nunca vou esquecer uma das coisas que ele me disse: "Na verdade, um amigo meu me ofereceu um emprego cavando valas". Eu falei: “Sério?" Eu já cavei valas, fiz a porra de uma alvenaria quando era criança no calor do verão na Virgínia. Vá cavar algumas valas por um tempo, então, você vai querer ser um baterista. Então, sim, meio que o negócio implodiu e implorei pra ele ficar na banda, mas William se recusou a ficar e esse é o resultado final.

Nota do editor da revista Vulture: Entramos em contato com William Goldsmith, que disse em resposta: “Pat Smear (guitarrista), Nate Mendel e Dave Grohl foram para Los Angeles e eu fiquei em Seattle esperando a ordem para partir também". Depois de não receber nenhuma ligação, ele contatou os empresários da banda e pediu que reservassem um voo para ele. Foi quando ele recebeu um telefonema de Dave Grohl, que lhe pediu para ainda não pegar o avião, pois Dave disse que eles estavam refazendo a bateria em algumas músicas. “Eu voei para Los Angeles mesmo assim”, disse Goldsmith. Quando ele chegou a Los Angeles, se hospedou no mesmo hotel em que o resto da banda estava. “Nate me encontrou no saguão do hotel mais tarde naquela noite”, lembrou Goldsmith, “e quando eu perguntei a ele o que estava acontecendo com a regravação de algumas músicas, Nate me respondeu: 'Foi isso o que ele lhe disse? Ele está regravando todas as músicas'".

“Tínhamos gravado a bateria para o disco por até 13 horas por dia durante 03 semanas consecutivas, em casos fazendo 96 tomadas em uma única música. Portanto, a ideia de jogar tudo fora porque Dave Grohl queria tocar bateria em apenas 02 músicas é absurda”, continuou Goldsmith. "Foi descobrir que todo o trabalho que fiz estava sendo desconsiderado, o que levou à minha decisão de sair da banda”. Ele disse que Dave Grohl pediu a ele para ficar na banda, o que “não podia justificar depois de todo o trabalho que coloquei no disco e que foi desconsiderado”. Ele acrescentou: "Eu então fiz uma piada dizendo: 'O mundo também precisa de cavadores de vala', mas acho que ele não entendeu".

* William Goldsmith: como foram as saídas dos membros do Foo Fighters - Parte 1


* Foo Fighters: produtor do 2º disco relembra da saída do ex-baterista

* Foo Fighters: "Dave nunca demitiu William da banda"


* Foo Fighters: Taylor Hawkins comenta sobre a saída do 1º baterista - "Dave não o demitiu"


* Foo Fighters: Dave explica a saída do 1º baterista da banda



Jornalista: A banda original de William Goldsmith e de Nate Mendel, SUNNY DAY REAL ESTATE, tinha se reunido um tempo atrás e trabalharam em um 5º álbum no seu estúdio. O álbum nunca se materializou e Goldsmith disse que você tem alguma responsabilidade pelo álbum não ter sido finalizado. Depois, ele voltou atrás na declaração, mas ainda meio que implicando com você como proprietário do estúdio. Goldsmith ainda postou um vídeo em rede social afirmando que esse 5º disco do SUNNY DAY REAL ESTATE estava enterrado na "gaveta de meias de Dave Grohl". Sabemos que quando as pessoas pediam esclarecimentos, ele recuava... O que aconteceu? As sessões de gravação não funcionaram?

Grohl: Você deveria perguntar isso ao velho melhor amigo dele, Nate Mendel, porque ele estava lá durante aquelas malditas sessões de gravação e ele sabe exatamente o que aconteceu.


Jornalista: Sim, Nate nos disse que não havia verdade nas observações dele, mas eu queria saber o que você sente sobre tudo isso. Você acha que ele ainda está chateado depois de todos esses anos?

Grohl: Quero dizer, eles tentaram fazer um álbum e não conseguiram... Você já ouviu esse disco?


Jornalista: Ouvi 01 ou 02 músicas...

Grohl: Sim, quero dizer e para ser totalmente honesto, eu não dou a mínima pra essa merda quando é algo tão desprovido da realidade.


"Up in Arms" (Álbum: "The Colour and The Shape")


Mais Recentes
Destaques