• by Brunelson

The Doors: relembrando performance no Isle of Wight Festival 1970


THE DOORS permanece um pilar da música rock quando olhamos para as vitórias sonoras do século passado. A influência de Jim Morrison e da sua banda na música contemporânea é inegável.

E um dos exemplos seria relembrar a última performance filmada do THE DOORS na lendária edição britânica de 1970 do Isle of Wight Festival (foto). É um som tão envolvente e impressionante que temos certeza de que abalou a todos os ouvintes.

Esta foi uma das últimas apresentações da banda antes de Morrison deixar o inebriante círculo interno de Los Angeles por Paris. Desde então, esta apresentação no festival foi lançada recentemente como um álbum ao vivo e veio com um vídeo da apresentação.

As músicas apresentadas neste lendário show no Reino Unido são esforços com os quais os fãs estão familiarizados. Foram performances apresentando muito mais do que alguém poderia imaginar ouvir ao assistir a banda neste show, com interpretações fascinantes de canções como "Light My Fire", "Break on Through" e muito mais...

A apresentação da banda é envolvente e emocionante. Cada música soando com a proeza artística que deixava o público boquiaberto ao vê-los. Superando a venda de sua alocação original de 150 mil ingressos por 500 mil pessoas, THE DOORS não decepcionaria a sua base de fãs.

Talvez vendo a energia do público que começou a gritar e agitar com a apresentação, THE DOORS igualou aqueles ao seu redor e forneceu um som curioso semelhante a um perigo confortável. Cada música teve espaço para respirar e flutuar, enquanto o vocal de Morrison é quase perfeito em um ambiente tão imprevisível, considerando que ele tinha bebido 02 garrafas de Southern Comfort (liquor) com o vocalista Roger Daltrey do THE WHO antes de subir ao palco.

É uma performance de Morrison que realmente oferece uma visão chave de sua vida na época. Longe daquele reinado enérgico como esguio "Rei Lagarto" de alguns anos antes, agora Morrison estava mais firmemente dominado pelos seus vícios crescentes.

Não muito antes de Morrison deixar o que havia se tornado uma situação insustentável de vagabundos, bêbados e drogas em Los Angeles, a performance é um lembrete da fragilidade do cantor e poeta sob os holofotes. Foi uma realização que o próprio Morrison notou, escolhendo escapar para a Europa para se concentrar em sua arte e habilidade antes de sua prematura morte aos 27 anos de idade.


Mal sabia ele ou a banda, mas aquela seria uma das últimas vezes que Morrison se apresentaria ao vivo. O cantor infelizmente viria a falecer em julho de 1971 na cidade de Paris.

Ainda assim, esse triste momento estava longe da mente de todos...

O canto encantador de Morrison alcançando novas alturas vertiginosas com a multidão e seus gritos de comando foram suficientes para reunir exércitos de fãs - tal era o poder de sua performance poética. O tecladista Ray Manzarek também empresta o seu virtuosismo ao solo de destaque na música "Light My Fire" e o guitarrista Robby Krieger também coloca alguns toques peculiares e psicodélicos em sua performance.

THE DOORS continua a ser um pilar do nosso coliseu musical, isso é inegável, mas o que esta performance adiciona credibilidade é Morrison lutando contra os seus próprios conflitos internos e olhando para os indesejáveis "polegares para baixo" de uma parte da multidão.


Confira esta performance do THE DOORS no Isle of Wight Festival em 1970, das músicas "Light My Fire" e "When The Music's Over":



* Isle of Wight Festival 1970: a resposta turbulenta da Grã-Bretanha ao Woodstock Festival


* The Who: resenha no encarte do disco "Live at The Isle of Wight Festival 1970"


* The Who: dedicatória no encarte do disco "Live at The Isle of Wight Festival 1970"


* The Who: relembrando performance da canção "Heaven and Hell" no Isle of Wight Festival 1970


* Jimi Hendrix: relembrando de quando se apresentou no Isle of Wight Festival em 1970


* Rory Gallagher: o melhor guitarrista de todos os tempos, segundo Jimi Hendrix

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques