• by Brunelson

Sonic Youth: resenha do álbum "Evol"


Álbum: "Evol" (3º disco, 1986)


SONIC YOUTH pode ter vivido na cena artística de New York, mas eles também eram obcecados pela energia do hardcore e após se separarem do 2º baterista que havia passado pela banda, Bob Bert, eles encontraram um novo baterista que poderia trazer essa energia ao grupo.

Steve Shelley, ex-baterista da banda de hardcore, THE CRUCIFUCKS, e que ficaria no grupo até o seu final.


Eles também buscaram um contrato com uma gravadora de grupos hardcore, a icônica SST Records, que foi fundada por Greg Ginn (guitarrista do BLACK FLAG) e já havia lançado álbuns de bandas como MINUTEMEN, MEAT PUPPETS, HUSKER DU e outras até então.

Como ficou imortalizado no livro "Our Band Could Be Your Life", do escritor Michael Azzerad, Greg Ginn e seus parceiros da SST Records estavam interessados no SONIC YOUTH, mas um dos co-proprietários da gravadora, Joe Carducci, não estava interessado, soltando a insensata frase de que: "Colecionadores de discos não deveriam estar em bandas".

Assim como a história continua, Carducci acabou deixando a gravadora logo depois e diz a lenda que foi minutos depois que ele saiu que Greg Ginn telefonou para o SONIC YOUTH e ofereceu-lhes um contrato.

Portanto, a estreia do SONIC YOUTH na SST Records e o 1º disco gravado com Steve Shelley na bateria foi o álbum "Evol" - que seria a palavra "love" invertida.


Se o marcante 2º álbum de estúdio da banda, "Bad Moon Rising" (1985), sugeria a capacidade do SONIC YOUTH de fundir composições concisas com experimentação extensa, o disco "Evol" solidificou essa ideia.

O álbum "Evol" encontrou o SONIC YOUTH se juntando mais uma vez com o produtor do 2º disco, Martin Bisi, só que desta vez eles gravaram um álbum com qualidade de produção notavelmente superior, com um som mais limpo que ajudou a elevar a sonoridade da banda. Ainda é um disco barulhento e discordante (novidade!), mas o SONIC YOUTH descobriu como transformar esse ruído e discordância em estrutura, melodia e acessibilidade.

Na música "Shadow of a Doubt", a vocalista/baixista, Kim Gordon, aperfeiçoa o seu canto sussurrado que ela traria mais tarde para algumas das canções mais conhecidas da banda. A música de abertura, "Tom Violence", e a condução pós-punk da canção "Green Light", encontram o vocalista/guitarrista, Thurston Moore, cantando de uma forma que na verdade soa muito bem.

Kim Gordon acaba fazendo o mesmo na música "Starpower", a qual evolui para o tipo de congestionamento de ruído estridente que se tornaria o cartão de visita do SONIC YOUTH.

Com Steve Shelley por trás da bateria, eles encontraram o rebatedor de que precisavam para levar essas jams noise ao próximo nível. Seria no clássico 5º álbum da banda, "Daydream Nation" (1988), que o SONIC YOUTH estaria fundindo hinos do rock alternativo à improvisação de ataque aos tímpanos, que você já poderia rastrear essa abordagem aqui na canção "Starpower".

A música "Death to Our Friends" é o momento mais pesado do álbum e um verdadeiro testamento do poder recém-descoberto que Steve Shelley trouxe para a banda, enquanto canções misteriosas como "In The Kingdom # 19" e "Secret Girl" provaram que o SONIC YOUTH não iria deixar o seu material de composição mais estruturado atrapalhar a inclusão de algumas peças totalmente vanguardistas.

No entanto, o pico mais alto do álbum "Evol" é a música que encerra o disco, "Expressway to Your Skull" (originalmente chamada, "Madonna, Sean and Me", mas que foi censurada).


Famosamente conhecida como a canção favorita de Neil Young do SONIC YOUTH, "Expressway to Your Skull" pegou a fórmula da música "Starpower" e a explodiu, transformando o que começou como uma canção de rock simples de 07 minutos de ruído violento e dissonante. É uma mini obra-prima própria e a forma perfeita de encerrar este grande álbum.


Track-list:


1. Tom Violence

2. Shadow of a Doubt

3. Starpower

4. In The Kingdom #19

5. Green Light

6. Death to Our Friends

7. Secret Girl

8. Marilyn Moore

9. Expressway to Your Skull

10. Bubblegum (bonus track CD)


"Expressway to Your Skull"


* Sonic Youth: resenha do álbum "Confusion is Sex" (1º disco, 1983)


* Sonic Youth: resenha do álbum "Bad Moon Rising" (2º disco, 1985)


* Sonic Youth: resenha que vem no encarte do disco "Evol"

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques