TOP 07: solos icônicos de guitarra dos anos 90

February 1, 2019

 

Vamos ser honestos aqui por 01 segundo: Solos de guitarra arrebentam! 

 

Me nomeie uma ótima música que não foi aprimorada por um fantástico solo de guitarra? (saudações ao RAMONES!) Mas é um fato da música e um fato da vida que um "queimador" de um solo de guitarra, pode elevar qualquer canção de ótima para icônica. 

 

Solos de guitarra podem ser tão variados e selvagens quanto os caras que os executam. Alguns solos de guitarra estão na sua cara, imediatos e diretos para as gemas da garganta. Outros saem como uma montanha-russa, cheios de colinas e vales acentuados pela sensação que oferecem. Outros são retos, de nota para nota e em linhas para a melodia vocal, tocadas cruamente na guitarra. 

 

Faça a sua escolha, mas independentemente do seu gosto definitivo (e temos que respeitar), todos concordamos que, como uma pizza do seu gosto, não existe um solo de guitarra ruim.

 

Com isso dito, há um monte de ótimos solos! Durante os anos 90, os solos icônicos de guitarra rock, alternativo e do metal, sacudiam mais o esqueleto e o emocional do que temos presenciado a partir deste novo século, mas independentemente disso, a década teve uma tonelada de ótimos guitarristas - e para não ser comprometido em toda lista top "alguma coisa" que nós, fãs, temos a audácia de criar, vai somente um Top 07 (motivo para deixar grandes lendas de fora e sem ordem nenhuma de seleção ou técnica) dos solos icônicos de guitarra dos anos 90!

 

 

STONE TEMPLE PILOTS

Música: "Vasoline" (2º disco, "Purple", 1994), por Dean DeLeo.

 

STONE TEMPLE PILOTS pode ter aparecido um pouco tarde para toda a explosão do grunge (setembro/1992), mas uma coisa é certa: esses caras sabem fazer um rock na origem. Com os seus riffs carnudos e escolhas interessantes de acordes, Dean DeLeo realmente brilhou quando simplesmente deixava isso rasgar livremente. Várias músicas do STONE TEMPLE PILOTS possuem um belo solo, mas aqui, a qualidade excede em muito a quantidade e a canção "Vasoline" mostra DeLeo no seu melhor.

 

SMASHING PUMPKINS

Música: "Cherub Rock" (2º disco, "Siamese Dream", 1993), por Billy Corgan.

 

Billy Corgan é frequentemente considerado um dos maiores compositores dos anos 90 -  e isso é um fato. Um fato bem conhecido que você não pode contestar, mas um fato menos conhecido - ou pelo menos discutido - é o seu fantástico trabalho de guitarra. Na canção "Cherub Rock", ele mostra a capacidade rápida em atingir os sentidos com uma variedade verdadeiramente fantástica! O reconhecimento do seu trabalho na guitarra pode ficar aquém de suas composições, mas é só porque ele é o cara que escreveu algumas das melhores músicas da história do rock.

 

RAGE AGAINST THE MACHINE

Música: "Killing in The Name" (1º disco, "Rage Against The Machine", 1992), por Tom Morello

 

Tom Morello é sem dúvida o inovador número 01 dos anos 90 na guitarra. Como JIMI HENDRIX antes dele, Morello encontrou uma nova maneira de usar o instrumento e nisso criou alguns dos melhores riffs e solos dos anos 90. Com a canção "Killing in The Name", Morello mata o som com um mar de pedais para o seu instrumento, mudando oitavas e lhe permitindo criar o som de um DJ "roçando" a sua guitarra. Poderíamos fazer uma lista inteira apenas com os melhores riffs e partes da guitarra de Morello (é preciso lembrar que estamos presenciando a história do rock em nossa frente?)

 

ALICE IN CHAINS

Música: "Man in The Box" (1º disco, "Facelift", 1990), por Jerry Cantrell

 

Jerry Cantrell é uma máquina e ponto final! De cantar, compor músicas e de fazer riffs e solos, tipo, o cara pode fazer tudo... Cantrell forneceu aos fãs do rock e aos entusiastas da guitarra uma grande obra do instrumento ao longo dos anos, mas foi no 1º hit do ALICE IN CHAINS, a canção “Man in The Box”, que Cantrell anunciou a sua chegada. O pedal wah-wah com licks rápidos, são ridiculamente incríveis numa carreira de solos de guitarra incríveis! Saindo um pouco do solo, Cantrell também arrebentou nessa introdução matadora.

 

PEARL JAM

Música: "Alive" (1º disco, "Ten", 1991), por Mike McCready

 

A base do som grunge também foi construída sobre os ombros da dupla de guitarristas da banda: Stone Gossard e Mike McCready. Os dois complementam-se perfeitamente e são uma força audível a ser considerada, pois o álbum de estreia do PEARL JAM é carregado com um ótimo trabalho de guitarras - mas é na canção “Alive” que McCready toma o centro do palco e encanta com a sua banda. É uma loucura como esse solo faz a música! Os solos de McCready são muitas vezes como mini-composições dentro delas e essa é uma característica que nem todos os guitarristas conseguem enquadrar.

 

METALLICA

Música: "Enter Sandman" (5º disco, "The Black Album", 1991), por Kirk Hammett

 

No tempo em que o METALLICA lançou este álbum homônimo em 1991, Kirk Hammett foi firmemente estabelecido como um retalhador de relâmpagos, com um talento especial para a mixagem das cadências, arpejos e a escala pentatônica menor da sua guitarra - juntamente com alguns modos para uma boa medida sonora. O que é fascinante sobre a canção "Enter Sandman", é que o riff principal - instantaneamente reconhecível - também foi escrito por Hammett. Desde a 1ª nota, este solo apenas leva você a um passeio, ou seja, um passeio rápido, caótico, cheio de reviravoltas com uma grande ação do pedal wah-wah. É uma loucura, mas diminuindo um pouco a velocidade e simplificando as coisas, Hammett, junto com o METALLICA, criaram a sua música mais conhecida e o seu solo mais icônico.

 

NIRVANA

Música: "Smells Like Teen Spirit" (2º disco, "Nevermind", 1991), por Kurt Cobain

 

O cara, a banda, a música e o movimento... Kurt Cobain simplificou a abordagem de tocar guitarra e mostrou que o que ele fazia soasse tão bem! A sua composição musical é tão importante que, muitas vezes, não há necessidade de complicar demais as coisas com um elaborado solo de guitarra e a canção "Smells Like Teen Spirit" é um ótimo exemplo disso. O solo segue a melodia da linha vocal com alguns efeitos do pedal chorus - para adicionar um pouco de sabor. Este hino do rock'n roll definiu uma geração e o solo da guitarra não foi diferente. Kurt Cobain, o guitarrista, inspirou uma legião de pessoas a começar a tocar guitarra (um abraço para o RAMONES) e este solo pode realmente ser visto como o catalisador para isso. O uso de designs peculiares das guitarras que Kurt usou da Fender, como a Mustang e a Jaguar, só tornou o solo mais atraente. De quem viveu aquela época e sobre o nosso clima musical atual, você não poderia deixar de desejar que alguém como Kurt Cobain viesse, corrigisse as coisas e colocasse todo mundo de volta no caminho que Kurt realmente fez em 1991. A influência de Kurt Cobain é tão necessária hoje, quanto foi no início dos anos 90.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Ramones: assista a entrevista da banda na TV americana em 1988

June 5, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead