top of page
  • by Brunelson

Smashing Pumpkins: resenha do álbum "Atum" pela revista New Music Express


Confira a resenha que a revista britânica New Music Express fez sobre o novo álbum de estúdio do SMASHING PUMPKINS, "Atum" (11º disco, 2022/2023), a ópera-rock de 33 músicas lançada em 03 atos.


O álbum ganhou 04 estrelas num total de 05.


Segue:


SMASHING PUMPKINS: a bombástica ópera-rock espacial com hinos. Anunciado como uma sequência do seu clássico álbum, "Mellon Collie and The Infinite Sadness" (3º disco, 1995), e do álbum "Machina The Machines of God" (5º disco, 2000), este épico inspirado em ficção científica é ambicioso e complexo.

Você tem que admitir, Billy Corgan (frontman) realmente não faz as coisas pela metade.


Tendo já lançado 02 álbuns de estúdio com o SMASHING PUMPKINS após o retorno de 3/4 da banda nos últimos anos, ele agora lançou uma colossal ópera-rock inspirada em ficção científica. Intitulado "Atum" – pronuncia-se "outono" em inglês – este é o 11º álbum de estúdio da banda, apresentando 33 músicas distribuídas em 03 atos.

Anunciado como a trilogia final dos álbuns citados acima, o disco "Atum" é um álbum conceitual e apresentado como um filme de ficção científica dos anos 80, onde cada música faz parte de uma longa narrativa sobre um personagem central exilado no espaço. Isto em si é uma história totalmente diferente, que o vocalista/guitarrista do SMASHING PUMPKINS compartilha em detalhes forenses.


Quanto às canções desse disco, elas são mais baseadas em guitarras do que o álbum lançado em 2020, "Cyr" (10º disco), mas Corgan resolveu trazer novamente a carga de sintetizadores que dominou o seu antecessor.


Para cada hino rock como as músicas "Butterfly Suite", "Beguiled" e "Empires", há uma contraparte de sintetizador nas canções "Hooligan", "Neophyte" e "To The Grays" - afinal de contas, isso deveria ser mesmo uma ópera-rock espacial.

No momento em que o disco "Atum" chega ao seu 3º e último ato (sendo lançado hoje, 05/05/2023), as músicas trilham um caminho mais complexo, épico e baseado em trilhas sonoras.

Por exemplo, a longa abertura na canção "Sojourner" não soaria fora de lugar em cenas estratégicas em filmes como "Contatos Imediatos do 3º Grau" e "Blade Runner", já que a sonoridade misteriosa evocam visões de uma nave espacial gigante flutuando acima e Corgan é apoiado por um coro de voz feminina totalmente alienígena.

Enquanto isso, a música "Intergalactic" é ainda mais etérea, com sintetizadores taciturnos saltando para frente e para trás sobre o frontman do SMASHING PUMPKINS, antes de ceder lugar a uma cacofonia cósmica de batidas tribais.

E embora o 3º e final ato seja um pouco exagerado, não é desprovido de canções repletas de imediatismo, como a pulsante "Pacer" e a arrepiante "Spellbinding", que são números emocionantes por si só.

No que diz respeito ao álbum "Atum", é um corpo de trabalho ambicioso e exige muito do seu público, mas também há muito aqui para agradar qualquer fã obstinado das antigas do SMASHING PUMPKINS.


Track-list:


1º Ato


1. Atum

2. Butterfly Suit

3. The Good in Goodbye

4. Embracer

5. With Ado I Do

6. Hooligan

7. Steps in Time

8. Where Rain Must Fall

9. Beyond The Vale

10. Hooray

11. The Gold Mask


2º Ato


1. Avalanche

2. Empires

3. Neophyte

4. Moss

5. Night Waves

6. Space Age

7. Every Morning

8. To The Grays

9. Beguiled

10. The Culling

11. Springtimes


3º Ato


1. Sojourner

2. That Which Animates The Spirit

3. The Canary Trainer

4. Pacer

5. In Lieu of Failure

6. Cenotaph

7. Harmageddon

8. Fireflies

9. Intergalactic

10. Spellbinding

11. Of Wings

Yorumlar


Mais Recentes
Destaques
bottom of page