• by Brunelson

Dave Grohl: "a música serve para curar você, lhe dar alívio e alegria"


Dave Grohl havia sido entrevistado pelo radialista Zane Lowe da Apple Music e disse que as suas gravações demo no início dos anos 90 - o que incluiria a fita-cassete de 1992, "Late!", sob o nome de POCKETWATCH - apresentam as suas piores performances vocais de todos os tempos.


* Foo Fighters: "não penso sobre o legado da banda"


* Foo Fighters: "acidentalmente chamamos o 'Nick errado' para produzir o disco 'One by One’"

* Pocketwatch: fita cassete rara surge para venda na internet


Seguem alguns trechos dessa entrevista:

“Mesmo antes de eu estar no NIRVANA, meio que descobri como gravar músicas sozinho, certo? Então, eu primeiro tocava a bateria, colocava algumas guitarras sobre ela, colocava um baixo e em seguida, cantava sobre ela, mas eu nunca realmente toquei para as pessoas, porque, A: eu achei que parecia estúpido e B: a minha voz soava como merda".

"Então, eu manteria essas coisas somente pra mim e elas eram apenas um tipo de exercício com esse experimento que eu faria de vez em quando".

"O tempo todo em que o NIRVANA estava gravando os discos, fazendo shows e outras coisas, eu voltava pra casa das turnês e apenas escrevia músicas no meu quarto e gravava no porão. Quando o NIRVANA acabou, no começo eu não queria fazer nada, tipo, não queria entrar numa banda, não queria ouvir rádio ou tocar alguma canção".

"Finalmente percebi: 'Espere... Tenho 25 anos de idade e minha vida não acabou. Por isso, preciso comemorar todos os dias, porque tenho sorte de estar vivo'”.

"Tudo bem, vou escolher 12 ou 13 das minhas músicas favoritas que já gravei e levá-las para o estúdio no final da rua. Na verdade, era o mesmo estúdio em que o NIRVANA gravou a nossa última música, 'You Know You're Right'. Foi muito foda, sabe?"

"O estúdio fica a 04 quarteirões de distância de onde eu morava e reservei 06 dias pra mim no outono de 1994. Deixei os meus amplificadores e bateria prontos, desci lá no estúdio e gravei o disco em sequência e que seria o álbum homônimo de estreia do FOO FIGHTERS (1995)".

"Essa foi exatamente a sequência das músicas que gravei. Simplesmente desci a rua até o estúdio, fizemos um monte de café para tomar e comecei a tocar as músicas, tipo: 'Primeiro pegue a bateria, corra, coloque algumas guitarras sobre ela, coloque o baixo nela, qual é a próxima música? Primeiro vamos verificar toda a bateria novamente'".

"Na hora eu não pensava que iria se tornar num disco e ficava mais divertido".

"Era bom ser produtivo. No final de semana, eu levei essas fitas cassete para um local de cópias e pedi que na hora da impressão das letras, saísse com o nome FOO FIGHTERS, porque eu não queria ser a 'nova banda de Dave Grohl', eu queria que a reação fosse igual para todos, do jeito que vocês tiveram".

"Então, eu levei para fazer as cópias e fiz 100 delas, dei 01 fita para Pat Smear (guitarrista), tinha conhecido Nate Mendel (baixista) e William Goldsmith (1º baterista) e disse: 'Hey, vamos nessa? Não temos nada melhor pra fazer'".

"Naquela época, nenhum de nós estava em bandas e aqueles dias 'ensolarados' haviam acabado. Pat estava morando em Los Angeles, NIRVANA tinha acabado e pensamos: 'Bom, vamos nos divertir nessa porra então!' Porque é pra isso que serve a música, é para curar você, lhe dar alívio, alegria, felicidade e tudo o mais".

"Esse foi o começo do FOO FIGHTERS... Essa banda foi criada para ser esse tipo de continuação de cura, pois somos músicos e é isso o que sabemos fazer, então, vamos fazer isso".

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques