• by Brunelson

Sonic Youth: resenha do álbum "Daydream Nation"


Álbum: "Daydream Nation" (5º disco, 1988)


O álbum antecessor, "Sister" (4º disco, 1987), achou o SONIC YOUTH no auge dos seus poderes, então, eles fizeram o que muitas bandas de rock no auge dos seus poderes fazem: assinaram com uma gravadora conhecida.

Eles deixaram a também super conhecida gravadora independente SST Records, para assinarem um contrato com a Enigma Records, o que significou um orçamento maior e se refletiu no álbum "Daydream Nation".

O disco merece o status de "magnum opus" porque realmente reuniu tudo o que o SONIC YOUTH tinha feito até aquele ponto e mais. Outros grandes álbuns da banda surgiram ao longo dos anos, mas nenhum (poucos) se aproximou do volume do disco "Daydream Nation".

Este álbum fez de tudo. Tinha a intensidade do punk rock do disco "Sister" na música "Silver Rocket", os ciclos de canções improvisadas do álbum "Bad Moon Rising" na trinca de canções "Trilogy", e na psicodelia do disco "Evol" com o guitarrista Lee Ranaldo nas músicas "Eric's Trip" e "Hey Joni" (uma referência a canção "Hey Joe" de Jimi Hendrix e a cantora Joni Mitchell).

A canção "Cross The Breeze" encontrou o SONIC YOUTH em sua forma mais indutora de inspiração hardcore, uma mini obra-prima que mergulha os pés numa jam.

Já com tantas músicas boas, simplesmente ainda tem a clássica canção "Teenage Riot", que previu liricamente e sonoramente o boom do rock alternativo dos anos 90, mas também é uma longa canção de 07 minutos com uma introdução etérea e sua parte justa de piras instrumentais.

SONIC YOUTH levou tudo ao extremo no álbum "Daydream Nation". As partes "melódicas" estavam mais melódicas do que nunca, as partes "bonitas" mais bonitas, as partes rápidas mais rápidas e as partes barulhentas, bem... Ainda sobra espaço para a faixa autoindulgente, "Providence".

Cada música do disco "Daydream Nation" atinge a perfeição à sua maneira. É um álbum onde, se você continuar ouvindo, cada canção provavelmente será a sua favorita em um momento ou outro. Além de todas citadas, a música "Candle" também não teria problemas em ganhar o status de clássico do rock underground, junto com a canção "Kissability" que combina alguns dos ganchos vocais mais viciantes da vocalista/baixista, Kim Gordon, até a bateria mais furiosa de Steve Shelley e as guitarras mais clamorosas de Thurston Moore (vocalista) e Lee Ranaldo.

"Daydream Nation" surgiu durante o que foi um ano marcante para álbuns de rock independente e alternativo, como PIXIES e DINOSAUR JR, não ficando sozinho na criação de uma mudança radical dentro do gênero, mas que também liderou o ataque.

Sem ele, algumas bandas e futuros clássicos como os álbuns "Nevermind" (NIRVANA) e "OK Computer" (RADIOHEAD), poderiam não existir do jeito como conhecemos. Foi uma fusão completa da agressividade do punk rock, a inteligência da cena de vanguarda e as composições revolucionárias do então florescente movimento do rock alternativo.

O álbum "Daydream Nation" alterou para sempre o curso da música tanto no mainstream quanto no underground, e ainda assim é apenas a ponta do iceberg do que o SONIC YOUTH conquistou ao longo de sua carreira consistentemente recompensadora.


Track-list:


1- Teenage Riot

2- Silver Rocket

3- The Sprawl

4- Cross The Breeze

5- Eric's Trip

6- Total Trash

7- Hey Joni

8- Providence

9- Candle

10- Rain King

11- Kissability

12- Trilogy (The Wonder; Hyperstation; Eliminator Jr.)



"Teenage Riot"


* Sonic Youth: resenha do álbum "Confusion is Sex" (1º disco, 1983)


* Sonic Youth: resenha do álbum "Bad Moon Rising" (2º disco, 1985)


* Sonic Youth: resenha do álbum "Evol" (3º disco, 1986)


* Sonic Youth: resenha do álbum "Sister" (4º disco, 1987)


* Sonic Youth: resenha contida no encarte do álbum "Daydream Nation"

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques